Ago 07 2017

Se é verdade, é grave!


foto: joão espinho

Escreve um comentador:
“Pois se vem a Maria Leal desconhece—se mas também não devem haver verbas para muito mais,pelo que os espetáculos não podem apresentar grande qualidade..
Os plafons ficaram esgotados com o Beja na Rua Neys, Kusturicas, Seus Jorges, esculturas do vihls,guarda-chuvas decorativos e afins…
Queimaram—se os fundos comunitários(na maior parte deles ficaram muito aquém do valor dos espetáculos) e mais uns milhares de euros da autarquia que bem podiam ter sido utilizados para outros fins,nomeadamente apoiar instituições locais e famílias. E entretanto a Comissão de festas(constituída maioritariamente por elementos do pc) andam a mendigar patrocínios aos desgraçados dos comerciantes locais para este efeito… Os mesmos proprietários de lojas que o Presidente de Câmara esqueceu,não quis ouvir e achincalhou há relativamente pouco tempo numa reunião da falida Associação Comercial referindo “o que é que vocês querem que eu faça se vocês não têm nada de jeito para vender nas vossas lojas vendem caro e não sabem fazer montras?!Eu próprio vou comprar roupa ao Algarve no centro comercial onde vai toda a gente porque é muito melhor”!
Tal como também é muito melhor contratar empresas do norte para lhe fazerem as obras,não é verdade Sr.Rocha?
Pois é..há prioridades Sr. Presidente!Precisa de levar umas liçõezinhas de gestão não lhe parece?! É que as pessoas também não esquecem o esbanjamento e esquecimento durante todo o mandato.
Agora é tarde para jogar areia para os olhos da população,muito tarde…”

Share

33 Resposta a “Se é verdade, é grave!”

  1. Lufada diz:

    Não batam mais no ceguinho que ele tem os dias contados. Uma questão pertinente é saber se fica como vereador ou se raspa para ponte de lima. Tinha obrigação de responder. Se tivesse respeito pelos bejenses.

  2. João diz:

    Segundo o que apurei esse senhor, depois de ter percebido que tinha metido a pata na poça nessa dita reunião da Associação comercial, resolveu marcar outra para se redimir mas os comerciantes não compareceram.

  3. patria diz:

    Na newsletter da camara deste mês mostra-se funcionários a pintarem as estradas mas por exemplo não se mostra uma nova estrada entre Sao Brissos e Trigaches onde não se recomenda circular a mais de 50 Km hora.

  4. João Espinho diz:

    @patria – prevenção de acidentes 🙂

  5. Maria diz:

    É verdade e é grave! Estive nessa reunião e ouvi tal e qual o que aí está escrito! Uma vergonha a forma como humilhou os comerciantes! Tentou pôr paninhos quentes mas a palavra dita não volta atrás! Mas também tenho conhecimento que por causa disso foi “desancado” em plena Portas de Mértola por uma comerciante e nem piou!
    A ver vamos como nos vais deixar!

  6. festeiro diz:

    Estas festas em honra e louvor de Santa Maria lol são uma farsa. Foram trazidas de Serpa sem haver qualquer tradição em Beja de festas a não ser da antiga feira. Mas feira não eram festas. Até um cortejo histórico que tem carros e roupas vindas de Serpa ele trouxe. Este cortejo tem partes que são uma anedota.
    Os artistas são de uma pobreza franciscana, ao pé de outras festas até metem dó. Pudera, pois nessas festas há uma comissão que todos os anos muda e aqui é sempre a mesma, o presidente até podia ser o presidente da câmara, ia dar no mesmo.
    Porquê? Porque é ele quem escolhe o local, por exemplo. Nos outros anos foi no largo do Museu e na Praça da República. Na praça não pode ser por causa das obras mas junto ao Museu podiam ser. Mas sabem onde é que ele decidiu fazer as festas este ano? Num sítio péssimo para festas, com passeios, floreiras e outras obstáculos, no largo de São João.
    E sabem o que é que já deve estar instalado durante as festas? A sede da candidatura da CDU, no mesmo largo.
    E depois ainda dizem que não há coincidências. Mais um frete dos festeiros ao seu chefe.

