Out 09 2017

Bom moço, honesto, trabalhador e humilde

A minha participação na “Bisca Lambida”, Diário do Alentejo, 6 de Outubro de 2017:

 

Quando em fevereiro deste ano o Partido Socialista apresentou Paulo Arsénio como candidato à Câmara de Beja, depois de vários nomes terem sido lançados para a praça pública como putativos candidatos socialistas à autarquia bejense, foram muitos os comentários que se ouviram sobre esta escolha do PS.

Quando divulguei a candidatura no meu blog, li vários comentários, todos eles interessantes, alguns com certa malícia, natural em quem se tenta proteger sob a capa do anonimato. Os adjetivos, e características do candidato, eram pronunciados de forma jocosa. Noutros blogs e redes sociais seguiram-se as habituais tentativas de assassinar o carácter do candidato e das pessoas da sua equipa.

Nas conversas de rua havia uma quase unanimidade: o Paulo é bom moço, é honesto, trabalhador e humilde mas… E eram os “mas” que me faziam sorrir. Que não tinha peso político, que não tinha experiência autárquica, que era “fraquinho”…. Mais, vaticinavam uma derrota humilhante perante João Rocha, um dinossauro com mais de 30 anos de poder local e conhecedor de todas as “manhas” para vencer eleições.

Mas, e houve um “mas” decisivo, o debate televisivo trouxe à tona de água que: afinal, o Paulo era combativo, estava bem preparado e que, imagine-se, levara gráficos para apresentar, demonstrando ter feito o trabalho de casa. Ganhou o debate e ascendente sobre o seu apático e principal rival na disputa eleitoral.

A partir desse momento as conversas mudaram. Do lado do PCP perceberam-se algumas reações de desânimo. Apesar das jogadas “espertas” levadas a cabo pelas tropas comunistas – veja-se o que se passou na EMAS – onde o “vale tudo” passou a ser o título do programa da CDU, a candidatura de Paulo Arsénio foi inteligente, não desmoralizando, não caindo na tentação de ser agressiva e/ou ofensiva.  Sem piscar o olho ao eleitorado do centro- direita, a candidatura assumiu-se como claramente socialista e trilhou os caminhos que Paulo Arsénio definiu para chegar à desejada cadeira na Praça República.

Chegados ao dia das eleições, havia uma grande expectativa, principalmente nos setores bejenses contrários à eternização de Rocha à frente dos destinos do concelho. Teria o bom rapaz, o moço trabalhador e honesto, convencido o eleitorado? Os resultados não enganam. E, sem ser exaustivo na análise de números, essa tarefa cabe a outros, percebeu-se que foi o tradicional eleitorado do PCP que mudou o seu voto, transferindo-se de armas e bagagens para as cores socialistas. No concelho de Beja, como aliás em todo o Distrito, o PCP/CDU foi o grande derrotado. Não foi um voto contra o Rocha, contra o Duarte ou contra o Ramalho. O eleitorado comunista zangou-se com o seu partido. Não basta apregoar “trabalho, honestidade, competência”. É preciso, de facto, olhar para as necessidades das populações e ir ao encontro das suas ambições.   O PCP/CDU foi por outros caminhos. Perdeu-se e perdeu.

Umas últimas palavras para o meu Partido, o PSD. Em Beja, só mesmo o candidato e os pesos-pesados que o rodearam acreditavam num milagre. Pinela Fernandes não foi o candidato escolhido pelas bases do Partido. Foi um candidato que se autopromoveu, impondo a sua candidatura aos órgãos do Partido que, irrefletidamente, se limitaram a homologar os nomes que lhe iam aparecendo em cima da mesa.

As novas equipas socialistas, que em breve tomarão conta do Distrito, não vão ter desculpas, nem serão merecedoras de grandes tolerâncias: dominam as autarquias, a Comunidade intermunicipal e, sublinhe-se, são do mesmo partido do governo da nação. Se não souberem aproveitar esta ocasião, trazendo o desenvolvimento para as nossas terras, tirando o Alentejo do marasmo e da letargia, se assim não acontecer, não terão, daqui a 4 quatro anos, desculpas, e serão fortemente penalizados.

Share

13 Resposta a “Bom moço, honesto, trabalhador e humilde”

  1. Lufada diz:

    Tenho a esperança que o Paulo possa vir a ser um presidente à altura daquilo que lhe é pedido. Além dos adjectivos que já foram ditos sobre ele, muitas pessoas não sabem o quão organizado e prefeccionista ele é. A ver vamos.

