Abr 29 2021

O Superparafuso

Publicado por as 14:31 em A minha cidade

O artigo de opinião de Paulo Barriga é extenso, mas é daqueles de leitura obrigatória. (para ler aqui)

Porém, destaco estas notas:

    (…)”assim que me ocorra não há Câmara pingada que não tenha o seu gabinete de informação e de comunicação. Que não dissemine os seus afazeres e arrelias através de boletins, notas informativas, cartas noticiosas, saraus radiofónicos, comunicados de imprensa… Concordo de pés juntos, já o disse, com tudo isto e com tudo o mais que a fértil imaginação de um autarca propagandista (todos eles) possa urdir para comunicar connosco. É assunto importante, este, o de manter a populaça informada. De tal forma “importante” que nenhum sô-presidente se escusa, ele próprio, a ter este setor sob domínio particular, estimadinho, por debaixo da almofada, ali bem ao alcance da sua corrigível-incorrigível-corretora esferográfica. Azul.

Depois de “descascar” Serpa e Moura, Paulo Barriga vira-se, com objectividade, para Beja.
E faz um preâmbulo:

    “(…) há dois anos pude fazer, com bolsa da Fundação Gulbenkian, uma ampla investigação jornalística sobre a cultura dos olivais em Alqueva, trabalho que foi publicado em três edições consecutivas da revista Sábado. Não sei precisar se falaram para a reportagem sete ou oito dezenas de pessoas. Sei que falaram todas aquelas que achei por conveniente contactar. Sem exceção? Não, claro! Apenas uma se furtou à conversa, nunca devolvendo os sucessivos contactos ao longo de um ano – o autarca de Beja. Que, nem por acaso, governa o concelho com maior pressão e más-práticas de culturas intensivas dentro dos blocos de rega. Feitios? Não, defeitos meus! Não frequento as redes sociais.

E depois, depois vem aquilo que eu tenho apontado tantas vezes.
Leiam :

    Bem sei que há gente que acha muito salutar os seus iluminados autarcas, partilharem picuinhices nas redes sociais. Também não tenho nada contra. É coisa de “amigos”, afinal. O que me entristece e nauseia é quando esses ajuntamentos virtuais em torno do líder absoluto se transformam no único meio de aceder a informações da vida corrente de uma instituição pública, eleita, como desconfio que seja a autarquia de Beja. Concentrar na página pessoal (e por isso privada) do presidente-rei a divulgação exclusiva de informações e acontecimentos que são de natureza coletiva é de uma regressão civilizacional a toda a prova. Parece coisa dos livros de quadradinhos.

E o remate final, aquele que Paulo Arsénio teima em não perceber, tal a opacidade da “bolha de felicidade” onde vive:

    “Mantendo a publicitação dos seus feitos heroicos na esfera dos indefetíveis “amigos”, clube privativo onde não entra crítica nem contraditório e muito menos reprovação, o autarca reina na sua segura e leal Pequenópolis. Terra noutros tempos devastada pela anarquia informativa, mas que hoje anda de trela bem apertada ao garganhoto. E, em toda e qualquer urgência, lá está ele, redentor, debaixo de capa esvoaçante ao estilo Marvel, sob aplauso e ovação do seu assanhado povinho, a tratar das urgências inadiáveis. Seja roscando uma lâmpada de tecnologia moderna num velho candeeiro de rua, aplicando uma abraçadeira numa árvore que teima a entortar no canteiro, anunciando o número de dobradiças, de anilhas e de buchas que hão de valer às milhentas obras em curso. Tcharam-tcharam”
Share

27 Resposta a “O Superparafuso”

  1. Filomena diz:

    Parabéns Paulo Barriga, pois através do seu texto consegue retratar exactamente o que eu, e muitos Bejenses, pensam desta péssima gestão, a todos os níveis, do Dr. Paulo Arsénio.
    Mais uma vez obrigado.

  2. Kim Jong-un diz:

    Este amigo é daqueles que não calcava no meu império. Tipo inteligente, mas perigoso. Se eu estivesse no lugar dos camaradas socialistas, tratava de o despedir… porque é que não o despedem? Ahahahaha

  3. diz:

    Um bom texto do P Barriga, a provar que a liberdade de expressão existe.

    Concordo com ele que a nível de comunicação este executivo podia ter estado melhor, mas os exemplos que ele deu têm índoles diferentes e o caso de Beja é bem diferente dos outros que ele apresentou.

    Arrisco dizer que o Barriga conhece bem melhor o Arsénio do que eu, e do pouco que eu conheço o PA, também arrisco que o PB vai concordar com o que eu vou dizer.
    Tenho a certeza que o PA é capaz de fazer uma autocritica e tentar corrigir o que possa ter corrido pior neste mandato, se ganhar um segundo.

