Set 04 2021

Cidadania

Publicado por as 18:42 em Autárquicas 2021

Por todos os lados,por onde ando a passear, vejo candidaturas independentes, movimentos de cidadãos, que se candidatam a diversos órgãos autárquicos.
Verifico que em Beja todas as candidaturas estão ligadas aos partidos. Que razões estarão por trás desta falta de vontade de intervenção cívica? Medo? Apatia? Desinteresse?

Share

10 Resposta a “Cidadania”

  1. Vidente diz:

    MEDO, muito MEDO.
    Nesta terra só tem acesso às oportunidades, ao emprego, aos cargos de chefia no setor publico e até mesmo à boa vontade de quem atende nos serviços públicos, aqueles que exibem crachás do PS ou CDU ou tem algum padrinho poderoso com ligações a uma das duas “famílias”. A malta não quer afrontar os poderes instalados, com medo de ser proscrita.

  2. Beja é Linda diz:

    Aqui em Beja são independentes, com o apoio de vários partidos, mas há movimentos mesmo independentes exemplo mais cidadãos na vidigueira. Beja quando se vê os cartazes os candidatos “independentes” lá estão as caras do psd, cds,… será está nova de angariar novos militantes.

  3. João Pedro diz:

    Pior ainda, eu acho que é o Desinteresse total!

  4. valentim diz:

    Já agora, onde andam a Plataforma Alentejo, O Beja merece+, a AMalentejo? não seria expectável em momentos eleitorais uma maior visibilidade de mobilização? Quanto ás pseudocandidaturas independentes, de independente terão muito pouco!

  5. Prof diz:

    O debate emitido hoje à noite, previamente gravado, teve um surpreendente vencedor, nem mais nem menos que o Picadex.
    Paulo Arsénio péssimo.

  6. diz:

    Espinho, este tema dos movimentos e o porquê de não vingarem aqui é material para uma tese de sociologia.

    Como Bejense tenho pena de não sermos mais bairristas, de termos deixado a partidarite sobrepor-se ao nosso interesse comum.

    Comparando a partidarite á clubite, era como se o Benfica ou Sporting viessem jogar contra equipas de Beja e os Bejenses apoiassem os “grandes”.

    Lembro por exemplo o caso do Beja Merece +, para mim uma oportunidade perdida, pois houve uma altura no tempo em que o movimento agregou pessoas de diferentes quadrantes politicos, faltou dar o passo em frente, acrescentar ás revindicações que foram a origem do movimento, todas as outras que fazem parte da nossa realidade comum.

    Esse tinha sido um caminho interessante pois obrigava-nos a sermos responsáveis pelo nosso destino, e provocava todo o tipo de debates de modo a definirmos prioridades no que queremos para o nosso concelho.

    O que observamos da parte dos partidos que concorrem ás autárquicas, é um discurso em que se torna difícil descortinar diferenças entre eles, senão vejamos, todos defendem as acessibilidades, o desenvolvimento económico, o centro histórico e mais não sei quantas medidas generalistas.

    Mas será que é mesmo isso que precisamos? São essas as prioridades? O desenvolvimento económico é todo igual? Só há uma via para o desenvolvimento?
    Acho que primeiro tínhamos que assumir a nossa identidade, as nossa tradições e costumes, a nossa ruralidade.
    Acho que primeiro tínhamos de ter orgulho em dizer “sou Bejense”.

  7. Pote diz:

    Prof, não devemos ter visto o mesmo debate com certeza, o Picado limitou-se a falar no programa que tinham em 2017 até o jornalista lhe faz referencia a esse facto. Fala em estagnação de Beja mas esquecesse que estiveram à frente da autarquia por 40 anos, de quem será a culpa do estado em que esta Beja?

    O Prof Palma Ferro, voltou a ser uma desilusão, como é possível afirmarem que é o candidato que vai galvanizar a direita no concelho de Beja, fraco muito fraco.

    O candidato do Bloco de Esquerda foi ao debate?

    O debate foi fraco, muito fraco, mas destaco o Paulo Arsénio pelo facto de ter informado os munícipes que não só conseguiu baixar a divida da CMB num contexto pandémico como consegui angariar 15 milhões de euros para efectuar obras importantes para Beja e investiu mais 5 milhões de euros em obras da tesouraria do município.

    Também desconhecia a redução de custos que existiu neste mandato com os transportes das freguesias rurais para a cidade.

    Ponto importante para todo o Alentejo quando o Paulo Arsénio informou que o resto da autoestrada/IP irá ser concluído nestes 4 anos.

  8. debeja diz:

    Pote,nestes 4 anos??? vou ver outra vez, pareceu-me que disse entre 2025/2029….

  9. Antunes diz:

    Pote @ – – – você já parece aqueles fundamentalistas do PC que rapidamente transformam a maior derrota numa brutal vitória. A prestação do Paulo Arsénio foi perfeitamente patética, com aquela estrondosa vitória da contagem Covid. Pelo menos não veio a terreiro o número das Led. Muito triste para um Presidente em funções.

  10. Carlos diz:

    Pote, o prof ainda chegou a tempo da festa do avante para assistir ao debate 🤣

Deixe Uma Resposta