Jan 22 2020

Se não for em Junho…

Publicado por as 17:05 em A minha cidade

As intervenções para a construção do “Parque Fluvial dos 5 Reis” começaram na semana passada.
Paulo Arsénio, presidente da Câmara de Beja disse à Rádio Pax que o Parque Fluvial poderá “ser usufruído no Verão deste ano”.
Por isso, vamos ter praia. Se não for em Junho, será em Julho ou Agosto. Setembro também é um mês com boas temperaturas. Preparem fatos de banho “rural style”, pois a praia fluvial de Beja vai abrir telejornais e aparecer nas capas das revistas jet-set.
Viva!

Share

12 Resposta a “Se não for em Junho…”

  1. Amigo da Coesão diz:

    Se os Amigos da Coesão viessem cá depois da inauguração da praia podiam ir dar um mergulho. Mas nem para isso tinham tempo. O presidente da câmara já esclareceu na sua página do facebook que eles chegam para o encontro perto do meio-dia e sairão, de regresso aos respetivos países, a meio da tarde assim que o mesmo terminar. Chama-se a isto uma visita de médico, nem chegam a sair da pousada. Haja propaganda.

  2. João Espinho diz:

    @coesão- quem são esses?

  3. Amigo da Coesão diz:

    Paulo Arsénio
    6 h ·
    Beja foi a cidade escolhida pelo Governo para a realização no dia 1 de fevereiro, em Portugal, da reunião do grupo dos denominados países “Amigos da Coesão”.
    A anterior reunião deste grupo de 17 países ocorreu em Praga, na República Checa, em 5 de novembro de 2019.
    Prevê-se a presença em Beja de primeiros-ministros e ministros de todos os estados-membros da União deste lote de países – falta apenas uma confirmação – e que integra Portugal, República Checa, Chipre, Croácia, Estónia, Grécia, Hungria, Letónia, Lituânia, Bulgária, Malta, Polónia, Roménia, Eslováquia, Eslovénia, Espanha e Itália bem como dos Comissários da Coesão e Reformas, Elisa Ferreira (Portugal) e do Orçamento e Administração, Johannes Hahn (Áustria).
    Esta reunião de trabalho a decorrer em Beja é muito importante para a definição do próximo Quadro Financeiro Plurianual da União Europeia (Horizonte 2021-2027), já sem a presença do Reino Unido na União.
    #bejacentrodosul

  4. Rui Matos diz:

    Como é possivel que uma cidade do interior, com infraestruturas desportivas miseráveis, com uma “pseudo piscina ” coberta , com uma piscina descoberta do tempo da “maria cachucha” e à qual as obras propostas nada acrescentarão, com um Parque industrial totalmente esburacado e sem infraestruturas , com lixo por todo o lado , com habitação social da CMB totalmente degradada , com uma intenção de obras no Mercado das quais ainda ninguém percebeu o que a CMB pretende , continuam no concelho de Beja plantações de olival e amendoal junto às casas das diferentes povoações sem que a CMB diga alguma coisa , e para se armarem ao pingarelho vá de gastar uma porrada de dinheiro numa “praia ” !!!!. O PA saberá o que é estar em Julho/Agosto no meio dos Barros de Beja com 35/40 graus ??
    De facto chumbar o dinheirinho dos contribuintes não custa nada !!!!

  5. Bandeirante diz:

    A construtora do PS , Mota Engil , vai fazer a praia do PS de Beja .

  6. Realista diz:

    @Rui Matos, a percepção da realidade é uma coisa tramada, cada qual tem a sua e ainda bem.

    Mas vamos lá…., primeiro no que estamos de acordo, a piscina coberta está aquém das necessidades e procura, mas quanto a equipamentos desportivos, para uma cidade do interior estamos mais bem servidos do que muitas em qualquer pais Europeu, se não vejamos, 1 campo de relva natural, 3 sintéticos, campos de Ténis, de Padel, pisos para Hoquei, pavilhões para Basquetebol e Andebol e, quanto à piscina descoberta, com o investimento programado vai ser mais do que suficiente.

