Arquivo da Categoria ‘A minha cidade’

Beja vai ter praia já em 2019

17 de Abril de 2018

Leia aqui a notícia.

Share

Beja – Exercício envolve 1200 militares

17 de Abril de 2018

1200 militares preparam-se para missões reais em Beja

A Força Aérea Portuguesa irá acolher, de 09 a 23 de maio, na Base Aérea N.º11, em Beja, o exercício Hot Blade 2018 (HB18).

Este exercício multinacional surge no âmbito do Helicopter Exercise Programme, da Agência Europeia de Defesa (EDA), e será planeado sob a égide do Comando Aéreo.

A edição deste ano envolve, além da Força Aérea e do Exército de Portugal, a participação de forças militares de Bélgica, Alemanha, Hungria, Holanda e Eslovénia, que ficarão sediados na BA11, em Beja, estando as suas ações planeadas para o interior Centro/Sul de Portugal Continental.

O objetivo global deste exercício é o de obter um elevado nível de interoperabilidade entre as aeronaves dos Estados-Membros da EDA, expondo as tripulações a um ambiente operacional complexo, no qual poderão treinar procedimentos e táticas, de forma dotá-las das qualificações necessárias à realização de operações nos atuais teatros de conflito internacionais e missões de apoio humanitário.

As missões vão ter lugar por todo o País, dia e noite, no ar, em terra e no mar, tendo sido planeadas de modo a não afetar o meio ambiente e a população.

Share

Faltam 3 mil

9 de Abril de 2018

O Movimento “Beja Merece +” mantém on-line a petição onde é exigido ao Governo que sejam retomadas e concluídas as obras do IP8/A26, electrificado o troço ferroviário Casa Branca – Beja – Funcheira, aproveitado o aeroporto de Beja e melhorados os serviços de saúde na região.

A petição, que pode ser subscrita em vários estabelecimentos comerciais do Centro e Sul do país, em suporte papel, soma mais de 8 600 assinaturas só na internet.

Clica aqui assina e depois valida com o link que vais receber por mail. Basta-te 1 minuto para seres diferente e melhor do que aqueles quer ignoram o nosso Distrito.

Share

Diálogos Interculturais de Beja

8 de Abril de 2018

Entre 8 e 14 de abril, Beja irá acolher o Festival “Diálogo — Diálogos Interculturais de Beja”, uma iniciativa de promoção da interculturalidade e de valorização da diversidade como ferramenta de combate à exclusão social. Conferências, filmes, exposições, tertúlias, workshops, atividades para crianças, artesanato, gastronomia, música e danças do mundo animarão diversos pontos da cidade durante uma semana que culminará com o “Dia D” de “Diálogo”, sábado 14 de abril, na Praça da República.
Consulte aqui o programa

Share

1ª Guerra Mundial – Ciclo de conferências

6 de Abril de 2018

Quinta-feira, 12 de Abril, às 21:00. Em Beja – No Centro Unesco para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial em Beja.

Share

Ó Vítor, então?

6 de Abril de 2018

Você, agora, já concorda com a destruição do património?
Ou é antes um regozijo pela sua mais recente Paixão, que é o PCP?
Vá, acalme-se, já só faltam 3 anos para as próximas autárquicas. Até lá, bom senso, está bem? 🙂

Share

Beja – A importância do Instituto Politécnico

5 de Abril de 2018

João Paulo Trindade, Presidente do Instituto Politécnico, em entrevista para ler no Hall Paxis:

Na sua opinião, qual é o papel que o Instituto Politécnico de Beja deve assumir dentro de uma estratégia de desenvolvimento regional do Alentejo e do distrito de Beja, em particular?

