Out 04 2019

O Antidemocrata

Publicado por as 10:53 em A minha cidade

Ontem, pelas 19h46, escrevi no Facebook:

O post “O Antidemocrata” assinado por Paulo Arsénio, Presidente da Câmara Municipal de Beja, demonstra uma perturbante bipolaridade, exibindo uma galopante arrogância. Se na primeira parte da missiva se justifica com o desconhecimento do que está estipulado, proibindo a comitiva CDU de contactar os trabalhadores da autarquia nos seus locais de trabalho, já na segunda parte do texto PA derrama ódios antigos e de estimação. Imputando aos comunistas o velho chavão da azia e blá blá. Como se a decisão que tomou não tivesse ela própria sido tomada com base no ódio. Obviamente que os comunistas não têm grande moralidade para dar lições de democracia mas, às vezes, parece que PA esquece as funções que exerce. Hoje é dia 3 de Outubro , festeja-se a Unidade Alemã. Também Beja está a precisar que se derrubem alguns muros. Em nome da Democracia e do progresso (se é que ele ainda pode vir a existir na cidade onde nasci).

NOTA: Coincidência, ou não, durante a madrugada, um repost meu de 2016 é denunciado (3 vezes) e a gerência puritana do Facebook decidiu, e muito bem, impedir-me de publicar, comentar e usar o messenger durante 30 dias.
O que também deve ser mera coincidência foi o facto de Paulo Arsénio me ter bloqueado no Facebook, o que não estranho e que me admira não ter acontecido há mais tempo. Vou deixar de ter acesso às prosas do Presidente, onde ele faz o elogio do próprio umbigo. Como é que eu vou, a partir de agora, saber o que de relevante se está a fazer em Beja? Como é que eu vou poder transmitir aos meus leitores os projectos estruturantes (para o desenvolvimento do concelho) emanados do executivo camarário ou simplesmente dos desejos do edil presidente?
Isto foi só um desabafo. Continuarei atento ao que se vai passando na nossa terra. Há uma certeza que vos posso dar. O blog continuará o seu caminho. Se antes não me conseguiram calar, não é agora que me irão desmotivar. Daqui a 30 dias regressarei ao Facebook. Podem ir já preparando as armas para voltarem a denunciar posts antigos.
Siga!.

Share

6 Resposta a “O Antidemocrata”

  1. Valentim diz:

    É um dos problemas da exposição social do Facebook! Ou bem que se estabelece uma fronteira entre a esfera pública e a privada, ou então corre-se o risco mais ultrajoso do que previdente, de misturar os dois universos, com prejuízo imediato para o próprio!
    Quem ocupa cargos públicos, deveria em primeira instância habituar-se a prestar contas aos cidadãos que representa, e que o colocaram no cargo, porque se assim não for, dificilmente contará com crédito prolongado e a juros bonificados!
    E dizer que foi para isto que se construiu uma democracia há 45 anos, e que não saiu barata!…PORRA!

    “Não devemos ter medo dos confrontos. Até os planetas se chocam e do caos nascem as estrelas.”
    Charles Chaplin

  2. democrata diz:

    O Costa mostrou hoje a sua verdadeira face, animal feroz igual ao seu camarada Sócrates.
    Se não o tivessem agarrado não ficava só por chamar mentiroso ao idoso que se meteu com ele. Um murro ou um apertão no pescoço eram o mais certo se os seguranças não o tivessem agarrado. Viva a democracia, porra.

  3. Viriato diz:

    @Espinho, foi então saneado por 30 dias, vai ver que passam rápido, imagine no tempo da PIDE, além de saneado ainda ficava roxo, inchado e desaparecia em combate.
    Humor à parte, mas voltando ao tempo da PIDE e aos tempos pós 25 de Abril, quando se falava de politica nos cafés as conversas eram feitas olhos nos olhos, os mal entendidos eram resolvidos e explicados.
    Agora com as redes sociais fica muito por explicar, não dá para ver as expressões do outro, há um acumular de desentendimentos.
    Seria avisado a quem utiliza redes sociais para comunicar, expressar opiniões ou simplesmente comentar, usar uma linguagem simples , directa e, o mais importante , respeitosa para com os outros.
    @Espinho tenho a certeza que como Alentejanos são mais as coisas que nos unem e não devíamos deixar nem partidos e muito menos Facesbooks separar-nos para que como muito bem diz, discutirmos os projectos estruturantes.

  4. João Espinho diz:

    @viriato – calculo que tenha uma larga experiência de luta anti-fascista e que já no tempo da PIDE se andasse a esconder atrás de “viriatos” e outros nicknames no género.Sabe, eu assino e dou a cara por tudo o que escrevo. Já o “viriato” prefere o anonimato. Pensava eu que o medo tivesse acabado quando acabou a PIDE. Volte sempre. É um redobrado prazer ler o que escreve.

  5. Poeta diz:

    Confesso que ainda não me tinha ocorrido que um homem pudesse ser bloqueado por outro homem no FB. Um homem bloqueado por uma mulher sei que existe até porque há gajos muito chatos e que não se enxergam. Mulheres bloqueadas por mulheres, também sei que é o pão-nosso de cada dia, sobretudo quando andam várias a comer o mesmo gajo e bloqueiam-se entre elas, umas às outras. Já um gajo macho bloquear no FB outro gajo macho, juro que não sabia que pudesse acontecer.

    Por outro lado, pensando bem, também não estou a ver três gajos bicho macho mesmo, às três da manhã a bichanar e a vasculhar publicações com três anos e com belas mamas ainda por cima, para requererem ao rapaz Zuckeberg o divino bloqueio do herege. Está nos manuais que nenhum gajo bicho macho mesmo, digno desse nome, tem inteligência para isso.

    Resumindo: Às autoras das queixinhas para o bloqueio do perfil deixo a dica. Em vez de andarem entre brushings e a escolha de tons de louro para as madeixas à sopeirinha dos anos 90, perdidas no FB a chatear o Camões às três da matina, dediquem mas é o tempo a fazer aquilo que toda gente já percebeu que fazem muito pouco, e mal.

  6. Vargas diz:

    Pois é!Haverá sempre gajos ressabiados por ter que lidar com a diferença de opinião, de pensamento e de posição política até!
    O mundo não gira, de maneira nenhuma, à nossa volta por muito que nos custe aceitar. Há todo um universo que faz uso da sua inteligência, da forma que bem entende, e que no fundo até se presta ao ridículo quando não tem noção dos limites morais e éticos! Mas outros há que até têm alguma consciência cívica e que não se coibem de expressar a sua opinião. Não é um estado de alma, é mais uma forma de manifestar a sua própria existência! Porra.