  7. xpto diz:

    N concordo c negociatas c ponte lima, pagar 2x ney, gastar € sem fim em foguetes, festas e afins (e nunca iria votar nesses gajos)
    mas isto é verdade e so nao ve quem nao quer:

    “o que é que vocês querem que eu faça se vocês não têm nada de jeito para vender nas vossas lojas e vendem caro”

  8. Pedro Frazão diz:

    Hoje em dia venera-se mais a vergonha que a coragem, a malandrices que o trabalho e é ver gente sem nome, que se diz filho da terra, a enterrá-la ainda mais e com vil prazer. Só pergunto, mais uma vez pela enésima vez, onde é que estiveram todos durante os anos em que Beja definhou até à chegada do diabo? Sim, é que parece que o dormitório em que se tornou a cidade ao longo da sua parca vida pós 25 de Abril, era muito mais agradável do que ver novamente e finalmente a cidade com gente na rua, locais e estrangeiros. Os senhores comerciantes, alguns porque de certeza não foram todos, nunca tiveram quem lhes dissesse a verdade cara a cara, olhos nos olhos. Durante décadas acharam que por aqui viviam reis e rainhas, barões e baronesas, uma realeza provavelmente inspirada no seu imponente castelo, praticaram preços que envergonhavam os visitantes e deixavam o recado “compro o mesmo na minha terra por metade do preço”. Quantos exemplos querem? Não foi assim há tanto tempo que se ouviu um pouco por todo o lado que Beja tinha um dos comércios locais mais caros do país e aproveitando os bolsos cheios dos alentejanos, passámos a contar com os hipermercados que praticavam os preços mais caros do país. Não são só as montras que muitas vezes não apelam, são os próprios comerciantes e os empregados, mal dispostos e em quem a muito custo por vezes se lhes arranca um aziado ” bom dia”, mas se calhar tudo fruto da falta de caracter dos clientes, que teimam em sair de Beja à procura de melhor e mais barato. Já agora, de vez em quando acendam as luzes, porque por vezes fico com dúvidas se estou à porta de uma loja ou de uma caverna. Não há super-heróis nesta terra, nem nunca houve e quem faz alguma coisa hoje é uma espécie de chico esperto com a mania que andamos aqui a dormir. Felizmente não andamos todos, mas há por aí muitos bejenses que preferem viver no velho e abandonado dormitório, a viver numa cidade que realmente mereça esse título.

  9. João diz:

    Só nao percebo o que é que o comercio de há 30 anos tem a ver com o comercio de agora! Será que se pretende justificar as afirmações do Sr Presidente ? E o que se tem feito para ajudar os comerciantes e inverter a situação durante todos estes anos?

  10. bejense diz:

    Sr Frazão, os comerciantes de hoje não são os de há 30 anos, como diz o sr João. É outra geração, mais aberta e menos especulativa. Que luta contra tudo e contra todos. Só não esperavam que entre estes estivesse o presidente da sua câmara. Que vá fazer compras ao Algarve e fique por lá. Com amigos assim o comércio de Beja não precisa de inimigos.

  11. gajo dos big moments diz:

    O Senhor Frazão, não precisava de defender tanto um presidente que nessa atitude esteve mal, não ha necessidade de puxar para baixo o que se mantem com tanto custo.
    O presidente não prima por a simpatia ou pela boa educacão, não ha como esconder, defender ofendendo os que ousam resistir mantendo um negocio aberto é no minimo pouco…

  12. João Espinho diz:

    Caro Pedro Frazão, nenhuma razão pode permitir a um Presidente de Câmara atacar um sector do tecido empresarial de Beja, da forma como JR o fez. O resto são desculpas que não convencem.

  13. E o burro sou eu? diz:

    Mais uma prova provada que JR não merece ser Presidente da nossa cidade. Realmente, como se disse, com Presidentes destes, quem precisa de inimigos?? Por isso é que ele anda tão aflitinhos a fazer campanha nas aldeias, pois na cidade já ninguém “compra” a conversa dele, a nap ser, claro, meia dúzia de pessoas que mais parece que venderam a alma ao diabo e que se esqueceram o que disseram e fizeram há quatro anos atrás. Afinal…. mudam-se os tempos, mudam-se as vontades (e os ganhos/proveitos também!)