    Não gosto de redes sociais, mas acredito que o PA utilize a sua página pessoal para comunicar assuntos camarários por julgar que é a forma mais eficiente de chegar ás pessoas. É capaz de ter razão porque se fosse uma página oficial de FB ninguém lá ia, assim, aproveitando a natural cusquice das pessoas, vai dando aquelas “noticias”.

    Concordo também com o PB que devia haver mais “procura” e todo o acesso do jornalismo ao que se passa nos diferentes serviços públicos.
    Será que o problema é o modo de financiamento dos meios de comunicação?

    Quanto ao que PA publica, parece mais feitio do que defeito, o PA é meticuloso, “picuinhas”, deve ser defeito profissional, vai ao detalhe.
    Eu ficava desiludido era se o PB, no seu trabalho de investigação, viesse dar conta que todas essas lâmpadas e abraçadeiras tinham sido utilizadas para proveito do próprio.

    Nesse particular julgo estarmos descansados e todos concordamos que PA é um individuo integro e honesto o que face ao panorama que todos vamos assistindo a nível nacional, com muitos casos de autarcas a governarem-se, o PA faz parte do grupo de todos os outros que procuram servir as suas populações o melhor que podem e sabem.

  4. João Espinho diz:

    @ze – conheço tão bem a tua escrita…😂

  5. Pinho diz:

    @ Zé – todos já te toparam há muito tempo.

  6. diz:

    Estou a ver que também concorda comigo….LOL…senão vinha dai algo mais áspero.

    Espinho, há um assunto que gostava de discutir consigo.
    Um dos termos que o Espinho costuma utilizar quando não lhe agrada algo é “atirar areia para os olhos”.

    Pois foi mesmo essa a primeira impressão que me causou a candidatura á autarquia pelo PSD.
    Porquê tanto jogo escondido?
    Porquê deixar passar a ideia de que é uma candidatura de um movimento independente?

    Aceito que o Nuno possa ter um discurso conciliador e capaz de atrair votos de diferentes quadrantes, mas tem de assumir o que é, e ele é o candidato do PSD + CDS á câmara …. nem um único símbolo do partido põem …

    Isto também é atirar areia…não é Espinho?

    Actualização: afinal é PSD+CDS+IL+PPM+Aliança…quer ver que o CHEGA vai debaixo do tapete…LOL

  7. João Espinho diz:

    @Zé- não me diga que a candidatura do Nuno Ferro está a fazer tremer as tropas alucinadas por Arsénio!?
    Consulte as diversas candidaturas da coligação PSD/CDS e veja quantos símbolos encontra.
    Quanto à areia nos olhos, ela foi quase toda para a praia dos 5 reis.

  8. Irish diz:

    Grande texto….já de seguida vem o primo da Amora fazer o primeiro ataque é tipo “cão de fila”, aquele que caiu de paraquedas em Beja e já tem tacho!

  9. João Espinho diz:

    @irish – o Patriarca? Grande jogador….

  10. Marco Lopes diz:

    @zé, a liberdade de expressão existe mas é curta, muito curta mesmo.

  11. Gatinho diz:

    @Espinho – – – as cabeças pensantes do PS, todas a trabalharem ao ralentti, só agora é que começam a perceber que a candidatura do Nuno Palma Ferro é uma enorme ameaça à bolha de felicidade do Paulo Arsénio e seguidores.
    Estou é a ficar preocupado com o Patriarca, e outros Patriarcas, que têm andado a lamber as botas ao Paulo Arsénio e arriscam-se a ficar sem tachos.

  12. Lu Marques diz:

    O Patriarca atinge o clímax quando o Arsénio o escolher para Director de Comunicação da CMB e a esposa para vereadora (a substituir a invisível Marisa?

  13. MuitoAtento diz:

    Mas o Vitor Picado ainda tem um bom trunfo pois escolher Manuel Narra para adjunto ou chefe de gabnete. Tem rasgo, carisma, muita experiência e é capaz de meter os serviços da câmara a funcionar como deve ser.

  14. diz:

    Espinho, é verdade, sou meio alucinado, mas não é com o Arsénio e muito menos com o PS, já com Beja….

    Beja afinal é das poucas coisas que conheço bem, já são alguns anos.
    Confesso que quando passo por algumas ruas alucino e revejo os mesmos passos com menos 20, 30 ou 40 anos.

    Foram muitos anos de sangria dos nossos melhores para outras paragens, a tal falta de massa critica, ficamos nós, os mais burros, é fácil de verificar pelos comentários nas redes, com uma visão da politica do tipo Sporting x Benfica.
    Exceção feita, claro, a alguns uns mais inteligentes, como o caso do Barriga e outros Barrigas.

