Arquivo da Categoria ‘Autárquicas 2017’

Mercado de transferências

31 de Agosto de 2017

Dizem que termina hoje o mercado de transferências no futebol.
E na política local? Houve alguma transferência? Alguém mudou de camisola? E qual foi o valor do passe?
Atão vá!

Share

Almodôvar – Autárquicas 2017

28 de Agosto de 2017

O PSD do Baixo Alentejo volta a apostar todas as fichas na reconquista da câmara de Almodôvar. Se não houver estrondosas surpresas em nenhum dos outros 13 concelhos do distrito de Beja, será este o único município em que os sociais-democratas poderão ter ambições

Para ler aqui

Share

Trapalhadas

25 de Agosto de 2017

André Ventura, candidato do PSD à Câmara Municipal de Loures, disse o que se sabe sobre os ciganos. Também se sabe o que PS, PCP e BE disseram de André Ventura. O CDS rompeu a coligação/apoio ao candidato.
André Ventura e o PSD ficaram sózinhos.
Sózinhos?
Não!

A candidata socialista admite coligar-se a André Ventura e ao PSD. Disse a camarada socialista: “Acho que o André Ventura pode dar um bom vereador“. Obviamente que este jogo de cintura provocou reacções no próprio PS. O Bloco diz que a socialista leva a direita ao colo. O CDS questiona se António Costa não deveria retirar o apoio à candidata socialista.
Perante este pequeno tsunami em Loures, a candidata Sónia Paixão escreveu um “esclarecimento” na sua página do Facebook a garantir que afinal não pretende fazer qualquer coligação com André Ventura. E disse: “O título da notícia do Observador é abusivo na medida em que nunca expressei essa intenção”.

É uma táctica conhecida: quando tudo o resto falha, culpam-se os jornalistas. Mas não há abuso nenhum, nem equívoco: a candidata do PS disse mesmo aquilo.
Pronto!
Pronto? Não! Também o PCP, pela voz de Bernardino Soares, admite coligar-se com um “fascista”, “racista” e “xenófobo.
É a merda a que chegámos, onde deixou de haver coluna vertebral e a cintura baila ao sabor dos ventos.
Não se admirem quando o povo virar definitivamente as costas às urnas de voto.

Share

As ideias movem o mundo

23 de Agosto de 2017


Escreve Francisco Themudo de Oliveira em editorial na Rádio Ourique:
“(…)

Nesta pré-campanha para a eleição dos órgãos de poder local já se viu de tudo. Apresentações de candidatura, presença de políticos nacionais, calúnias e rumores, inúmeros posts de facebook, flyers, outdoors, injúrias pessoais, slogans de campanha, muitas reuniões de trabalho, vídeos, uma segunda leva de outdoors, apresentação das listas completas e sua posterior entrega no tribunal, até já temos o sorteio que define a posição dos partidos no boletim de voto. O que falta então? As ideias que cada um quer implementar.

As ideias, que deveriam dar corpo a todos os adereços de campanha estão ausentes, relegadas para segundo plano. Só sabemos quem quer lá estar, e não o que querem fazer.

(…)

Há uma sangria de pessoas, desde os anos 80, que tornam esta zona do país cada vez mais desertificada, mais envelhecida, com menos jovens e menos perspectiva de mais se fixarem.

A economia local não fixa e absorve emprego qualificado. Os postos de trabalho que aqui se criam são precários, mal pagos e não atraem jovens com qualificações – Fruto das assimetrias do território nacional, mas também da apatia local.

A água escasseia, temos uma seca extrema no nosso território e a agricultura de sequeiro sofre, a fauna e flora local começam a sofrer impactos graves. Mas um evento que devia ser excepcional já não o é. Todos nos lembramos da seca em 2005, das cheias em 1997 e agora desta seca de 2017. Eventos que antes eram um numa vida, começam a ser perigosamente mais recorrentes e o concelho de Ourique muito tem sofrido com isso.

Agora pergunto-vos, que têm dito as campanhas sobre isto? Sobre os desafios estruturais da nossa região. Que ideias têm? Não sabemos.

(…)

Façam promessas, digam ao que vão. Podem falhar e não cumprir, mas tentem! Se não o fizerem, e não forem as ideias a moverem os homens, seremos uns tolos a brincar ao jogo das cadeiras.

Leia aqui o editorial completo

Share

Calendário eleitoral

23 de Agosto de 2017

Ou a insustentável ingenuidade de um Presidente de Câmara que vive num muro de lamentações.
Então a geringonça serve para desbloquear alguns fundos para festas e foguetes e não serve para aquilo que é essencial?

Share

Das duas uma

21 de Agosto de 2017

Ou a geringonça existe mesmo nestas autárquicas* ou alguém no PCP misturou trabalho com conhaque.

