Out 04 2018

Imbróglios

Publicado por as 9:11 em A minha cidade


Paulo Arsénio, Presidente da Câmara Municipal de Beja, escreveu no Facebook sobre o Complexo Desportivo Fernando Mamede:
“Vou ser simples e sintético: a remodelação do balneário e de impermeabilização da bancada tem um custo estimado de € 180.000,00. A Federação Portuguesa de Futebil (FPF) tinha na data um protocolo de financiamentos exclusivo para clubes (Munícipios não) que podia financiar parcialmente intervenções até determinado montante. A CM Beja cedeu o Fernando Mamede ao Despertar pela quantia simbólica de € 5,00 mês e o Despertar apresentou a candidatura para poder ser financiado no âmbito das obras referidas.
Foi concedido um apoio de € 60.000,00 ao Despertar, competindo depois assumir-se os restantes € 120.000,00 da obra provavelmente à CM Beja.
Pois bem, o Despertar recebeu € 24.000,00 de adiantamento por parte da Federação.
Acontece que as obras nunca avançaram, nunca se fizeram e o dinheiro – que devia estar cativo para aquele fim a que a Federação o destinou – não existe mais! De quem é a culpa? Não sei. Isso deve ser apurado dentro do Despertar.
É uma situação grave e que a CM Beja foi tentar salvar à FPF. Nomeadamente que ainda possa ser pago o remanescente dos € 24.000,00 que aparentemente ninguém tem, para os € 60.000,00 restantes. E evitar um conjunto de procedimentos judiciais que a FPF poderá querer instaurar.
E acima de tudo, resolver, a bem do Concelho um problema que é para isso que cá estamos com alegria.
Agora que era suposto haver € 24.000,00 dentro de Despertar e que não há, é um dado objetivo ou então que apareça o dinheiro que a CM Beja e a FPF agradecem.
Note-se que à data da assinatura dos protocolos e da disponibilização desta primeira (e única) tranche, quer a CM Beja, quer a Direção do Despertar eram outras que não as atuais.
Sobre o assunto é isto.
Com simplicidade, com verdade, com transparência e com rigor.
E não volto a ele a não ser que seja estritamente necessário. O papel da CM e do seu Presidente e Vereador do Desporto é de moderadores e não de divisionismo entre despertarianos. Mas lamentamos que ninguém no clube saiba dos € 24.000,00. É que eram para a remodelação do balneário e para a remodelação da bancada.”

Em reacção a esta revelação, os vereadores da CDU lamentam tais declarações e o facto, de não lhe terem sido pedidos esclarecimentos sobre o assunto em causa. (ler aqui)

Share

11 Resposta a “Imbróglios”

  1. Sol diz:

    Se me é dado perceber, os 3 vereadores da CDU ( o J. Rocha, a Sónia C. e o V. Picado ) que por mera circunstância estavam no mandato anterior sabiam de tudo e fecharam-se em copas e não tornaram público, tendo a transferência sido feita 6 meses antes da perda do mandato em Abril de 2017 no valor de 24.000 € e agora sentem-se melindrados pelos esclarecimentos dados e essencialmente por aqueles que falam sobre toda esta matéria num ” embróglio ” eventualmente danoso.
    Jogaram os foguetes, apanharam as canas e agora queimaram-se ?
    Aguardemos por novos episódios e pela relação da ex-direcção do Despertar e os ex-executivos e actuais vereadores da CDU neste caso, talvez a próxima Assembleia Geral do clube bejense traga novos dados para esclarecer onde param os 24.000 € e a documentação inerente a todo este processo.

  2. Ao cuidado do Sr. Sol diz:

    Nota de Imprensa

    Sobre as obras do complexo desportivo Fernando Mamede vem a CDU esclarecer:

