Dez 20 2018

Ainda o Diário do Alentejo

Publicado por as 20:22 em A minha cidade

Transcrevo na íntegra, e com a devida vénia, texto que Bruno Ferreira publicou no Facebook:

“DIÁRIO DO ALENTEJO
Não consigo retirar do palato este travozinho a saneamento relativamente ao que se está a passar com direcção do jornal Diário do Alentejo. Cheira mesmo a manobra concertada de afastamento de um director que há cerca de dez anos ajudou a levantar um jornal moribundo, retirando-o de um charco de política lamacenta, e fazendo de um mero pasquim propagandístico (sem ofensa a quem lá trabalhava, que outro remédio não tinha se não o de cumprir ordens), um marco de jornalismo regional do Baixo Alentejo, que tem conquistado sucessivos prémios nacionais e mesmo fora de portas, relativos a tantas matérias abordadas pelos seus jornalistas. Pela mão do Paulo Barriga, que ainda o mês passado ganhou uma bolsa da Gulbenkian para investigar a mudança fundiária em zona do Alqueva (entre 75 projectos), o Diário do Alentejo é hoje um jornal de referência, com conteúdo desenvolvido, como qualquer semanário, com informação interessante e diversa, e com opinião livre.

Este órgão de Comunicação Social, com mais de 80 anos de história, faz parte das semanas dos alentejanos que ainda resistem a sair do Baixo Alentejo mas também, e cada vez mais, é veículo da informação e cultura baixo alentejanas para muitos dos que se viram obrigados a litoralizarem-se, como é o meu caso, pela falta crescente de condições com que os Governos da Nação se habituaram a premiar o Baixo Alentejo. E essas mesmas denúncias foram sendo, ultimamente, e de forma transparente, vertidas nas suas páginas, sem favorecimentos partidários, fugindo a clientelismos e a jogos de poder, chamando os bois pelos nomes e, sobretudo, mantendo a isenção requerida pelo código de ética e deontologia jornalística, da qual o Paulo Barriga é um ilustre baluarte.

Pois toda essa massa crítica, todo esse custoso trabalho e isenção jornalística, estão prestes a escapar-se dos seus leitores como areia fina por entre os dedos de uma mão. Não trata esta minha análise de criticar a saída do Director Paulo Barriga, apenas por ser quem é: é natural que as pessoas se sucedam umas às outras em cargos que, sendo rotativos, apenas promovem novas abordagens e formas de olhar o mundo, ao mesmo tempo que afastam vícios característicos da cristalização do poder. Desde que o ponto de partida seja manter uma linha que valorize o que está bem feito, melhorando o que possa não estar tão bem.

Contudo, e metodologicamente, a questão vai muito para além deste aspectos práticos. É necessário que o método dessa alternância se cumpra com independência, justiça, transparência e imparcialidade. Que se talhem caminhos livres e democráticos na atribuição de cargos e na escolha dos seus titulares. Que não surjam pelo caminho manipulações de clientelismos e caciquismos. Que quem escolhe e selecciona tenha capacidades, conhecimentos e vocação válidos para o fazer. E a minha preocupação, dúvida e incerteza, esbarra justamente nestas etapas.

Pelo que leio do Anúncio de procedimento n.º 10865/2018, publicado no Diário da República número 242, de 17 de Dezembro de 2018, Parte L, para contratos Públicos, da responsabilidade da CIMBAL – Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo, e proprietária do Diário do Alentejo, ficam várias dúvidas no ar, e que parecem conduzir para uma candidatura pré-formatada à partida. Quero acreditar que não. Quero acreditar que haja um processo de recrutamento justo, democrático e transparente; um júri qualificado e honesto, sem tentações partidárias; candidatos de valor e, sobretudo, que impere a lisura em todas as etapas da escolha do futuro Director do Diário do Alentejo. Deixo a minha declaração de intenções: sou amigo leal do Paulo Barriga; sou colaborador do Diário do Alentejo desde 2008, sempre a título gracioso; sou fiel aos princípios da justiça e honradez.”

Share

10 Resposta a “Ainda o Diário do Alentejo”

  1. Reinaldo Louro diz:

    Segundo já li ainda esta noite, nas redes sociais, a decisão para esta tomada de posição foi consequência no órgão regional que superentende esta matéria, votado por unanimidade.
    Agora é hora do visado dar voz em texto de opinião no próprio Diário do Alentejo, da razão ou das razões, que determinaram a consequência, para que a desinformação impere.
    A frontalidade que teve durante 8/9 anos ao dirigir este órgão de informação e os seus leitores estão devedores desse cabal esclarecimento.

  2. João Espinho diz:

    @reinaldo- estás a ver o filme com “óculos socialistas”. Assim, não podes ver muito além. E o que vês está distorcido.

  3. Carlos Carapinha diz:

    Subscrevo integralmente o que o Bruno Ferreira escreve. Reconheco no Paulo Barriga competencia e a capacidade de de dirigir um Jornal que e lido por todos os sectores da sociedade.
    Sera perfeitamente miseravel se estamos perante um saneamento politico levado a cabo pelo PS.
    P.S. – nao me identifico com qualquer partido a direita do PSD.

  4. jornalista diz:

    Alguém quer transformar o Diário do Alentejo num Correio Alentejo 2.

  5. Reinaldo Louro diz:

    @ João Espinho

    Se bem te recordas foi um socialista Pulido Valente, que mais força fez para lá o colocar.
    Temos amigos comuns e ele próprio Paulo Barriga, que sabem bem do escrevo e que por respeito a ele, omito neste caso ainda por esclarecer completamente.
    Não uso qualquer tipo de óculos e sabes bem que cada vez mais sou e serei sempre independente.

  6. João Espinho diz:

    @reinaldo – vamos aguardar…

  7. Reinaldo Louro diz:

    Diz o sábio ditado popular :

    ” Mais vale prevenir do que remediar ” !

  8. Sol diz:

    Fiz 4 ou 5 contactos telefónicos e a resposta foi maioritariamente :

    António Lúcio da Rádio Pax

    Daí alegadamente os 30% experiência profissional e 20% de vídeos ( Correio da Manhã ).

  9. Antonico diz:

    SOL – entre o Lucio e o Maneta que venha o Diabo e escolha. Os Baixo-Alentejanos merecem Mais e Melhor.
    @J.Espinho toda a gentinha esta farta da conversa da independencia do Reinaldo Louro , o qual sempre tem sido um moleque do PS.

  10. Carlos diz:

    Se assim for é bom, vamos deixar de ter o avante 2. Nesse jornal só se dá destaque às coisas do pcp, as notícias que não interessam vêm numa caixinha ou então nem aparecem. Já agora a RVP devia ter o mesmo destino, ai ainda é mais flagrante, basta recordar que o espisodio recente ocorrido numa Assembleia Municipal nem foi falado…. Isto é isenção??