Ago 29 2018

António Costa: a (mentirosa) redução fiscal de 50% com 100% de incompetência

Publicado por as 18:34 em Geral

É uma jogada política clássica: primeiro lança-se a proposta na comunicação social amiga, para depois anunciá-la em comício partidário. Isto é propaganda digna da Coreia do Norte

É um longo artigo de opinião, mas vale bem a pena a sua leitura aqui.

Destaco alguns pontos:

2. Qual é, então, a promessa que o “Expresso” plantou a pedido de Costa e este aproveitou? António Costa promete introduzir uma taxa de IRS mais baixa (redução que poderá chegar aos 50%) para os jovens portugueses que emigraram até ao ano de 2015 e pretendam agora regressar ao nosso país. Aparentemente, trata-se de uma ideia ternurenta, cheia de compaixão socialista: os que tiveram de emigrar fruto da acção governativa “diabólica de Passos Coelho” podem regressar a Portugal em melhores condições. Lamentamos desiludir: a medida de redução de 50% (que nunca será este valor) é apenas mais um anúncio ridículo e fútil de um Primeiro-Ministro que se habituou a viver na e pela mentira. Na verdade, tal medida suscita problemas jurídicos, económicos e políticos.

3.1. Comecemos pelos problemas jurídicos. Em primeiro lugar, a medida foi-nos apresentada pelo porta-voz oficioso do Governo, Pedro Santos Guerreiro, como um imposto especial para jovens. Uma espécie de “IRS Cartão Jovem”, um “millenial IRS”. Ora, não existem impostos só para jovens, nem impostos só para idosos, nem impostos só para a meia-idade – há impostos para cidadãos e empresas (entendidas estas como desdobramentos dos interesses próprios daqueles que as criam, promovem, dinamizam). Impostos para certas categorias de pessoas, assentes na sua idade ou em qualquer outra característica pessoal e não nos rendimentos efectivamente auferidos, são inconstitucionais. Os impostos incidem sobre a propriedade em sentido amplo; e não sobre a personalidade.

(…)
4. Por último – em termos brevíssimos, pois este texto já vai longo (esperemos que à medida da sua paciência), há o problema político. Esta medida – recebida com “enérgicos aplausos” pelo Pedro Santos Guerreiro e os militantes do PS – é o equivalente ao cheque bebé de José Sócrates: uma medida engraçada, cheia de habilidade política, que não significa rigorosamente nada. Que traz mais desvantagens do que vantagens. Enfim, mais um acto da farsa que António Costa e o BE montaram. É uma medida poucochinha do António Costa poucochinho.”

Leia o artigo completo (aqui)

Share

Uma Resposta a “António Costa: a (mentirosa) redução fiscal de 50% com 100% de incompetência”

  1. Américo diz:

    Há muito que deixei de comprar o Expresso. Aliás salvo raras colunas de opinião em alguns jornais, a esquerda dominou completamente a imprensa.
    Até a Sic Noticias, que antes a tinha por minimamente independente, hoje em dia, por cada comentador “afecto” á direita, estão lá 5 ou 6 de esquerda. A única coisa que consigo ver são os sovões constantes que o Mesquita Nunes prega na Mortágua, a rapariga vai sempre ao tapete por KO técnico. Aliás nunca mais me esqueci do dia que pus a cruz na SIC N, quando puseram o Pedro Marques Lopes a comentar futebol… enfiim.

    Em relação á noticia, qual o espanto? o homem já provou que é capaz de qualquer coisa para ir e se manter no “poleiro”. Como diria Jaime Gama, “fait divers”.

Deixe Uma Resposta