Nov 19 2018

Mértola – Festival Islâmico 2019

Publicado por João Espinho

As ruas do Centro Histórico da Vila-Museu recebem a décima edição do Festival Islâmico de Mértola de 16 a 19 de maio de 2019.

O Souk é o coração de um certame que se estende por dezenas de espaços da Vila de Mértola, com música, exposições, conferências, teatro, gastronomia e outras artes.

Até dia 1 de março de 2019 decorrem as inscrições para participação no mercado de rua. O regulamento e a ficha de inscrição estão disponíveis aqui.

Share

Nov 19 2018

Lenha

Publicado por João Espinho

    “Dentro de todo o Alentejo que tenho dentro de mim, ou seja dentro do que sou, encontro uma das sensações mais simples e ao mesmo tempo mais profundas. Espero pelas formigas de asa, espero que elas me digam que é tempo, eu acredito nas formigas de asa porque sei que elas são a voz da chuva, sei que são o prenúncio do frio, o augúrio das geadas, até agora nunca falharam e já muitos outonos e invernos me passaram por cima. E por isso, por saber que virão dias cortantes e virão noites em que na rua só haverá gatos com cio, encomendo lenha, melhor, encomendo uma emoção que arde. Varro o alpendre, aprumo a telha, dou um aconchego nas paredes, faço uma casa para a lenha vir morar comigo. E quando a camioneta chega já tenho a casa pronta, os homens atiram a lenha para o chão, os tarolos e os madeiros trazem musgo agarrado à casca e bichos-de-conta nas saliências, arrumo-os, faço paredes de azinho, o azinho faz paredes tão bonitas, arrumo as enxapotas, escolho o madeiro para o Natal, será o maior, há-de arder noite e dia. E depois quando o frio chega, às vezes ainda não há frio mas eu já não aguento a espera, acendo um fósforo e puxo fogo à minha emoção, primeiro a lenha miúda, depois a casca, depois a carne da lenha, depois os ossos da lenha, vou ardendo lentamente, faço-me em fumo, ergo-me em labaredas, renasço das cinzas. Ponho as mãos no fogo e não me queimo.”

Vítor Encarnação

Share

Nov 18 2018

Diário do Alentejo

Publicado por João Espinho

Share

Nov 17 2018

Bom fim de semana

Publicado por João Espinho


foto: arkadiy_kurta

Share

Nov 16 2018

Em transição para as Lavadeiras de Caneças

Publicado por João Espinho


foto (daqui)

Escreve, e muito bem, Pinho Cardão: “O Ministro da Transição Energética, bonito nome, propôs a baixa de potência como medida de diminuir os custos com a electricidade.
Não sei se a medida trará qualquer poupança familiar.
O investimento em lanternas para não se andar aos trambolhões ou o custo advindo do aumento das avarias das máquinas de lavar por efeito da interrupção da laboração de cada vez que o disjuntor disparar não auguram qualquer proveito.
A não ser que, para melhorar o Ambiente que também tutela,o Senhor Ministro veja aí a forma de se voltar a lavar tudo à mão, fazendo assim ressurgir as Lavadeiras de Caneças. Mas como também a estas será necessário pagar…” (aqui)

Share

Nov 14 2018

BUBA ESPINHO – Passatempos

Publicado por João Espinho


Os vencedores já foram notificados. Parabéns!
Obrigado a todos os que participaram nos passatempos.
O espectáculo promete e os bilhetes estão a esgotar. Já foi comprar o seu bilhete? Se pretender, pode adquirir o bilhete na bilheteira online (aqui)

Share

Nov 13 2018

Da língua de Camões – «Há anos “atrás”»

Publicado por João Espinho

«Entrámos para o euro há dez anos atrás», «Deveriam ter sido tomadas medidas adequadas há muito tempo atrás»: este tipo de frases ouve-se cada vez mais, havendo quem considere correcta a utilização da palavra atrás como forma de intensificar a ideia de passado.

Ora, expressões do tipo «há anos atrás», «há meses atrás», «há muito tempo atrás» estão incorrectas. Nem podemos sequer considerar que há uma redundância aceitável.

Nestas frases, o verbo haver significa «existir» e usa-se para indicar a existência de um período que decorreu desde o momento em que se passou a acção referida até ao momento em que a frase é proferida. O verbo haver no presente do indicativo («há») indica o tempo presente, indica o que acontece no presente (e não atrás), o que acontece ou o que existe no momento em que se está a falar: no caso da expressão «há dez anos», tal significa que no momento em que a frase está a ser proferida (hoje) existem dez anos, completaram-se dez anos desde que algo aconteceu. (leia aqui)

Share

Nov 12 2018

Buba Espinho – Passatempo Nº2

Publicado por João Espinho


foto: joão espinho

1- Buba Espinho vai estar no Pax Julia no próximo dia 17 de Novembro. Enquanto cantador alentejano, que grupos integrou? (3 nomes, no mínimo)
2 – Que prémio conquistou em 2016? Onde?
3 – Qual o nome do single de estreia de Buba Espinho? Quem compôs a música? E quem escreveu a letra?

Respostas para joaoespinho@gmail.com com indicação do nome do/a concorrente (1) e do nº do passatempo.
O/A vencedor/a será contactado/a por mail com as indicações para obtenção do prémio*. Não serão aceites respostas deixadas nas caixas de comentários nem no facebook. Não serão publicados os nomes dos vencedores. O bilhete de oferta será entregue no dia 17.

(1) Os dados recolhidos não serão usados para qualquer outro efeito.

* 1 bilhete

= PASSATEMPO ENCERRADO =

Share

Nov 12 2018

Portugal e a Primeira Guerra

Publicado por João Espinho

A participação de Portugal na Primeira Guerra resultou de “um projeto político radical” contestado pelo Exército e pela sociedade, defende o historiador António José Telo, criticando a visão histórica “cor-de-rosa” e “falsa” que subsiste sobre este período .

“As ideias que existem são bastante erradas. Os manuais escolares continuam a dizer que Portugal entrou na Guerra a pedido da Inglaterra. Não é bem assim. Na realidade, a Guerra provoca uma profunda divisão na sociedade portuguesa […] e a esmagadora maioria, quer do mundo político, quer da opinião pública, alinha com os chamados anti-guerristas”, disse o historiador, em entrevista à agência Lusa.

O professor catedrático de História na Academia Militar trabalha, desde 2014, numa linha de investigação ligada à evocação dos 100 anos da Primeira Guerra Mundial, do Ministério da Defesa, tendo já publicado dois livros: um sobre o Corpo Expedicionário Português (CEP) em França e outro sobre a guerra no Atlântico português. (ler Portugal tem uma visão “cor-de-rosa” e “falsa” sobre a Primeira Guerra)

NOTA: Hoje, 12 de Novembro, pelas 21H00,na Biblioteca Municipal de Beja, terá lugar uma conferência subordinada ao tema “A Infantaria do Baixo Alentejo na Grande Guerra“.

Share

Nov 09 2018

Diário do Alentejo

Publicado por João Espinho

Share

Nov 09 2018

Nanã Sousa Dias no Pax Julia

Publicado por João Espinho

Dia 15 de Novembro – 21H30

Com o Nanã vão estar os músicos:

Óscar Graça – Piano
Gonçalo Sousa – Harmónica
Nuno Oliveira – Baixo
Alexandre Alves – Bateria

Share

Nov 09 2018

Bom fim de semana

Publicado por João Espinho


foto: stefan rappo

Share