  14. corocota diz:

    O PCP está pouco habituado a ser contrariado e reage epidermicamente a qualquer crítica…neste caso é básico que um Presidente ausente , autocrático e que diz coisas dessas aos comerciantes locais demonstra uma boçalidade e tacanhez que não são já apanágio de nenhum Presidente de Câmara , mesmo dos interiores mais longínquos e “desfavorecidos”.
    Este episódio é mais um a juntar ás tristes figuras que tem feito quando fala da Cidade , quando é entrevistado ou mesmo quando é questionado sobre qualquer assunto…o País está a arrancar de uma crise grave , financeira , económica e social e Beja arrisca-se mais uma vez a ficar estagnada numa ruralidade que ,embora sendo a sua matriz , pode ter outra dimensão social ,cultural, de qualidade de vida e de conforto.
    A festança desmedida lembra a orquestra do Titanic…Há no entanto a meu ver um aspecto que urge clarificar aos defensores do “status” … quem critica a gestão não está a deitar abaixo a cidade , o que está é a manifestar o seu descontentamento pela forma como foi gerida , especialmente nestes últimos 4 anos…a propaganda conservadora dos “amigos do Presidente” defende a sua dama , mesmo contra todos os princípios ideológicos que deveriam nortear a intervenção de uma força “comunista”…alianças com os sectores mais conservadores e reaccionários , despesismo bacoco que raia a alienação das “massas” despejando doses massivas de festança sobre as pessoas …a ilusão da “obra feita” que em qualquer outra autarquia com a dimensão de Beja é “trabalho corrente”… a actual gestão CDU não trouxe nada de novo para a Cidade e para o Concelho , ao contrário de outras equipas CDU que passaram pela Câmara.

    Uma última palavra: parece-me indigno , injusto e de uma crueldade sem limites a forma como tem sido tratada a questão do POLIS e a forma descarada e emocionalmente fria como tem sido cruxificada a obra que levou, na altura, a CDU de Carreira Marques a manter-se no poder com o argumento , igualmente considerado, de “OBRA FEITA” . Não passaram assim tantos anos…é mais uma vez demonstrativo que a sede de poder do actual executivo e direcção política “sacrificando” camaradas que muito deram á cidade , ao Concelho e ao País não tem limites…revejam-se , se tem consciência política nos tempos da construção da Ovibeja , do abastecimento de água a partir do Roxo ,da nova ETAR, da Estação de tratamento de resíduos, da Biblioteca , da construção dos 270 fogos +97 fogos +48…cerca de 450/500 fogos de habitação social… e não me falem mais da Requalificação da rua x ou das pinturas do Vihls…o crescimento intelectual faz parte do processo de maturação…na política como na vida…

  15. Américo diz:

    @corocota
    Parabéns, acertou na muche. Excelente análise.

  16. Marcos diz:

    Quer-me parecer que os comerciantes não gostam de ouvir umas verdades. Eu saí de Beja há 14 anos, e cada vez que volto aquilo que vejo são lojas com as mesmas montras há 20 anos, que não se renovam, autocarros de turistas que chegam aos domingos e que não têm onde almoçar porque os restaurantes estão fechados, lojas abertas às 15h, sem ninguém, e a fechar as 19h, quando as pessoas podem andar na rua…
    Não fazem por melhorar.. saiam de Beja, viajem e vejam como em outros sítios as lojas se adaptam as necessidades das pessoas..
    E não fiquem a espera que seja a câmara a salvar os vossos negócios

  17. Pulinho diz:

    Realmente soa mal ouvir é verdade,e não o devia dizer, mas desta vez tenho que concordar com ele, ora digam lá,não é o que fazemos todos??Ir a caminho do algarve aos primark,as guias,foruns almadas e até a espanha fazer os avios de roupa e não só??
    Comprar no comercio local como chamam é o que?? Ir aos chinenes ,aos ciganos ou as grandes superfícies ,que isso sim estão sempre a abarrotar…

  18. Praça da República » João Rocha demonstra tacanhez diz:

    […] Este episódio é mais um a juntar às tristes figuras que tem feito quando fala da Cidade , quando é entrevistado ou mesmo quando é questionado sobre qualquer assunto… o País está a arrancar de uma crise grave , financeira , económica e social e Beja arrisca-se mais uma vez a ficar estagnada numa ruralidade que ,embora sendo a sua matriz , pode ter outra dimensão social ,cultural, de qualidade de vida e de conforto. A festança desmedida lembra a orquestra do Titanic… Há, no entanto, a meu ver, um aspecto que urge clarificar aos defensores do “status”…quem critica a gestão não está a deitar abaixo a cidade, o que está é a manifestar o seu descontentamento pela forma como foi gerida , especialmente nestes últimos 4 anos…a propaganda conservadora dos “amigos do Presidente” defende a sua dama , mesmo contra todos os princípios ideológicos que deveriam nortear a intervenção de uma força “comunista”…alianças com os sectores mais conservadores e reaccionários , despesismo bacoco que raia a alienação das “massas” despejando doses massivas de festança sobre as pessoas …a ilusão da “obra feita” que em qualquer outra autarquia com a dimensão de Beja é “trabalho corrente”… a actual gestão CDU não trouxe nada de novo para a Cidade e para o Concelho , ao contrário de outras equipas CDU que passaram pela Câmara. […]

