Arquivo de Autor

Preparem-se bejenses

26 de Janeiro de 2022

Vão continuar os percursos acessíveis. Dentro de 3 anos Beja vai ser uma metrópole cheia de percursos. Para chegar cá é que a coisa vai ser mais difícil, a avaliar pelo esquecimento a que Costa e o PS votaram a capital de distrito.
Sim, somos uma cidade vetada.

Share

Manuel Fonseca

23 de Janeiro de 2022

Uma péssima notícia logo pela manhã. O Manuel Fonseca, o sr. Fonseca, era um senhor. Inteligente, ponderado, amigo dos seus amigos, aliava a sua maneira de estar a uma requintada arte de fotografar. São inúmeros os seus trabalhos, alguns bem visíveis nas paredes interiores de diversos locais públicos. Amante das artes, leitor dedicado e atento, o sr Fonseca era um daqueles com quem dava gosto falar. Muitas horas falamos sobre a cidade que escolheu para viver e exercer a sua arte e a sua profissão.
Beja acordou mais pobre. Saibamos, em devido tempo, prestar-lhe uma justa e devida homenagem.

Share

Legenda, precisa-se

20 de Janeiro de 2022


Apelo à criatividade dos leitores do blog. Que legenda dariam à imagem, onde se vê Costa a abraçar Paulo Arsénio?
Que palavras teriam trocado?
Imagino Costa a dizer: no próximo Verão vou dar um mergulho à Praia de 5 Reis.
E Paulo Arsénio terá dito: “camarada Costa, eu e os bejenses admiramos o seu bom gosto”.
O que é que sugerem?

Share

Costa em Beja

19 de Janeiro de 2022


foto: Hugo Guerreiro

Dizem que vai com o Pedro do Carmo tomar café ao Luís da Rocha. Paulo Arsénio estará presente mas não tenciona beber café. Já a presidente da Assembleia Municipal de Beja repartirá com Costa uma empada ou uma queijada de requeijão.
Não se sabe quantos quadros da CIMBAL estarão presentes nesta célere passagem pela meia-laranja.
Enfim!

Share

Mudanças na Alemanha

19 de Janeiro de 2022


Chanceler alemão admite que futuro do Nord Stream 2 depende das acções da Rússia na Ucrânia.
“Tudo terá de ser discutido” caso haja uma invasão russa da Ucrânia, diz Olaf Scholz, sem excluir a suspensão do gasoduto.

Share

Demissões no Hospital de Beja

18 de Janeiro de 2022

Doze chefes de equipa das urgências do hospital de Beja apresentam demissão

Os chefes de equipa de Medicina Interna consideram que “as condições atuais não permitem assegurar cuidados aos doentes com a qualidade e segurança devidas”

No Expresso:

“Doze chefes de equipa das urgências do hospital de Beja apresentaram hoje demissão dos cargos alegando não terem condições para tratar dos doentes com qualidade e segurança, sobretudo devido à falta de médicos e sobrecarga de trabalho.

No pedido de demissão, a que a agência Lusa teve acesso, os 12 chefes de equipa de Medicina Interna consideram que “as condições atuais não permitem assegurar cuidados aos doentes com a qualidade e segurança devidas” no Serviço de Urgência (SU) do hospital de Beja, gerido pela Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA).

Por isso, os especialistas apresentaram a demissão dos cargos “até que seja feita uma reavaliação da situação” do SU, “com resolução da carência de recursos humanos médicos e reapreciação das competências dos chefes de equipa”.

Os médicos referem que a decisão de apresentarem a demissão foi tomada agora “em virtude de uma situação ‘arrastada’ de declínio das condições de trabalho e de organização” do SU, “para a qual foi solicitada a atenção do conselho de administração” da ULSBA, “por inúmeras vezes, sem qualquer resposta efetiva”.

Os chefes de equipa demissionários consideram “aceitável um prazo de duas semanas para agendamento de uma reunião entre os elementos interessados” e avisam que, “na ausência de resposta, estão previstas medidas adicionais”.

Os 12 chefes de equipa também já pediram escusa de responsabilidade civil, juntamente com mais quatro médicos especialistas do hospital de Beja.

Segundo os médicos demissionários, a pandemia de covid-19 “veio agravar as condições, já de si precárias, em que o trabalho é desenvolvido” nas urgências do hospital.

A “sobrecarga de trabalho trazida pela pandemia atingiu maioritariamente o serviço de Medicina Interna”, cujos elementos viram a sua carga laboral diária e semanal aumentar por vários motivos.