“Todos tiraremos proveito de um IPBeja forte, participativo, interventivo, solidário e consciente do seu posicionamento. Como?
(i) Recorrendo às suas atuais competências e promovendo o seu crescimento e desenvolvimento no contexto do ensino superior nacional.
(ii) Aperfeiçoando a sua notoriedade ao colocar em prática uma estratégia com ações de divulgação dos cursos e dos resultados dos projetos realizados, levando-os ao conhecimento da comunidade, fortalecendo a imagem e capacidade de comunicação.
(iii) Proporcionando condições mais adequadas à realidade atual do ensino superior politécnico que permitam o desenvolvimento de atividades de investigação, marcadas pela inovação e pelo empreendedorismo, preferencialmente em colaboração com outras instituições de ensino superior e com a comunidade exterior.
(iv) Otimizando a capacidade de captação de novos alunos, nacionais e internacionais, assim como a resposta às solicitações da sociedade em geral.
O IPBeja tem previsto no plano estratégico para 2018 um conjunto de ações em estreita ligação com os municípios, entidades e empresas da região que contribuirão no terreno para essa estratégia de desenvolvimento regional. Temos presentes políticas orientadas para a internacionalização, para a investigação aplicada, para as questões sociais, para os estudantes e para as nossas ofertas formativas. O IPBeja é uma instituição de ensino superior que está implicada em todas as dimensões que enquadram a sua missão.”

Leia aqui a entrevista completa.

Share

Esta causa é de todos

2 de Abril de 2018

Beja +, aliás, como todo o interior alentejano ou algarvio, em especial o território que sociodemográfica e culturalmente tem sido definido como Baixo Alentejo.

Escreve Manuel Barroso:
Parafraseando Sophia de Mello Breyner Andresen: «Vemos, ouvimos e lemos. Não podemos ignorar» que o Alentejo, em especial o Baixo Alentejo, tem sido esquecido de forma sistemática e permanente pela administração portuguesa.
Muitas são as evidências deste esquecimento… em todos os domínios que quisermos analisar.
Por razões de oportunidade circunstancial e economia de texto, tomo como referência, aqui, o caso da rede de caminho-de-ferro. Obviamente que muitas outras razões e fundamentos me assaltam neste manifesto.
Importa voltar a instalar o caminho ferro, com dignidade, funcionalidade, respeito pelas populações e orientado para o desenvolvimento socioeconómico de todo o território alentejano, em especial do interior, ao qual há que juntar o interior algarvio (igualmente esquecido).
O assalto ao sentido razoável de coesão territorial equilibrada e à dignidade das pessoas tem limites! E tem mesmo de terminar!
Se o projecto ferroviário Sines-Badajoz não tem um só centímetro de aplicação no território do Baixo Alentejo, igualmente, a não integração em tal projecto da electrificação da linha ferroviária Casa Branca – Beja e a respectiva extensão ao Algarve representa um homicídio socioeconómico, demográfico ou cultural por parte de sucessivas mentes inúteis, infligido ao interior alentejano e algarvio.
Para que não restem dúvidas, a minha declaração de interesses sobre esta matéria é a seguinte: – Fui utente diário do comboio/automotora entre Alvito e Beja, durante anos. De igual forma, sou utente regular de uma coisa a que continuam a ousar chamar comboio entre Casa Branca e Alvito (quando há!), depois de um «razoável doce» entre Lisboa-Entre Campos e Casa Branca…
As causas e autores de tais perversidades são inúmeras!
Incompetência de políticos, quer no contexto central, quer nos contextos regional ou mesmo local “versus” sentido de acomodação tradicional das nossas gentes.
Desde logo, de todos/as os/as deputados/as eleitos pelo círculo eleitoral de Beja (extrapolável a todo o território interior português).
Tais deputados/as terão seguramente as respectivas razões! E os resultados? Que evidências podem apresentar sobre a respectiva «luta» neste domínio? E os sucessivos governantes? E os autarcas?
Enfim, creio que o movimento cívico que vem assumir a defesa de tão patrióticas causas, deve liderar todo este processo. É justo e realista!
Não tenho a menor dúvida que muitas daquelas personagens, antes caracterizadas, estarão a colocar-se em «bicos de pés» para se posicionarem na «linha-da-frente» mediática, tal é a torrente cívica que se está a configurar como imparável.
Embora reconheça que todos são poucos para engrossar tal torrente, é bom deixar claro que a oportunidade da política formal dos partidos e agentes formais da política passou para a segunda linha.
Esta é uma causa de todos, onde humildemente me incluo.
Mas ficarei relativamente incomodado se começar a ver o aproveitamento de uns quantos «inúteis» sistémicos neste processo.
Esta causa é de todos, sublinho!