  19. bejense diz:

    A grande diferença é ser alguns bejenses a dizê-lo ou o Presidente a dizê-lo, na cara aos comerciantes.
    Em vez de apostar rios de dinheiro numa fileira inexistente dos cavalos e patrocinar viagens a Ponte de Lima para estabelecer contactos, sabe-se lá com quem e porque motivo, devia sim, pegar nesse dinheiro e investir no comercio local, precisamente para ajudar a modernizar os comerciantes, as lojas e os negócios.
    Será que dá assim tanto trabalho apostar nas pessoas de cá, ou não o sabe fazer?
    Será que é assim que pretende dinamizar a cidade, ou o Norte merece mais?
    Nem quero pensar o que será da nossa cidade e do concelho se tivermos a pouca sorte de o gramar mais quatro anos… quero acreditas que os bejenses têm mais amor próprio que isso…

  20. Américo diz:

    Estamos a ser injustos ao meter todos os comerciantes no mesmo saco. Sim é verdade que há lojas que pararam no tempo, e estas mais cedo ou tarde estarão condenadas. Mas há igualmente excelentes exemplos de quem luta, de quem insiste em remar contra a maré. Vejam os exemplos de excelentes espaços comerciais, de pessoas novas, que arriscam em fazer diferente, de ter ideias novas. Existem esses espaços na cidade de Beja.
    A questão do domingo é realmente pertinente. De facto do dia dominical não se vê quase nada aberto. Mas correndo o risco de estar enganado, acho que me lembro de ter lido de haver dificuldade em obter licenciamento para funcionar em outros horários que não o convencional. Se for assim, uma parte do problema poderá estar explicado, se não for assim, é mesmo malandrice.

    Quanto ás idas aos centros comerciais, não vamos ser mais papistas que o papa, toda a gente as faz. É inevitável.
    Mas se olharmos bem, a médio-longo prazo, mesmo essas irão ter dificuldades em manter-se no “esquema tradicional”. Hoje em dia já consigo encomendar on-line um par de sapatos( por exemplo) e ter entrega no dia seguinte…

  21. Pulinho diz:

    @bejense, eu acho que o problema não é dize-lo!!!(e não devia.) É faze-lo…

  22. comerciante diz:

    A reunião não foi organizada pela associação comercial e sim por alguns comerciantes que se juntaram e pediram uma reunião com o presidenteda Câmara.
    Sim ele foi arrogante , disse algumas coisas que não lhe ficaram muito bem , os comerciantes iam em ” desespero” a pedir ajuda .
    Eu propria fiquei decepcionada com a reunião.
    Mas o que é certo é que ele ouvio nos e o centro começou a mexer .
    Nos pedíamos dinamismo.
    Pediamos eventos no centro .

  23. Logista diz:

    Infelizmente para os bejenses o que é bom é o que é de fora .
    As lojas em beja estão cada vez mais modernas e já não envergonham nenhum bejense.
    Existem ja muitas lojas abertas das 9 as 19 horas .
    Sejam bairristas esse é o problema dos bejenses .
    Somos valorizados por quem vêm de fora enquanto os ” nossos” só sabem criticar.
    Por acaso sabem que existe uma loja em beja que foi considerada dentro do comercio local por uma empresa espanhola que tem 220 clientes de norte a sul do país a .melhor ?

  24. João Espinho diz:

    Qual foi a loja?

  25. A diz:

    Começou a mexer durante uns 5 dias ou 6 dias. Se é comerciante concerteza nesses dias ganhou para o ano todo. E os comerciantes que não estão no centro ? Morrem de fome? Sejamos sinceros, passaram as festas e estamos na mesma, digo estamos porque sou comerciante.