A criação do “Serviço de Urgência Covid-19”, onde “a observação de doentes está praticamente à responsabilidade exclusiva da equipa de Medicina Interna”, do serviço “Medicina Covid-19”, com “consequente expansão do número total de camas à responsabilidade” desta especialidade, da consulta de “Follow-up-Covid-19”, nos mesmos pressupostos, tal como “outras solicitações extra”, são alguns dos motivos invocados.

Os médicos destacam que, durante este período, o serviço de Medicina Interna “sofreu” uma “redução” de elementos, “ao invés de um reforço”, apesar de ter “aumentado a abrangência da sua área de intervenção”.

Segundo os signatários, “só em 2021, os assistentes hospitalares do Serviço de Medicina Interna realizaram uma média de 600 horas extraordinárias” e, atualmente, apresentam “grande desgaste físico e mental”.

A par destas problemáticas, os 12 médicos também salientam a inexistência de um diretor do SU, a indefinição do papel de chefe de equipa, “a ausência sistemática, e cada vez mais frequente, de elementos do atendimento geral, sobrecarregando a especialidade de Medicina Interna”, e a “referenciação sem critério” de utentes dos centros de saúde e dos serviços de urgência básica para o SU do hospital de Beja.

Lamentam “a necessidade crescente de transportes pela Medicina Interna a partir do SU” para outros hospitais, o “que deixa muitas vezes” a equipa daquela especialidade “desfalcada, com apenas dois elementos (e pontualmente com um)”.

“Sendo que se um deles estiver” no Serviço de Urgência Covid-19, “resta apenas um elemento de Medicina Interna para dar resposta a toda a urgência não covid-19 (e durante o período noturno a todo o hospital)”.

Os médicos também criticam “a inexistência de contratação de internistas externos para colmatar as falhas na escala ou por motivos de baixa médica, sendo estas exclusivamente asseguradas pelo ‘staff’ interno ou não sendo asseguradas de todo”.

O documento com o pedido de demissão foi assinado pelos 12 chefes de equipa e enviado à presidente do conselho de administração, Conceição Margalha, ao diretor clínico de Cuidados Hospitalares, José Aníbal Soares, e ao diretor do Serviço de Medicina Interna, José Vaz.

Outros seis médicos do hospital de Beja subscreveram o documento em sinal de solidariedade para com os 12 chefes de equipa demissionários.”
(aqui)

Share

Bom fim de semana

14 de Janeiro de 2022

Share

O polvo

14 de Janeiro de 2022

O secretário-geral do PS defendeu ontem que ter uma “maioria absoluta não é um poder absoluto, é ter condições para governar”, sustentando que, se vier a concretizar-se, o Presidente da República não permitirá abusos de poder.
Isto foi dito pelo homem que comanda um partido que se transformou num polvo, tendo tentátuculos em toda a máquina de Estado. Não há sítio da administração pública onde não esteja um boy, ou girl, que ostentam orgulhosamente o cartão de militante. E, quando não há militantes, há sempre um familiar para uma gamela ou panela. É este o estado da nação. Sem maioria absoluta. Mas com o absoluto silêncio de Marcelo RS.
Evitem-se estes desmandos. Não votar no PS é prestar um bom serviço ao país.

Share

O que vai mudar?

10 de Janeiro de 2022

“A Voz da Planície sabe que, ao que tudo indica, Luís Godinho não vai continuar como diretor do Diário do Alentejo (DA). Para resolver esta situação, tendo em conta que a ligação contratual de Luís Godinho a este semanário termina no final deste mês, o Conselho Intermunicipal da CIMBAL tomará, hoje, a decisão do procedimento a seguir.”

Sem abertura de concurso, o DA será aquilo que o PS quiser. E que terá, não duvido, o apoio do PCP.
Aguardemos.

Share

O adjunto

5 de Janeiro de 2022


Gavino Paixão, conhecido por “O Adjunto”, já virou várias paginas, mas sempre dentro do mesmo capítulo, sendo incompetente para uma leitura de uma obra completa, escreve sobre mudança consciente, o que faz pensar que, aqueles que não votarem no partido que lhe dá de comer, serão inconscientes. Há muito que se percebeu que há no PS quem tenha uma interpretação distorcida do que é a Democracia.
Isto é, só os da sua cor é que são conscientes, só eles são verdadeiros cidadãos.
A sorte dos “gavinos” desta terra é que há sempre uma gamela, ou um observatório,que lhes dá de comer.
Dia 30 vamos, conscientemente, tentar mudar esta página, para pôr fim a mais este capítulo socialista.

Share

Taxa de execução: nula

2 de Janeiro de 2022


Vai andar brevemente por aí a prometer “vamos fazer o que ainda não foi feito”.
Merece a confiança de alguém?

Share

Votos de feliz 2022

31 de Dezembro de 2021


foto: Sergo Israel

Share