    Considerando as recentes declarações do Sr. Presidente da Câmara Municipal de Beja, por si veiculadas nas redes sociais, referindo que, e passamos a citar: «no Fernando Mamede há um “embróglio” que envolve também a Federação e o Despertar num assunto que teremos de ir resolver a Lisboa», «uma situação completamente inacreditável», que «os balneários do Estádio são um problema complexo até do ponto vista legal. Houve dinheiro pago pela Federação a um clube da cidade para iniciar as obras, o dinheiro foi gasto e as obras zero! O estádio foi inclusive cedido em termos de utilização a esse clube para que houvesse enquadramento legal para uma obra que nem chegou a iniciar-se» e ainda que, continuando a citar, «Não fomos nós que criamos essa imensa confusão que envolve a CM, o Despertar e a Federação e que tinha tudo, mas tudo, para dar errado como deu. Estamos a tentar resolvê-la». Na sequência dos esclarecimentos prestados hoje em reunião de Câmara pelo Sr. Presidente da Câmara Municipal de Beja, solicitados pelos vereadores da CDU , vêem estes afirmar o seguinte:
    Como o Sr Presidente da CM bem sabe, ou deveria saber, pelo cargo que ocupa e por ter exercido funções nos órgãos sociais do citado clube até outubro de 2017, o protocolo de financiamento entre o Despertar e a FPF foi assinado em final de Março desse ano, tendo algumas semanas depois sido transferida a primeira tranche de adiantamento ao clube. A candidatura, em mais de 500, foi aprovada para um financiamento de 60.000€, entendendo-se dar prioridade aos balneários, em avançado estado de degradação e utilizado por centenas de atletas. Para o efeito, tornava-se necessário reformular o projeto, o que a CMB se encontrava a fazer. Segundo uma comunicação da Direção cessante do DSC, enviada para a CMB, com conhecimento dos Vereadores da CDU, houve uma reunião, em novembro do ano passado, com a atual vereação em permanência, na qual foi garantido dar continuidade ao compromisso assumido com a FPF. Antes do final do mandato, e segundo a mesma comunicação, foi novamente expressa a preocupação dos dirigentes pela ausência de qualquer resposta ao assunto.
    Acrescente-se que a «cedência» ao DSC respeita somente aos balneários, e foram ouvidos os demais utilizadores habituais dos mesmos, que manifestaram a sua concordância, atentos os claros benefícios que representaria para todos. Se não houve continuidade do projeto, que se esteja perante um imbróglio, tal deve-se exclusivamente à inércia do atual executivo desta autarquia. Relativamente ao destino da verba, aos Vereadores da CDU foi transmitido, pela Direção cessante do clube, que a mesma se encontrava ao dispor do DSC aquando do términus do seu mandato.
    Pelo que se lamenta profundamente a postura da CMB e do seu Presidente que, não sendo a primeira vez, não hesita em, manipulando factos, denegrir o trabalho do anterior executivo municipal, lançando suspeições sobre o mesmo e sobre a honestidade e seriedade dos seus titulares e, neste caso, até de um dos mais representativos clubes do Distrito, que tem contribuído extraordinariamente para o desenvolvimento desportivo no nosso concelho.
    Beja, 03 de outubro de 2018
    Os Vereadores da CDU na Câmara Municipal de Beja

  3. ao cuidado do sr/a Sol diz:

    Nota de Imprensa

    Sobre as obras do complexo desportivo Fernando Mamede vem a CDU esclarecer:

    Considerando as recentes declarações do Sr. Presidente da Câmara Municipal de Beja, por si veiculadas nas redes sociais, referindo que, e passamos a citar: «no Fernando Mamede há um “embróglio” que envolve também a Federação e o Despertar num assunto que teremos de ir resolver a Lisboa», «uma situação completamente inacreditável», que «os balneários do Estádio são um problema complexo até do ponto vista legal. Houve dinheiro pago pela Federação a um clube da cidade para iniciar as obras, o dinheiro foi gasto e as obras zero! O estádio foi inclusive cedido em termos de utilização a esse clube para que houvesse enquadramento legal para uma obra que nem chegou a iniciar-se» e ainda que, continuando a citar, «Não fomos nós que criamos essa imensa confusão que envolve a CM, o Despertar e a Federação e que tinha tudo, mas tudo, para dar errado como deu. Estamos a tentar resolvê-la». Na sequência dos esclarecimentos prestados hoje em reunião de Câmara pelo Sr. Presidente da Câmara Municipal de Beja, solicitados pelos vereadores da CDU , vêem estes afirmar o seguinte:
    Como o Sr Presidente da CM bem sabe, ou deveria saber, pelo cargo que ocupa e por ter exercido funções nos órgãos sociais do citado clube até outubro de 2017, o protocolo de financiamento entre o Despertar e a FPF foi assinado em final de Março desse ano, tendo algumas semanas depois sido transferida a primeira tranche de adiantamento ao clube. A candidatura, em mais de 500, foi aprovada para um financiamento de 60.000€, entendendo-se dar prioridade aos balneários, em avançado estado de degradação e utilizado por centenas de atletas. Para o efeito, tornava-se necessário reformular o projeto, o que a CMB se encontrava a fazer. Segundo uma comunicação da Direção cessante do DSC, enviada para a CMB, com conhecimento dos Vereadores da CDU, houve uma reunião, em novembro do ano passado, com a atual vereação em permanência, na qual foi garantido dar continuidade ao compromisso assumido com a FPF. Antes do final do mandato, e segundo a mesma comunicação, foi novamente expressa a preocupação dos dirigentes pela ausência de qualquer resposta ao assunto.
    Acrescente-se que a «cedência» ao DSC respeita somente aos balneários, e foram ouvidos os demais utilizadores habituais dos mesmos, que manifestaram a sua concordância, atentos os claros benefícios que representaria para todos. Se não houve continuidade do projeto, que se esteja perante um imbróglio, tal deve-se exclusivamente à inércia do atual executivo desta autarquia. Relativamente ao destino da verba, aos Vereadores da CDU foi transmitido, pela Direção cessante do clube, que a mesma se encontrava ao dispor do DSC aquando do términus do seu mandato.
    Pelo que se lamenta profundamente a postura da CMB e do seu Presidente que, não sendo a primeira vez, não hesita em, manipulando factos, denegrir o trabalho do anterior executivo municipal, lançando suspeições sobre o mesmo e sobre a honestidade e seriedade dos seus titulares e, neste caso, até de um dos mais representativos clubes do Distrito, que tem contribuído extraordinariamente para o desenvolvimento desportivo no nosso concelho.
    Beja, 03 de outubro de 2018
    Os Vereadores da CDU na Câmara Municipal de Beja