  2. Eu diz:

    Excelente análise.

  3. Sol diz:

    A vida é feita um pouco por todos nós sem excepção de ” mas e de ses “, já que fazem parte da língua portuguesa e têm a devida aplicação nos vários contextos.

    Todos nós como seres humanos nos enganamos em análises prévias e não existem bruxos que antevêem o futuro.

    Falo por mim não acreditava na vitória, apesar de a desejar e a prova foi que eu e todo o meu agregado familiar votou Paulo Arsénio / PS.

    Senti na semana anterior e essencialmente nas últimas 48 h antes do acto eleitoral, um nervoso anormal nas hostes comunistas e nas redes sociais era por demais evidente, a tentar mostrar obra feita em cima da hora e que esteve na gaveta durante 4 anos, mas ( cá está ele ) o eleitorado tinha e teve memória.

    Ganhou quem vai fazer ” DIFERENTE e MELHOR ” !!!

  4. Maria Manuela B. Guerreiro diz:

    É bom ler quando a facção não se sobrepõe à razão!
    O último parágrafo é Fundamental.
    Por tudo isto adoro o “Praça da República”.

  5. antao vaz diz:

    o Paulo Arsenio nao ira ter qualquer Estado de Graca no inicio do seu mandato.Os 1400 votantes roubados ao PC irao cobrardesde o inicio ,estando toda a sua accao futura sempre condicionada por esta franja eleitoral.

  6. Felipe Fernandes diz:

    O PCP já reagiu à derrota, e os outros derrotados ainda não se ouviram.

  7. BEJENSE diz:

    Eu votei Paulo Arsénio.

    Pelo facto quero um EMPREGO, ou na Câmara Municipal, ou no EMAS, ou no Cimbal.

  8. baralhado diz:

    @antão vaz
    Cá estaremos, e somos muitos e de qualidade, para ajudar o Paulo Arsénio a confrontar aqueles que em nome do povo esbanjam dinheiro público , que se passeiam em carros topo de gama “made in germany”, incluindo Porshes vá-se-lá saber de quem… e que enchem os bolsos dos Pimentas de Ponte de Lima…a máscara caiu definitivamente…acabou o argumento da tal honestidade e da tal competência. João Rocha caiu vítima da sua impreparação , da sua arrogância e do seu desnorte. Caiu vítima de um conjunto de pajens que faziam o discurso que ele queria ouvir e fundamentalmente caiu porque os cidadãos de Beja não se sentiam representados por ele. Paulo Arsénio só tem que ser igual a si próprio…e a tal equipa “fraquinha” deixa a milhas de distância em competência profissional qualquer elemento da equipa que João Rocha”liderou” ou “comandou” durante estes anos…o estado de graça instalar-se-á por si mesmo enquanto a CDU, sendo confrontada explica aos bejenses os desmandos da gestão que agora acaba…os Neys por 74 mil euros enquanto que em Coimbra foram 50 mil…e muitas, mas mesmo muitas situações semelhantes…conviria também que as autoridades não perdessem o rasto desse dinheiro visto que forraram por dentro muitas associações que só prestaram esses serviços…uma ou duas vezes…parecem “feitas à medida”…por estas e outras razões…não deverá ser difícil a Paulo Arsénio e a sua equipa manterem perante os munícipes de Beja o tal “estado de graça”…É que a asneira foi muita e durará seguramente para segurar o PS na Câmara de Beja por pelo menos mais 4 anos…cá estaremos para ver, se houver saúde…

  9. AB diz:

    Concordo.

  10. AB diz:

    Bejense está enganado, já nao funciona assim.

  11. PRamires diz:

    Expetativa! Erro ortográfico na primeira linha do parágrafo 6.

  12. João Espinho diz:

    @ramires – correcção efectuada. Obrigado.

  13. jesualdo queimado diz:

    Os…As…Caimotos..caimotas…coveiros do psd Distrital estão em estado de choque…O Sebastião fugiu para Cabo Verde…O Colaço anda a procura de emprego…e o partido Social Democarta ficou orfão em Almodôvar e em Beja…bem hajam…O Sebastião depois de ter destruido o PCP…chegou agora a vez de destruir igualmente o psd, o homem é como o eucalipto seca tudo á sua volta.Daqui a quatro anos ele vai voltar novamente…se calhar travestido de democrta cristão…a ver vamos…como diria o cego…