Mar 31 2020

COVID-19 em Portugal – ACTUALIZAÇÃO

Publicado por as 14:07 em COVID19


Acompanhe aqui a evolução dos dados provenientes dos boletins diários oficiais da Direcção Geral da Saúde.

1 – São 50 os casos confirmados de COVID-19 no Alentejo, segundo o relatório apresentado, nesta terça-feira, pela Direção Geral de Saúde (DGS), o que significa que, em 24 horas, esta região registou mais 5 casos. (daqui)

2 – A região do norte continua a registar o maior número de casos, embora não esteja a ser equacionado mais nenhum cerco sanitário no país, esclareceu o secretário de estado da Saúde, no dia em que o número de infetados cresceu 16% em relação a ontem. Os concelhos com mais casos no país são, por ordem: Lisboa (505), Porto (462), Vila Nova de Gaia (338), Gondomar (298), Maia (293) e Matosinhos (273).

3 – A maior parte dos óbitos ocorridos em Portugal (84%) continuam a dizer respeito a pessoas com mais de 80 anos. Embora também haja dois mortos entre os 40 e os 49 anos e seis entre os 50 e os 59. 55 infetados tinham entre 60 e 79 anos.

4 – Quanto ao número de recuperados, que se mantém inalterado (43) há seis dias, o secretário de estado da Saúde, António Lacerda Sales, diz que isto acontece por se tratar de um “doença de convalescença lenta” e por ser mais difícil ainda dar altas a quem está internado em casa, até porque têm ser obtidos dois testes de despistagem negativos.

5 – Câmaras criticam a decisão da tutela de não começar a testar lares nos distritos onde há mais casos de covid-19. Das dez cidades com mais infetados, só em Lisboa vão ser feitos testes nesta fase. Associação de Gerontologia diz que 10 mil testes são insuficientes.

6 – O ministro Adunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, admitiu esta manhã no Fórum TSF a possibilidade do Estado vir a nacionalizar empresas, caso seja necessário para combater as consequências económicas do surto de Covid-19. “O Estado tem ferramentas para nacionalizar empresas e vai usá-las se achar conveniente“, disse o governante. O estado de emergência decretado pelo Presidente da República abre margem a essa possibilidade.

Share

Deixe Uma Resposta