  26. Logista diz:

    Tambem acho que começou a mexer mais qualquer coisa . o comércio já não vai voltar ao que era à 20 anos atrás.
    O cliente em 40 minutos está nos centros comerciais a venda online está a crescer cada vez mais .
    Agora podemos dar o melhor que o comercio local / tradicional tem 😊simpatia , qualidade dinamizar os produtos sei lá tanta coisa.
    Agora o mais importante é acreditar em nós , que somos capaz.
    E sermos bairrista

  27. corocota diz:

    O desenvolvimento sustentado é multifactorial e não se resolve com festas .
    Resolve-se com a análise dos problemas e com a participação de todos os intervenientes/ interessados ( “stakeholders” , se quiserem). é evidente que o comércio de Beja , como o de outras Cidades do País , reflecte a capacidade financeira dos cidadãos que lá vivem e a capacidade de captar clientes “externos”.
    Nesse aspecto melhoramos um bom bocado de há 2 anos para cá pelas políticas levadas a cabo pelo Governo do PS, como se sabe, e é de justiça referi-lo com o apoio do BE e da CDU .
    Mas no microcosmos local, compete ás organizações empresariais o” locus” de análise interno , as potencialidades e constrangimentos dos diversos sectores e o apoio técnico a projectos.
    Depois deveria existir uma EFECTIVA e não “Virtual” interface com a Autarquia no sentido da criação de condições para que projectos e estratégias de desenvolvimento sectorial fossem levados por diante. Ganhava a Cidade e o Concelho e ganhavam os protagonistas/ comerciantes.
    Mas como é que querem desenvolver o sector com interlocutores que ABOMINAM a Europa , HOSTILIZAM a permanência no Euro , desancam forte e feio no “patronato” em geral , apoiam Ditaduras como a Coreia do Norte e nada dizem quando os E.U.A. congelam os bens( gostaria de saber quais e quantos) que Nicolás Maduro tem nos Estados Unidos…e abate manifestantes na rua…
    Uma coisa que me tem intrigado é que muitos dos ditos comunistas da nossa cidade e do nosso Concelho tem os filhos a trabalhar em Países Europeus , como a Inglaterra, França ou Alemanha, ou nos Estados Unidos e até na Austrália…e lá não me parece que integrem qualquer movimento Político Contra o tal Capitalismo Selvagem ou pela saída da Alemanha do Euro , por exemplo…seria até engraçado…

  28. Margarida diz:

    Não concordo com o esbanjar de dinheiro que se tem visto, mas como cliente que tenta comprar no comércio tradicional concordo com as afirmações do senhor presidente. Há dias tentei comprar no comércio local. Eram 9:20h e só as lojas dos chineses é que estavam abertas. Vi que aquela loja onde queria ir tinha na porta abertura às 9:30h e na licença da Câmara 9:40h. Para fazer tempo bebi café, vi as montras degradantes das lojas ainda fechadas e passeei pelas lojas chinesas já abertas. 10h voltei a passar pela dita loja (precisava mesmo de coisas daquela loja). Ainda fechada! Farta, voltei para casa, comprei o que precisava na internet (mais barato) e no dia seguinte tinha a encomenda em casa… eu ainda tento comprar no comércio local, mas ou a loja está fechada, ou não há o que procuro, ou se há custa 4 vezes mais que na internet… senhores comerciantes, revejam a vossa postura e não se queixem tanto!

  29. bejense diz:

    Uma vez queria comprar um jogo daqueles didáticos e fui a uma loja ali ao pé do terreiro dos valentes, quando entrei e perguntei pelo jogo a resposta do senhor foi:” para estar aqui não deve haver lá em baixo”…tive que virar as costa e ir embora.

  30. João Espinho diz:

    @bejense – se vamos desenrolar os tesourinhos que são as respostas de alguns comerciantes, ficamos aqui uma eternidade 🙂

  31. Anarko Cristão diz:

    Gostava de saber quais as Famílias que esse comentador, pelos vistos anónimo , acha que o município deve ajudar? E senhor dono deste espaço sempre que por azar aqui paro são sempre comentários do comentador do disse que disse….. o senhor não tem voz própria?

  32. João Espinho diz:

    @cristão – azar o seu.

  33. Américo diz:

    E alguém é obrigado a vir aqui? eu por exemplo tenho alguns sites\blogs na “casota do cão”, simplesmente não vou lá. Isto não é defender nada nem ninguém, é apenas ser racional.

Deixe Uma Resposta