* Aguardam-se comunicados de ambos os partidos 🙂

Nota: como o post foi apagado, calculo que o erro tenha sido efeito da mistura….

Share

Rocha e a cidade

18 de Agosto de 2017

O que disse o candidato comunista: “garante que o objectivo é “fazer obras, é fazer desenvolver a cidade e o concelho. Com todas as intervenções feitas na cidade e as que estão ainda a ser realizadas o objectivo é “criar uma cidade onde se possa viver
Este é um discurso saturado de tanto nada, que fede a vazio, encardido de peneiras.
João Rocha ilude-se a ele próprio. Ninguém o poderá levar a sério.
Silencioso durante 4 anos, aguardam-se as suas próximas ilimitadas vaidades. Seremos pacientes, mas não ficaremos emudecidos com os seus devaneios. Até que Outubro traga a mudança.

Share

Vidigueira – uma novela autárquica

14 de Agosto de 2017

O presidente, a namorada, o assessor. Uma novela no Baixo Alentejo.
Na terra onde nasceu Vasco da Gama, os ânimos têm andado às vezes exaltados. O presidente da câmara, eleito pela CDU, não apoia o candidato da CDU, e até o despediu. Tudo porque o PCP não lhe apoiou a candidatura da sua vice-presidente…e namorada. O PS arrisca ganhar. (leia aqui)

Share

Campanhas

11 de Agosto de 2017

Share

Pós-verdade

10 de Agosto de 2017

Escrevia eu ontem aqui: “Parece uma jogada de alto risco mas, estou em crer, nada vai acontecer. Tudo continuará na mesma”
Será este um exemplo de pós-verdade criado por JR e pelos seus seguidores?

Share

Ciganos – uma jogada de mestre

9 de Agosto de 2017

Beja – Vinte famílias ciganas foram notificadas para abandonar o local onde se encontram, caso contrário estarão sujeitas a uma “intervenção coerciva”.

O Bloco de Esquerda já veio a público acusar a autarquia de praticar “actos de discriminação contra a comunidade cigana”, intimando-as a levantarem as tendas até 10 de Agosto.

Vamos por partes.
Houve um tempo em que o PCP gostava da comunidade cigana (dariam alguns votos?) tendo sido num mandato comunista (2000) que foi criado um parque nómada, que se transformou em Bairro das Pedreiras, onde foram alojadas várias dezenas de famílias de etnia cigana.
Os anos foram correndo e o Bairro foi crescendo. Dizem que hoje é um gueto.
João Rocha assumiu a presidência da Câmara em 2013 e, desde então, desconhece-se que o autarca tenha tomado alguma medida para aliviar a carga negativa com que é visto o referido Bairro.
Chegados a 2017, e quando falta pouco mais de um mês para as eleições autárquicas, João Rocha determina que algumas dessas famílias devem “levantar tenda”.
Ora bem: JR, que já cá anda há muitos anos e dificilmente se deixa enrolar, arriscou uma jogada de mestre, dando a entender que quer limpar o Bairro ou, in extremis, “limpar a cidade”. Pura ilusão.

JR precisa de votos e sabe onde é que os pode ir buscar. Sendo Beja uma sociedade muito conservadora, é precisamente no eleitorado mais conservador (não politicamente) que JR quer entrar. Ouviremos dizer “finalmente alguém a acabar com esta pouca vergonha”. E na hora de decidir onde colocar a cruzinha, esta “limpeza” pode pesar.
João Rocha já terá percebido que as festas e foguetes não lhe vão aumentar a votação. Assim, é preciso ir buscar votos onde eles são improváveis.
Parece uma jogada de alto risco mas, estou em crer, nada vai acontecer. Tudo continuará na mesma e, na cabeça de alguns bejenses, ficará porém a ideia de ter havido uma efectiva intenção de expulsar famílias ciganas do Bairro das Pedreiras.
Amanhã cá estaremos para ver como se vão desenrolar os acontecimentos.

foto: Jornal Público

Share

Novidades?

9 de Agosto de 2017

Andava por aí muita gente com nervoso miudinho devido à “ocultação” do 5º nome da lista do PCP à CMB. Afinal, e tal como eu tinha previsto, os comunistas não nos trouxeram surpresas.
Novidades mesmo, só na lista de candidatos à Assembleia Municipal, não pelos nomes que nela aparecem, mas pelas ausências. À primeira vista reparo que Rodeia Machado e Fernando Silva se evaporaram. Susana Sobral também me parece não andar por ali (Informam-me que continua como candidata à AM). Em nome da renovação? Veremos.

Já no PSD, constata-se que abandonou as freguesias rurais, só concorrendo nas Neves. E às duas urbanas.
CDS concorre à CMB e Assembleia Municipal. Não percebi se concorre a alguma freguesia do concelho.

Share