Share

Fórum romano de Beja

1 de Abril de 2018

Foi recentemente descoberta uma fotografia do que terá sido o Fórum Romano de Beja.
Prevê-se que a revelação ao público de tão grandiosa descoberta ocorra durante a próxima edição do festival “Beja Romana”. A inauguração do Centro de de Arqueologia e Artes de Beja, prevista para 10 de Maio (feriado municipal) teve, entretanto, que ser adiada, pois nesse dia toda a cidade de Beja ruma a Lisboa para participar nas acções promovidas pelo movimento Beja Merece+.
A propósito. Já assinou a petição? Faça-o aqui.

Share

Onde andam as Câmaras Municipais?

30 de Março de 2018

Escreve o Luís Palminha no seu blog:
“É já no próximo dia 10 de Maio – 5ª feira da Ascensão, a “Excursão” a Lisboa, organizada pelo Movimento Beja Merece +.

Uma “Excursão” de protesto contra a indiferença a que o Alentejo Litoral e fundamentalmente o Baixo Alentejo, têm sido votados pelos sucessivos Governos, pois a verdade é que independentemente da cor ou conjunto de cores, que vão ocupando o Palácio de São Bento, o nosso destino tem sido praticamente o mesmo.

Alvito, Beja e Vidigueira gozam nesse mesmo dia o seu Feriado Municipal. Seria de esperar uma grande mobilização destes Concelhos e mais concretamente das suas Autarquias. No entanto, e até ao momento, nada indica que estas Autarquias se mobilizem para ser parte desta manifestação.

Por outro lado, e apesar de não gozar o seu Feriado Municipal no dia 10 de Maio, a Autarquia de Cuba, diretamente ligada à Ferrovia também parece seguir o exemplo das suas vizinhas, não demonstrando qualquer intenção, disponibilização de meios e recursos para se envolver ou apoiar esta manifestação.

Mas estas autarquias são apenas exemplos. Beja deveria aqui, assumir um papel de Capital de Distrito e fazer aquilo que há muito não faz!

Como é possível que até ao momento o Movimento que se encontra a organizar esta manifestação por um Futuro de Dignidade para o Alentejo Litoral e do Baixo Alentejo não tenha sido contactado por nenhuma Autarquia a propor da sua máxima cooperação?

(Leia e comente o artigo aqui)

Aproveitem e assinem a petição (aqui) (não se esqueça de validar a sua assinatura através de link que vai receber na sua caixa de e-mail). Não custa nada, não perde nada; pode ser que a sua assinatura faça a diferença. Para melhor!)

Share

Curiosidade

27 de Março de 2018

Veremos Paulo Arsénio trajado de imperador? 🙂

Share

Alentejo, um amanhã reinventado

27 de Março de 2018

ALENTEJO, UM AMANHÃ REINVENTADO é a designação do projeto Hall Paxis, através do qual se pretende ouvir a opinião de autarcas, empresários, personalidades da cultura e de outros sectores estratégicos. Mostrar que vivemos numa região de futuro, com imensas oportunidades e potencialidades, e onde investir é urgente, paralelamente a uma alteração na forma de estar e pensar as empresas, a sua sustentabilidade e, consequentemente, a esfera de acção e intervenção do cidadão comum, será o objetivo desta iniciativa da Hall Paxis.
Acompanhe aqui

Saúda-se esta iniciativa.

Share