Abr 03 2020

COVID-19 em Portugal – ACTUALIZAÇÃO

Publicado por as 14:27 em COVID19

Acompanhe aqui a evolução dos dados provenientes dos boletins diários oficiais da Direcção Geral da Saúde.

1 – Há 9886 pessoas infetadas com o novo coronavírus, 246 mortes e 68 recuperados em Portugal, informa o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) desta sexta-feira (3 de abril). Nas últimas 24 horas, foram confirmados mais 852 casos – um aumento de 9,4% face a ontem – e 37 mortes, o que representa uma subida de 18% em relação ao dia anterior. Regista-se hoje também a primeira morte na região do Alentejo.
Estão internadas 1058 pessoas, 245 nos cuidados intensivos (mais cinco do que na quinta-feira). Aguardam ainda resultados das análises laboratoriais 5392 pessoas e mais de 22 mil estão em vigilância pelas autoridades de saúde.

2 – GNR e PSP juntas em mega-operação:
2a.- Ações dentro das cidades:

Policiamento onde há tendência para maiores aglomerações de pessoas e também zonas sobrevoadas por drones com som para controlar e avisar ajuntamentos — que as regras definem agora que passam a estar limitados ao número máximo de cinco pessoas;

GNR admite uso de drones também para detetar fluxos rodoviários;
Locais de fruição pública (espaços públicos, zonas históricas e turísticas) também serão fiscalizados por polícias e sobrevoados por drones;

2b. – Fora das cidades:

As forças de segurança vão apertar a fiscalização nos principais eixos rodoviários, sobretudo aqueles que fazem a ligação entre o centro e as maiores cidades do interior e também ao Algarve;
A fiscalização será feita também em itinerários complementares;
Vão existir operações não só para controlar saídas do concelho como também nas entradas, “para ver se no domingo ou na segunda-feira se verifica o regresso de algumas pessoas para as advertir” para as alterações da lei para o período da Páscoa;
Ambas as forças de segurança admitiram que podem ter mão mais pesada. As ações visam sobretudo a “sensibilização” da população, mas Luís Elias, da PSP, admite que pode ter “perspetiva mais coerciva se for caso disso”. Vítor Rodrigues, da GNR, falou no mesmo sentido: “Se for necessário sermos mais rigorosos, sê-lo-emos”.

Em caso de apresentar sintomas coincidentes com os do vírus (febre, tosse, dificuldade respiratória), as autoridades de saúde pedem para que não se desloque às urgências, mas sim para ligar para a Linha SNS 24 (808 24 24 24) ou para a unidade de cuidados primários mais próxima.

Share

Deixe Uma Resposta