Abr 24 2020

Bom fim-de-semana

Publicado por as 16:50 em Fotografia


foto: Galina Zhizhikina

Share

22 Resposta a “Bom fim-de-semana”

  1. Matilde diz:

    Esta é a anfitriã da praia dos cinco reis que será inaugurada em breve. Os novos chefes de divisão, há pouco tempo chegados, integrarão uma equipa multidisciplinar que fará a seleção dos banhistas que terão que usar máscara apenas nos rosto!!!

  2. João Espinho diz:

    @matilde – não estrague a fotografia de Galina Zhizhikina. 🙂

  3. Santos diz:

    É tudo muito engraçado só que a brincadeira da praia vai custar, pelo menos, 1.000.000 € ao Bejenses.

  4. João Espinho diz:

    @santos – onde é que foste buscar esse número?

  5. valentim diz:

    Julgo que o concurso foi aberto pelo valor base de 700 000€! No entanto, pela experiência quotidiana, acredito que entre erros, omissões, trabalhos a mais, alterações em obra, etc, venha a custar bem mais que isso, mais perto do valor que @santos refere! É a prática corrente neste pequeno burgo!…Infelizmente, as obras custam sempre mais do que o valor apurado!

  6. João Espinho diz:

    @valentim – mas agora vai ser diferente. Com PA na presidência, prazos e contas de excelência.

  7. Santos diz:

    A CMB orçamentou em 800000 €, se contarmos ainda com os habituais desvios, mais os acessos em condições, duvido que a brincadeira fique abaixo do 1.000.000 €.
    Para outra reflexão seria interessante saber se os responsáveis conhecem bem a estrutura dos solos – barros pretos – em que o areal ficará assente.

  8. Santos diz:

    só mais uma achega. Terão sido realizados estudos geológicos adequados e competentes? Cobrir Barro Preto Calcário com areia e depois encharcar com água, a areia desaparece entre o barro em menos de um foguete.
    O Paulo Arsénio é o Luís Miranda não teriam sido alertados para a estrutura do solo?
    O que dizem os ambientalistas ao facto de os banhistas irem estender as toalhas junto à um olival superintensivo, com tratamentos de 10/15 dias no Verão?
    Qual o rebuçado que receberam do PS e do Paulo Arsénio?
    Por fim vejo o Jornalista do Público, Carlos Dias, sempre tão interventivo em questões ambientais do mais calado!!!

  9. valentim diz:

    É caso para perguntar: não haveria mais nenhum sítio no concelho para fazer uma “charca”? Com esse dinheiro havia com certeza alternativas do ponto de vista económico, paisagístico e ambiental!…E os terrenos eram propriedade pública ou foram adquiridos a algum sortudo? Não sei se alguém conhece verdadeiramente o projecto e os respectivos estudos ambientais, geotécnicos, hidráulicos, etc!…E a qualidade da água balnear é assegurada com que pressupostos técnicos e custos?
    Enfim, muita coisa me parece um pouco estranha no meio disto tudo!

  10. Pecador diz:

    @Santos , espero bem que o Paulo Arsénio e o Luis Miranda tomem atenção ao facto que aqui relatou no que diz respeito ao efeito do barro na areia da praia.
    A não ser que o facto da barragem ter sido quase esvaziada, terem sido removidas toneladas de barro e tenha sido colocada uma tela de impermeabilização tenha resolvido o problema.
    @Valentim, a sorte é que não pensamos por lá os pés….
    Nós aqui em Beja somos fracos no Futebol, praticamente insignificantes em qualquer modalidade desportiva, mas em má língua….vai lá vai….

  11. valentim diz:

    @Caro pecador- Não sei o que o leva a considerar que se trata de má língua o facto de me interrogar e levantar dúvidas (a inteligência é único meio que temos de dominar os nossos instintos) sobre o avultado investimento que é feito nesta “praia fluvial”.
    Diga-me lá quantas praias fluviais conhece no País, dignas dessa designação, que sejam realizadas no meio de culturas intensivas, em solos de grande aptidão agrícola? Nem sequer acha minimamente estranha esta opção? E por outro lado, apesar da escolha recair sobre aquele local, não lhe causa qualquer receio o facto de se tratar de um reservatório de água que recebe naturalmente por gravidade as escorrências de pesticidas e fertilizantes das áreas envolventes?…Como presumo que nunca foi explicado à população residente, como é que se garante a qualidade sanitária e ambiental da água balnear (afinal onde as pessoas vão nadar), fica sempre no ar essa dúvida!…Ou então sou eu que estou para aqui preocupado com ninharias, não é?… Passe bem.

  12. Pecador diz:

    @Carissimo Valentim, o síndroma de Velho do Restelo é bem conhecido em Portugal e infelizmente encontra-se inflamado em Beja.
    É a feira que não serve, o aeroporto é um elefante, gastou-se aqui em vez de acoli, a culpa é de Évora etc etc, uma ladainha já com barbas.

    Tudo bem, já tenho anos suficientes para concluir que é só da boca para fora, porque depois é só perderem o Castelo de vista começam logo a cantar.

    Mas depois há as inteligências superiores que no meio da má língua aproveitam para deixar suspeitas no ar.

