Arquivo da Categoria ‘Geral’

Diário do Alentejo

21 de Setembro de 2018

Share

Dos cobardes

21 de Setembro de 2018

Antigamente criavam blogs “anónimos”. Depressa perceberam que não conseguiam atingir os objectivos.
Depois começaram a comentar “anonimamente” nos blogs. Até perceberem que estavam a ser descobertos (tenho 3 exemplos que divulgarei quando considerar oportuno).
Agora a moda é criar perfis falsos nas redes sociais. Grupinhos de cobardes que têm medo de dar a cara. Mas a máscara cai-lhes rapidamente. Querem exemplos?
Em breve neste blog. Mantenha-se atento.

Share

Ninfomaníaca

20 de Setembro de 2018

Depois de sabermos que dois fantoches decidiram sair do armário, sabe-se agora que a porca badalhoca e ninfomaníaca, a Piggy, terá assediado sexualmente um sapo, quando este ainda não tinha idade para sentir orgasmos. Não sei há quantos anos foi, mas só agora é que estas grandes notícias são reveladas.
O Mundo está a mudar…

Share

Marketing

19 de Setembro de 2018

Taxistas fazem publicidade a Uber, Taxify, Cabify e Chauffeur Privé. A custo zero.
Grande campanha de marketing a favorecer as quatro plataformas eletrónicas de transporte que operam em Portugal. 🙂 🙂

Share

Aliança

19 de Setembro de 2018

“Aliança Formalizada esta quarta-feira. A entrega das assinaturas no Tribunal Constitucional está agendada para as 16 horas. O novo Partido de Pedro Santana Lopes ganha forma legal, pouco mais de um mês desde o início da recolha das assinaturas. 9 meses depois de ter disputado as diretas para a liderança do PSD, quem imaginava a rutura de Santana Lopes com o seu PPD/PSD e a formação de um novo partido?” (in Expresso)

Share

As jeans de Costa

18 de Setembro de 2018

É um não assunto. Mas a coisa tem alimentado algumas discussões.
De um lado: Costa, de jeans, apanhado de surpresa pela recepção angolana. O primeiro-ministro, na chegada a Luanda, foi recebido com uma cerimónia de alas militares que não esperava (aqui)
“O primeiro-ministro não estava à espera que o Estado angolano lhe fizesse uma tão solene recepção no aeroporto, que incluiu alas militares. A surpresa apanhou António Costa vestido informalmente, de calças de ganga, sem gravata e de mocassins, lado a lado com o ministro angolano das Relações Exteriores, formalmente vestido. A imagem correu as redes sociais e até o deputado socialista Ascenso Simões, antigo director de campanha de Costa nas legislativas, criticou a indumentária com que o primeiro-ministro chegou a Luanda: “De calças de ganga e sem gravata numa chegada oficial com guarda de honra? Não havia necessidade, senhor primeiro-ministro”.”

Por outro lado escreve-se no Expresso: Desconheço o que se passou na cabeça de quem gere o protocolo nestas viagens, mas alguém cometeu um erro crasso. Não porque António Costa desembarcou do avião vestindo jeans, sem gravata e trajando um ar descontraído que até lhe fica bem. Mas porque o fez em Angola, num dia feriado dedicado à memória do herói nacional Agostinho Neto, demonstrando um total desconhecimento da realidade daquele país onde a formalidade é rei. Como não acredito que o tenha feito de propósito, alguém fez asneira e da grossa.

Pronto, essencialmente foi isto.
Agora, pergunto eu. Se o estadista português fosse uma mulher em que os jeans colocassem em evidência as linhas de um corpo perfeito, alguém se queixaria da fallha no protocolo? Vá, sejam sinceros. E pronto, podem chamar-me os nomes que quiserem. Who cares?

Share

Diário do Alentejo

14 de Setembro de 2018

Share

Correio Alentejo

14 de Setembro de 2018

Share

Ministro incomodado

10 de Setembro de 2018

Rui Rio reapareceu, atacou o Ministério Público e incomodou o governo, na pessoa do seu Ministro da Defesa, à boleia do caso das armas de Tancos que, parece, ninguém quer resolver.
O Ministro Azeredo foi para o FaceBook mandar umas vulgaridades, em defesa do seu Exército. Azeredo Lopes já tinha demonstrado, quando passou pela ERC, a sua incompetência, aliada a uma aversão a quem lhe belisque os interesses. Na sua prosa, AL afirmou que Rui Rio está a tentar partidarizar o Exército. Ora, parece que quem tem andado a transformar o Exército numa extensão do PS é o próprio Ministro. Se assim não fosse, o CEME há muito que tinha ido para casa (mas como é discípulo dos socialistas iria para vogal de uma qualquer empresa pública), dada a sua incapacidade em Comandar aquele ramo das Forças Armadas.
Parece que Rio acertou no alvo. Oxalá continue a dar umas estaladas nas incompetências que governam este país.

Share

Diário do Alentejo

7 de Setembro de 2018

Share

Cuba – Feira anual começa hoje

31 de Agosto de 2018

Share

António Costa: a (mentirosa) redução fiscal de 50% com 100% de incompetência

29 de Agosto de 2018

É uma jogada política clássica: primeiro lança-se a proposta na comunicação social amiga, para depois anunciá-la em comício partidário. Isto é propaganda digna da Coreia do Norte

É um longo artigo de opinião, mas vale bem a pena a sua leitura aqui.

Destaco alguns pontos:

2. Qual é, então, a promessa que o “Expresso” plantou a pedido de Costa e este aproveitou? António Costa promete introduzir uma taxa de IRS mais baixa (redução que poderá chegar aos 50%) para os jovens portugueses que emigraram até ao ano de 2015 e pretendam agora regressar ao nosso país. Aparentemente, trata-se de uma ideia ternurenta, cheia de compaixão socialista: os que tiveram de emigrar fruto da acção governativa “diabólica de Passos Coelho” podem regressar a Portugal em melhores condições. Lamentamos desiludir: a medida de redução de 50% (que nunca será este valor) é apenas mais um anúncio ridículo e fútil de um Primeiro-Ministro que se habituou a viver na e pela mentira. Na verdade, tal medida suscita problemas jurídicos, económicos e políticos.

3.1. Comecemos pelos problemas jurídicos. Em primeiro lugar, a medida foi-nos apresentada pelo porta-voz oficioso do Governo, Pedro Santos Guerreiro, como um imposto especial para jovens. Uma espécie de “IRS Cartão Jovem”, um “millenial IRS”. Ora, não existem impostos só para jovens, nem impostos só para idosos, nem impostos só para a meia-idade – há impostos para cidadãos e empresas (entendidas estas como desdobramentos dos interesses próprios daqueles que as criam, promovem, dinamizam). Impostos para certas categorias de pessoas, assentes na sua idade ou em qualquer outra característica pessoal e não nos rendimentos efectivamente auferidos, são inconstitucionais. Os impostos incidem sobre a propriedade em sentido amplo; e não sobre a personalidade.

(…)
4. Por último – em termos brevíssimos, pois este texto já vai longo (esperemos que à medida da sua paciência), há o problema político. Esta medida – recebida com “enérgicos aplausos” pelo Pedro Santos Guerreiro e os militantes do PS – é o equivalente ao cheque bebé de José Sócrates: uma medida engraçada, cheia de habilidade política, que não significa rigorosamente nada. Que traz mais desvantagens do que vantagens. Enfim, mais um acto da farsa que António Costa e o BE montaram. É uma medida poucochinha do António Costa poucochinho.”

Leia o artigo completo (aqui)

Share