Mai 26 2021

Orientem-se

Publicado por as 11:34 em COVID19

Ocorreram novas confusões relacionadas com a resposta à pandemia de Covid-19 e que começaram com o secretário de Estado da Saúde a anunciar que haveria uma aceleração da vacinação na região de Lisboa na faixa dos maiores de 30 e 40 anos. A task force liderada pelo vice-almirante Henrique Gouveia e Melo confirmava pouco depois ao Observador que Lisboa, afinal, não vai ser exceção: a vacinação nessas faixas etárias arranca ao mesmo tempo em todo o país. Já não evitou o protesto de Rui Moreira que considerou de imediato “inaceitável” que houvesse uma exceção para a região de Lisboa. Ainda sobre Lisboa, o jornal Público noticia que mais de 5 mil empresas do concelho optaram por não recorrera ao programa de testes gratuitos do município.

NOTA: chegará o dia em que governantes e o VALM Melo vão medir forças. Vamos depois ver como se comporta o Costa.

Share

2 Resposta a “Orientem-se”

  1. José Carlos Bengala diz:

    100% VALM Melo, o homem que fixou regras mais justas para a vacinação e que me parece já não haver tantos desvios. Parabéns Gouveia e Melo.

  2. CarlosC diz:

    Chegámos à fase do descontrolo: bem podem dizer que vão vacinar toda a gente, mas sem vacinas nem logística não serve de nada.
    No portal do agendamento de momento ainda só está disponível para maiores de 55 anos: mas mesmo para esses experimentem agendar: não existem datas disponíveis.
    Experimentei agendar para um familiar e em TODOS os centros de vacinação de Lisboa, Sintra, Cascais, Amadora o resultado é sempre o mesmo: não existem datas disponíveis.
    O agendamento por faixas etárias tinha pelo menos a vantagem de permitir gerir melhor a afluência aos agendamentos, e já agora era um critério fácil de entender e de alguma forma “isento”.
    Com o todos ao molhe, a confusão nos pontos de vacinação será a norma e não a excepção – com as filas sem distanciamento social, quem for tomar a vacina corre o risco de vir de lá com o vírus.
    Por isso com sorte espero ser vacinado até final do ano (mesmo assim duvido porque nessa altura já estaremos na fase da 3ª dose…) – mas também já estou habituado a ser português de 2ª: sou um dos que paga impostos mas não tem médico de família, por isso nada de novo.
    Começo já a ver é a discriminação que está já a ocorrer entre os vacinados e os não-vacinados – ainda há dias numa empresa ouvi um dos directores dizer que a partir de Junho não aceita “como desculpa” não estar vacinado para não ir trabalhar presencialmente, pois “como toda a gente sabe” já se vão poder vacinar…

Deixe Uma Resposta