Set 23 2017

A pressa e a falta de rigor

Publicado por as 18:34 em A minha cidade,Autárquicas 2017

Escreve Luís Palminha:

“Acho que não há muito a dizer…
Poderia ser uma homenagem ao mosaico romano, primando pela qualidade e beleza, mas… nem as linhas de pedras de calcário negro estão alinhadas com o eixo da praça, nem o brasão se encontra centrado com o desenho.
Este, infelizmente, é o resultado de um projeto realizado com a pressa de quem quer, a todo o custo, apresentar uma obra que, julgo, ter carecido do devido acompanhamento técnico.
E agora? Vai ficar assim?
E as calhas de escoamento das águas? Ficam assim?”

Share

21 Resposta a “A pressa e a falta de rigor”

  1. Américo diz:

    Por amor à Santinha… que ridículo. Digno do Portugal no seu melhor.
    Isto é tão mau, tão mau, tão mau que me faltam adjectivos. Ao menos as lajes estavam em esquadria…

  2. Vargas Herédia diz:

    O que é que isso interessa? Até domingo não chove e o circo romano fechou há quase dois mil anos e os leões oftalmologistas foram dispensados.

  3. João Barros diz:

    daqui a 4 anos logo se vê na melhor das hipoteses

  4. Mustafá diz:

    Que ridículo senhor Palminha.

    Acompanhamento técnico??? Parecem as linhas da Benfica TV, ao que isto chegou… Que grande sapo vão engolir no dia 1!

    Já não há adjetivos para qualificar esta gentalha ressabiada do PS/PPD/CDS… fosca-se que já aborrece.

  5. Luís Palminha diz:

    A única verdade aqui é que se a Praça da República fosse o chão da casa de qualquer um de nós, certamente que o empreiteiro seria interpelado a tempo de emendar o erro, ou no limite, no final teria que arrancar para colocar de novo, corrigindo assim o seu erro.

    Ninguém iria querer olhar para o chão da sua própria casa com um erro de execução desta dimensão, sabendo que tinha pago por ele. Essa sim é a verdade!

    Se assim é, porque é que com o Município tem que ser diferente? Porque é que o Município tem que “fechar os olhos” e deixar passar?

    Não me revejo nesta forma de estar. Não tenho dois pesos e duas medidas.

  6. António G. diz:

    A ‘coisa’ tb só foi pensada pa festas e pouco mais, logo klk coisita serve!

  7. Américo diz:

    Tive a oportunidade de ir ver “in loco” a “obra feita” ontem á noite.
    Não me venham dizer que as linhas estão tortas. A obra é que está torta. E não é pouco. Vejam por si mesmo, não é preciso tirar grandes azimutes para se chegar á conclusão que aquilo está torto para xuxu.
    Isto não é questão de ressabiamento de parte da “gentalha”. É sim hipocrisia e cegueira partidária. Quem recusar reconhecer isto não é honesto.
    Irónico acima de tudo é que esta singela obra, que deveria ser o ex libris, a piéce de résistance da CDU na ponta final, destrói de rajada dois slogans da campanha. “Honestidade” e “Competência”.

  8. João Espinho diz:

    Na mouche!

  9. abrotea diz:

    Ena, os gajos do Partido do Sócrates até têm tempo para andar a contar pedras e a fazer linhas…. Querem ver que ainda nos vão obrigar a por o coração a meio do peito…

    Triste povo.

    Depois de tudo o que viveu pelos desgovernos do Partido do Sócrates, ainda há pessoas que conseguem dar a cara pelo PS. Felizmente agora podemos conhece-los.

    (mesmo que que arranjem um Carlos Santos Silva para amigo, “JAMAIS” – como dizia o outro xuxa – me esqueço!)

    A luta continua, PS nunca mais!

  10. viver Beja diz:

    Isto é vergonha! Quando chover, os camiões das festas, haverá covas para todos os gostos. Os Bejenses não deixam enganar com obras à pressa, ninguém conhece a realidade das contas da CMB, eles dizem que estão bem, mas onde estão os relatórios? Beja merece melhor!

  11. atento diz:

    Sabem porque é que aquilo ficou assim? Porque o João Rocha dispensou os técnicos de fiscalizarem a obra e foi ele próprio a fazer isso, com a pressa que tinha em acabar uma semana antes das eleições. Por isso não se admirem daquilo estar assim. E ainda vai ser pior, esperem pelas chuvas.