    A politica está podre, faz falta uma rutura, e se alguns tentam que algo mude, são mais os que fazem para que tudo fique na mesma. Veja-se o caso da justiça, com os juízes a não quererem mexidas nos seus domínios, é lenta, obsoleta e desigual, pois são muitas as portas de escape para quem pode pagar a “bons” advogados.

    Já os partidos e os lugares que ocupam quando são chamados a governar, regem-se por compromissos duvidosos, favores e amiguismo, mais fazendo lembrar uma empresa de gestão familiar.

    Os meus avós andaram á monda, como os de muitos Alentejanos, é por isso que me custa ver a atual exploração de quem trabalha agora no campo, os partidos pouco falam disso, não lhes interessa, não votam, arrasa o milagre da agricultura “moderna”, baseada em baixos salários (400€), a pagarem rendas a preços de Lisboa com carradas deles enfiados na mesma casa.
    Quem aluga as casas está caladinho, não têm cor partidária, não há autoridades que fiscalizem e os tais jornalistas de investigação estão mais preocupados co lâmpadas e abraçadeiras, coisa de gente esperta.

    A mim não me aquece nem arrefece quem ganhe as próximas eleições autarquias, como todos parecem estar de acordo e não se cansam de repetir, aqui em Beja somos poucos e sabemos pouco.
    Para mim a prioridade era não voltar a ganhar o PCP, pois já deram provas que colocam Beja ao serviço do partido em vez de ser o contrário.
    Se fossemos minimamente espertos já se tinha posto a hipótese de algum tipo de entendimento nesse sentido.

    Bom já chega de alucinar, porque na ultima alucinação que tive vi uma bandeira azul em 5 Reis…chega de areia Espinho?

  15. Toninho diz:

    @irish,qual é o tacho do Patriarca?

  16. Mefistófeles diz:

    Aí Gatinho!…Os tachos mudam como muda o cozinheiro e os ingredientes, embora muitas vezes a receita seja clássica!

  17. atento diz:

    Uma comitiva governamental dirigida pela ministra da Cultura veio hoje a Beja para a apresentação de um projecto chamado Futurama. Até aqui tudo bem mas não é bem assim. Nesse projeto entram os municípios de Serpa, de Mértola e de Castro Verde mas o de Beja não. Dizem as más línguas que quem tomou essa decisão foi a Generala que veio de Évora pôr a Cultura de Beja na ordem. Segundo ela na câmara de Beja a arte contemporânea não tem lugar.
    E o senhor presidente não diz nada sobre isso? Não tem tempo para um post na sua página do Facebook?

  18. João Espinho diz:

    @atento – O projeto vai decorrer nos concelhos de Beja, Castro Verde, Mértola e Serpa. 

  19. atento diz:

    Decorre nos 4 concelhos mas só três câmaras aderiram. Na cerimónia de apresentação só os representantes dessas câmaras falaram. Paulo Arsénio era o anfitrião da comitiva mas não teve direito à palavra.
    Um jornalista presente na cerimónia escreveu isto:
    Trata-se de um projeto “colaborativo, transfronteiriço e multidisciplinar” que tem como “parceiros estratégicos” as câmaras municipais de Castro Verde, Mértola e Serpa, assim como o apoio da Direção-Geral das Artes, da Direção Regional de Cultura do Alentejo e da Fundação Millenium BCP.
    Até pode ser que a câmara de Beja tenha aderido depois dessa barraca. Mais vale tarde do que nunca. E a tal Generala já merecia um bom puxão de orelhas. Mas há valores mais altos que se levanta e isso nunca deverá acontecer neste executivo.

  20. Papa diz:

    Patriarca: junta de freguesia de Albernoa e Trindade, junta de freguesia de Salvador e Santa Maria.

  21. Geraldes diz:

    Contra o nepotismo do PS de Beja tudo a votar no Nuno Ferro.

  22. Lu Marques diz:

    Já agora, continuo a aguardar a nomeação do Chefe da Educação na CMB.

  23. João Espinho diz:

    @Lu – esse é o parto mais difícil. Muita galinha para um só poleiro.

  24. Bejense diz:

    A Generala nomeou uma Brigadeira para chefe do Centro Unesco. São as donas disto tudo na cultura de Beja. E esta ainda é a voz do dono, tem medo de ser despromovida em outubro.

  25. Lu Marques diz:

    BEJENSE – – A generala ainda por cima sente que os Chefes são moles, e então espezinha-los todos.

  26. mefistófeles diz:

    “Espezinha-los todos”? Em português arcaico ou futurista? “Generala” será feminino de “general” no Brasil, que se compreende por manifesta influência das novelas da Globo que consumimos a rodos!
    Agora é que vai ser!…Com “generalas” ou sem!

  27. debeja diz:

    Grande Paulo Barriga!!!Disse tudo!

Deixe Uma Resposta