    Então chamar charca a um projecto com alguma dimensão não é má língua?
    Acha que a qualidade da água não irá ser monitorizada? Os seus estudos científicos dizem-lhe que é mais perigoso que o fumo dos carros no ar que respira? Ou ainda mais perigoso que todos os aditivos nos alimentos que consome?

    O que já vai caracterizando a sua extrema inteligência são as suspeições impunes que gosta de deixar no ar…”propriedades adquiridas a algum sortudo”….a tal ” prática corrente no Burgo”….

    Olhe, eu passar bem, passo sempre bem, mas passava melhor sem os seu comentários maldizentes.

  13. João Espinho diz:

    @pecador – vamos por partes. Dizer “velho do Restelo ” é uma expressão caída em desuso. Diga idosos do Restelo
    Sem vir em defesa de ninguém, sugiro cautelas no uso da “má língua”. Ela
    é transversal a todas as cidades e a todos os meios sociais e políticos. De resto, sobram questões que não vi respondidas. E que, objectivamente, não se enquadram na má língua. Já agora, sabe dizer-me quem vai ser o concessionário da praia?

  14. Pecador diz:

    @Espinho a má língua é desporto nacional e Beja está na Primeira Liga.

    Se uns turistas pedirem informações a um Bejense com a escola da Meia Laranja das Portas de Mértola sobre a Praia Fluvial a resposta vai ser:
    – Épa não vá prá ai, é uma charca e apanha uma infecção que lhe cai a pele toda.

    Se calhar a piscina…
    -Nem pó, é um lava pés cheio de gitanos, ainda agarra piolhos…

    E um bom restaurante?
    – Quer ser roubado? Esqueça isso, só servem porqueras e ainda cobram.

    E onde é o Castelo?
    – Ui, nunca vai lá dar, é por umas ruelas velhas, bom bom era o Depósito da Água (como tudo que já morreu).

    Bom….sendo assim good by
    – Saude….(assim que os camones viram as costas)….porra…com tanta gente ai logo a mim é que me tinham de moer.

    @Espinho, devíamos pelo menos procurar passar outra imagem e outra atitude aos os mais novos, está visto que” Burro Idoso” não aprende línguas.

    Quanto ao concessionário não se preocupe…não vai prestar de certeza.

  15. João Espinho diz:

    @pecador – está enganada. A má língua só chegou a Beja desde que Paulo Arsénio é presidente. Antes eram só críticas justas e fundamentadas. Sim, os seus amigos socialistas sempre disseram o melhor da cidade. Essa cegueira militante não lhe augura nada de bom.

  16. valentim diz:

    @Pecador- Já vi que não vale a pena discutir os assuntos de modo objectivo, porque afecta sensibilidades!…Se fosse para lhe dar razão, dava naturalmente, não para lhe fazer o jeito, mas porque concordava com os seus argumentos!
    Sabe que eu como muita gente gosto de me interrogar sobre o que me rodeia, e como costumo pensar pela minha cabeça, procuro intervir para suscitar interlocução saudável e trocar opiniões quando acho que oportuno (é isto que a democracia representa). Lamento que não aceite de bom grado a divergência de opinião, mas deixe-me dizer-lhe que isso também é um hábito muito frequente na nossa Praça!…As dúvidas que levantei pareceram-me objectivas e relevantes, caso contrário ter-me-ia abstido de comentar…Também acho que a sua generalização no que à crítica bejense diz respeito, usando exemplos que até podem ser graciosos, mas completamente descontextualizados, é um exercício pouco edificante para o debate de ideias!
    E aproveito para lhe dizer que na instituição onde trabalho, estamos há alguns meses a ultimar um projecto para uma praia fluvial (com valências náuticas, turísticas, culturais, etc) no Alentejo, e também nos colocámos algumas das questões que levantei; foram necessários muitos estudos de várias especialidades, avanços e recuos, para se garantir junto das entidades públicas a qualidade da água balnear, as questões ambientais, cinegéticas, piscatórias, de afectação dos recursos naturais, das acessibilidades, etc…
    Não me considero velho do restelo, mas conheço a realidade de que falo por força das minhas obrigações profissionais!
    Fique bem.

  17. Pecador diz:

    @Espinho, acabei de ler e não queria acreditar…afinal a sua defesa reforçou uma antiga aliança.
    @Valentim, obrigado pela sua explicação, agora sim entendi…por esta não estava à espera.

  18. João Espinho diz:

    @pecador – não seja parva.

  19. Pecador diz:

    @Espinho, parva???….fica registado….quando não ser tem cara para levar um sopapo não convém abusar da sorte.

    Podes ficar descansado que eu não deixo tão baixo…. e já não te vou dar ocasião de me ofenderes outra vez.

    Mas não te fies porque há dias ruins….

  20. João Espinho diz:

    @pecador – aquela insinuação de defesa de uma antiga aliança foi mesmo má língua, não foi? Há dias assim.

  21. Patolas diz:

    Almeja-se um observador juliense “piquenino”, mas com muito bolo-rei, strogonoff e vodka laranja… em amena fofoca.

  22. Praça da República » Bom fim-de-semana diz:

    […] No passado “bom fim-de-semana” coloquei uma imagem que deu origem a vários comentários. Vão lá ler (ver aqui). […]

Deixe Uma Resposta