  12. Alentejo dos pequenitos diz:

    A Praça da República ficou melhor com esta obra, feita à pressa e sem debate público? Quanto se gastou para apenas substituir pedras partidas por obras da câmara por calçada? Qual a opinião, por exemplo do Carreira Marques, sobre esta destruição da obra do seu tempo? O que pensam os arquitetos que projectaram a obra do Polis? Os seus direitos de autor foram respeitados com esta alteração ao projecto?
    O que esteve na base da decisão unilateral do JR? Uma tentativa eleitoralista para agradar a alguns arquitetos amadores e saudosistas ?

  13. Américo diz:

    @abrotea
    Pelo seu post se constata algumas tristes realidades. Nada há mais triste que a pobreza de espírito e uma visão amputada e adulterada pelo caciquismo partidário. Acredite que o meus ideais políticos são quase antagónicos ao PS.
    Mas também deveria reconhecer que as autárquicas tem tudo a ver menos com as cores politicas, mas sim com as pessoas e as respectivas listas que se submetem a sufrágio. A prova disso é o número crescente de movimentos apartidários e independentes.
    No entanto não deixa de ser irónico a CDU dar apoio na investidura legislativa que governa. Encabeçada pelo PS. Ele há coisas engraçadas não é?
    O que reforça a ideia que se anda com os nervos á flor da pele na Rua Ancha.

    Num outro tom, anda por ai um boato que a CDU têm uma sondagem que dá como perdida a CMB para o PS e créme de la créme Baleizão em sérios riscos de seguir pelo mesmo caminho. Não sei se é verdade ou não, mas já ouvi/li isto em mais que um sitio.

  14. baralhado diz:

    pa…eu continuo baralhado…a CDU perde Baleizão? não acredito…

  15. Américo diz:

    Pois eu também acho pouco credível, mas a verdade é que segundo me dizem o Cascalheira é mesmo um rapaz simpático e afável, e com elevado grau de consideração pelos baleizoeiros, ao contrário do Silvestre que andou 3 anos e meio hibernado e só se lembrou de fazer uns passeios e umas festarolas nos últimos meses.

    A verdade é que em relação a esta “pseudo-sondagem” já ouvi falar dela, já foi comentada nas redes sociais e ainda não houve 1 singela reacção por parte da CDU( nem desmentido, nem gozo, nada), o que me leva a acreditar que talvez haja algo que não querem\têm receio de mostrar.

    Agora se realmente perderem Baleizão, esse bastião, por tudo o que representa e mais alguma coisa, ui nem quero imaginar a noite das facas longas que se irá ser.

  16. VS diz:

    @Mustafá, não c*gue em cima do PPD, pois se não fossem eles a dar os votos há 4 anos à CDU, não tinham ‘ganho’ a câmara!!

  17. Vasquinho diz:

    Mas então a obra não foi para enfiar uns trocos ao bolso, como é o pão nosso de cada dia, em todas as obras publicas, e a quantidade de lajes de mármore que saíram da praça foram para onde ?
    Quantas obras já levou essa praça depois do 25A, quantos milhões de escudos e de euros foram gastos ali? Vejam lá não fique algum lelo sem casa por causa disso!

  18. Sherlok diz:

    Se fossem só as obras da praça…gota d’água num imenso oceano. Que seja feita uma auditoria cerrada às contas da Câmara antes de irem atrás do prejuízo que o que não vem aí boa coisa.

  19. Sherlok diz:

    Não vem aí boa coisa, queria eu dizer.

  20. mike fox diz:

    As obras na Praça da republica,assim como outras obras na cidade,são uma vergonha pela falta de qualidade e deficiente acabamento.No “parque vista alegre” a muralha já quase não se vê e não foi recuperada-apesar de “duas intervenções e muitas centenas de milhares de euros em betão que la meteram- enquanto não tomarem consciência,que a coisa publica não é de terceiros mas de todos nós,nem o país nem esta cidade tem futuro.
    Quantos ao simpatizantes comunistas,sugiro uma estadia num país comunista para absorverem a ditadura do proletariado.

  21. Carlos Manuel diz:

    …, preciosismos, …. falta de sistemas leiser, que certamente iriam encarecer a obra e os operários não os saberiam operar, mas quem os sabe operar falta lhes o voluntariado e o saber para colocar / bater as pedrinhas, sempre foi e é mais fácil operar as teclas no A. C.e criticar que meter a mão na massa, ….. as caleiras certamente que fazem parte de uma empreitada diferente, estão fora do perímetro desta, ….. Têm de deixar algo para o novo executivo aperfeiçoar e / ou refazer, …