    A habitação social tem sido sempre uma bandeira dos diferentes executivos e se não está melhor deve-se a vários problemas que se arrastam à anos.

    Quanto a outras infraestruturas, era importante para a cidade que o projecto do mercado venha a ter êxito, espero que se concretize e que todos os Bejenses possamos contribuir para o sucesso de um novo espaço.
    O Parque Industrial tem vindo aos poucos a ganhar dinamismo e realmente falta apostar mais nas infraestruturas de apoio.

    O tema do lixo já foi varias vezes abordado e se a CMB pode fazer melhor, também é verdade que todos podemos contribuir na manutenção de uma cidade mais limpa,neste ultimo aspecto acho que temos todos muito a evoluir.

    No tema da praia confesso que prefiro as originais, mas compreendo que possa ter sido uma oportunidade de parceria com a EDIA e acesso a financiamento Europeu.
    Se já ia para as barragens ou rio à pesca com 35/40 graus também não tenho problemas em ir dar um mergulho à Praia de Beja (até não soa mal!!!).

    Por ultimo, que a missa já vai longa, concordo que o modelo Agricola deixa muito a desejar, falta planeamento, falta fiscalização, falta acomodar o que vão ser os problemas futuros de falta de água e diminuição da biodiversidade, não me parece que a CMB tenha poder para isso, falta-nos esse poder, por isso sou a favor de uma região Baixo Alentejo para assim assumirmos os nossos problemas e as nossas prioridades, poder de decisão.

    Bom fim de semana.

  7. Rui Matos diz:

    @Realista – só e notas :
    1- Sendo os recursos financeiros escassos , embora a CEE comparticipe em cerca de 50 %, será errado a CMB priorizar os seus unicamente por esse facto.
    Concerteza que os Bejenses necessitarão de outro tipo de infraestrura que não uma charca , no meio da planicie , sem qualquer arvoredo na zona envolvente , excepto um olival superintensivo.
    Será bonito os “turistas estrangeiros ” a bronzearem o cabedal e a levarem com as pulverizacoes dos tratamentos fitossanitarios.
    2- A CMB pode e deverá quando as plantações de superintensivos são a meia duzia de metros das habitações. Veja : Baleizao , Neves , Padrao , etc etc.

  8. Antonio do Baleizao diz:

    Sr. Rui Matos em Baleizao temos plantação de amendoeiras junto as casas. Isto deve-se concerteza a incompetencia dos Comunistas da Junta e/ou dos Socialistas da CMB , ou então desconhecimento do que se passa.

  9. Olheiro diz:

    Sr. Espinho era bom que em vez destes artolas a andarem a gastar o nosso dinheiro, possivelmente retirado do pagamento do IMI e a fazerem só asneiras, seria melhor preocuparem-se com o aspecto da nossa cidade…
    Passei no carro com a minha esposa pela rua Professor Bento Jesus Carcaça e não é que a mesma, parece mais como aquelas ruas dos Bairros da Lata.
    Está um prédio que por sinal tem uma arquitetura bastante amistosa com duas barracas nas varandas que dão para essa mesma rua.
    Agora pergunto eu, quem lá passa e não é da cidade leva uma má ideia da mesma…
    Será que a Câmara Municipal de Beja não tem Fiscais???
    Ou será que não querem ver???
    Ou será quem está à frente dos destinos da cidade de Beja, não está interessado que se trate daquela pouca vergonha???
    Deixo ao seu critério e vá ver.

  10. João Espinho diz:

    @olheiro- podia ter tirado uma foto e enviar-me. É um bom exemplo do “centro da Europa”, como dizem pir aí.

  11. Olheiro diz:

    Sr. Espinho pode passar por lá eu nao estou em Beja.
    O prédio fica em frente onde já foi a Marisqueira Belga

  12. Africana diz:

    Olheiro, realmente o Sr tem muita razão.
    Já passei por essa rua e reparei nessas varandas.
    É uma vergonha. Parece uma cidade do terceiro mundo.

Deixe Uma Resposta