  4. Sol diz:

    Nem a propósito, esta tarde estive com um membro de antigas direcções e dos actuais órgãos sociais do Despertar o qual verbalmente me esclareceu a actual situação e não é nalguns pontos nada coincidente, com o comunicado, aqui transcrito da CDU.

    Tentando citar o que me foi dito já que não tinha gravador :

    ” A verba foi entregue ao Despertar e a direcção em vez do canalizar para o fim que estava determinado, gastou-o no apoio do futebol juvenil ” !

    Ora se assim foi porque é que o executivo à data depois de entregar os 24.000 €, não acompanhou o caminho do dinheiro para as obras que não chegaram a existir e não pediu cabais explicações da não aplicação das referidas verbas ?

    O que se passou durante esses 6 meses ???

    Desleixo, falta de fiscalização, incúria ou gestão danosa ???

  5. * Bejense diz:

    Como foi possível dar uma tranche financeira tão elevada de 24.000 €, por parte da câmara via FPF antes do projecto de obras estar reformulado / aprovado e que a CMB estava a fazer ( serviço de obras ) ou seja antes do início e sem plano de obras / projecto concluído, toma lá os milhares de euros, que a obra logo se há-de fazer, é o que diz claramente o comunicado dos vereadores da CDU / PCP.
    Quantas irregularidades se podem logo aqui encontrar ?
    Como foi possível fazer tudo isto e chegar hoje a esta triste realidade nem obra, nem dinheiro, investigue-se é o mínimo pelo Ministério Público.

  6. Rasga diz:

    Quando as pessoas não querem perceber é muito difícil explicar.
    Ponto 1 – A Câmara não atribuiu dinheiro nenhum. O dinheiro veio directamente da FPF para o Despertar que é o titular da candidatura.
    Ponto 2 – Só há dinheiro pelo mérito da candidatura apresentada pelo Despertar.
    Ponto 3- O valor total a receber pelo clube é de 60.000€
    Ponto 4 – As obras a realizar seriam em património municipal (Complexo Fernando Mamede).
    Ponto 5 – A Câmara assumiu comparticipar o remanescente das obras a realizar no seu próprio estádio.
    Ponto 6 – A actual gestão autárquica foi devidamente em tempo oportuno e por escrito informada da situação.

    E agora prestem muita atenção:

    A ANTERIOR DIRECÇÃO DO DESPERTAR DEIXOU DEPOSITADO NO BANCO UM VALOR PRÓXIMO DOS 24.000€ (+-23.300).
    ISTO É MUITO FÁCIL DE CONFIRMAR BASTA PEDIR O EXTRACTO BANCÁRIO E VER OS MOVIMENTOS POSTERIORES
    QUALQUER SÓCIO TEM O DIREITO DE O FAZER

  7. PL diz:

    Auditorias as contas do Despertar pela mesma equipa que esta a realizar este procedimento junto da CM Beja.

  8. Jacinto Damaso diz:

    Sim senhor é verdade que lá ficou esse dinheiro e pode ir se ao banco para ver que o dinheiro que lá falta foi para pagamentos por cheque que a anterior direção deixou passados. O dinheiro deveria ter ficado cativo e não a ordem .eu estou a falar identificado,é não como RASGA,o que poderia fazer porque RASGA sou eu é não me escondo.

  9. PL diz:

    Como socio do Despertar S.C. acho que a direção agora vigente deveria de fazer um esclarecimento publico sobre o saldo da conta bancaria quando entrou em funções e o atual.

  10. Jota damasoj diz:

    Verdade tudo o que diz o Sr. Espinho com exceção de que não se sabe do dinheiro. O dinheiro entrou para o Despertar,mas devia ter ficado cativo porque tinha destino obrigatório. Agora está no clube metade do dinheiro porque logo a seguir entraram cheques assinados pela.ex direção. Mas o DESPERTAR penso que terá que assumir, como clube de bem que é. JACINTO DAMASO.

  11. João Espinho diz:

    @jota- eu não disse nada. Limitei-me a trancrever o que escreveu o Presidente de Câmara e a aprovar comentários.