Abr 18 2017

Beja – Festas e foguetes

Publicado por as 11:28 em A minha cidade,Autárquicas 2017

Escreve Luís Palminha:

“O que o povo quer é festas e foguetes e de preferência, gratuitos… e em véspera de eleições autárquicas, há que entrar com todos os trunfos!

Temos festas para todos os gostos!

Venham! Venham até Beja, a cidade que dorme à sombra dos seus próprios problemas mas que sempre apresenta soluções para tudo o que não é um problema.
Que ninguém diga que não acontece nada em Beja ou que Beja é um marasmo.

Não senhor! Esta é uma cidade inovadora, que cresce a olhos vistos, que aposta no desenvolvimento e que contraria a maioria dos restantes Concelhos do Distrito e do Interior do País. Somos “A CAPITAL DO DISTRITO” e a referência!

Não temos por cá problemas de envelhecimento da população visto que todas as semanas chegam Expressos (porque os comboios ficam avariados entre Casa Branca e Beja) recheados de Jovens prontos a iniciar uma nova vida por cá!

Em Beja, temos Carnaval duas vezes por ano! Isto sim é dinâmica! Sim, mas não temos cá dessas meninas seminuas. Porque gostamos do Carnaval a sério, temos o Carnaval e temos também a Beja Romana, para os homens exibirem as suas pernocas brancas em trajes que de rigor histórico, pouco ou nada têm. É só pegar no lençol de casa, enrolar em torno do corpo (deixando as belas das pernocas ao sol), calçar umas sandálias e fazer pose de gente nobre!

Este ano, por ser um ano especial, até temos Ney Matogrosso (16 de Junho), Miguel Araújo (15 de Julho) e Seu Jorge (14 de Julho)!

Não meus amigos, estes não são artistas da Ovibeja (que por norma tem costuma concentrar o melhor cartaz de artistas do ano).

Mas temos mais… temos também a Horseball Champions League. Esse desporto tão adorado e um dos mais praticados por todo o Alentejo. Não era, mas tornar-se-á uma tradição, no dia seguinte à sua realização!

Portanto, já sabem… estão convidados a conhecer o Concelho referência do País!

Post Scriptum: Se se sentirem “à rasquinha”, podem sempre utilizar as wc’s do Aeroporto de Beja. Dada a pouca utilização que têm, estão sempre muito asseadas e cheirosas! (esta última parte é totalmente verdade!)

#bejaabombar #festejareesquecerosproblemas #umacoisadecadavez

[Não me incomodam as festas, pois tal como a maioria também gosto. O que me incomoda é o oportunismo e o cinismo político.]”

Share

8 Resposta a “Beja – Festas e foguetes”

  1. Luís Palminha diz:

    Até digo mais.

    Não é o facto de diversas entidades e a própria autarquia promoverem a diversidade de diferentes ofertas culturais.

    Não é isso que está em causa.

    O que está em causa é muito mais do que isso.
    É o tacticismo político de quem quer mostrar uma realidade de algo que não é.

    Falemos de cultura. Com toda a concentração de festas na cidade, o que é que sobrou para as freguesias rurais? Quantas peças de teatro ambulantes visitaram as freguesias rurais? E fogo de artifício? Também houve ou foi apenas na cidade?

    Então e a grande central de produção de betão asfaltico? Ao fim de um mandato qual é o Custo/Benefício daquele equipamento?

    Qual foi o valor atribuído em bolsas de Estudo pelo município e a quem é que foram atribuídas essas mesmas bolsas? O último edital publicado no site, diz respeito à abertura das candidaturas para o ano lectivo de 2013/2014.

    Não há um único partido político que questione isto? Anda tudo a dormir na cidade de Beja?

    Não me chegam as festas. Quero uma gestão da “coisa pública transparente”. Não quero compadrios! Não quero concursos com vencedores à cabeça! Quero pessoas com opinião e que saibam esclarecer os porquês das suas opções, para além das suas próprias vontades ou do seu ego.

    Sim, todos queremos festas. Sim, porque todos, ou quase todos gostamos de cultura.
    O que se passa é que entendemos que a gestão cultural pode ser diferente.

    Sobre o Beja na Rua, que vai na sua segunda edição. Não consideras estranha a dimensão dos artistas numa segunda edição? Digo isto porque conheço bem o associativismo e só se avança para nomes desta envergadura financeira, se por trás de uma associação estiver alguém com uma conta que apresente garantias. É muito estranho a Câmara falar pela Associação Zarcos, mas isso é lá com eles. Cada um cuida do seu “couto”.

    Horseball Champions League. Gostava de saber todo o enquadramento financeiro desta “operação”. A sério que gostava. Pode ser que entretanto surja a informação dos montantes no BASE.GOV. Aguardemos.

    Em suma. A mim não me chega parecer! É preciso ser!
    Quanto a mim, considero que há um infinito de coisas urgentes fazer em Beja, mas o mote está dado pelo “regime”. Vai haver festas até às eleições e como todos sabemos, são as festas que dão os votos.

    Sigam as festas!

    Post Scriptum: Deixo aqui um bom exemplo de cultura ambulante.

  2. enxoe diz:

    Acabo de ler esta longa lista!uff…e pergunto me porque será que fico triste?!tudo isto e mais 100 000 euros para a Fundação Serralves, alias devem estar bastante necessitados…será que estou louco?!

  3. Mustafá diz:

    Santa ignorância, Luís !!

  4. Bernardete diz:

    Não me parece nada mal que se façam festas, a minha questão é : quando as festas acabam e o pano se fecha o que é que fica feito?
    Alguns dirão, memórias de momentos bem passados! É bom, mas o que é que isso contribui para o desenvolvimento da cidade e do concelho?

  5. bimbo diz:

    Parece que alguns cristãos-novos se picaram com este texto.

  6. viver Beja diz:

    Um partido que quer sair da união europeia, gasta os fundos europeus a fazer festas e mais festas! Merecem um Grande LOL!

  7. Alentejo dos pequenitos diz:

    E entretanto, Ponte Sor que tem um aeródromo, organiza o maior evento aeronáutico do país, colocando aquela cidade na vanguarda do cluster aeronáutico nacional, a par com Evora, enquanto Beja, a única que tem um verdadeiro aeroporto fica a ver os aviões passar e a reclamar dos outros…ou fazer festas…
    Estratégia de desenvolvimento…isso é o quê? Dá votos? Aí não, então que se lixe a estratégia e não as eleições!

  8. 2D diz:

    Quem não vota no Rocha e não abana a cabeça com um sim é “ignorante”
    Deixem de ser lambe-cus e trabalhem em prol de um distrito que não têm dinâmica, não tem projecto, arrisco dizer que não tem futuro! Só tem coisas velhas, arcaicas, festas para o povão e cada vez mais cinzento, menos dinâmico, sem população, sem cultura, sem oferta formativa adequada… isto é o futuro que queremos?
    Sou ignorante porque não vejo futuro no turismo?
    Sou ignorante porque não vejo futuro na fixação de jovens?
    Sou ignorante porque não vejo inovação empresarial, ou alguma coisa que mexa é mínima e sem compensar o saldo negativo empresarial que temos?
    Sou ignorante porque não bebo copos nas festas com o Roca e não “petisco” negócio para a minha actividade?

    Haja ignorância.
    Foi mais um mandato perdido… e Beja continua a desfalecer porque quando só existirem os que dão os améns ao Rocha e compadrios (pq há por aí muitos), podem fechar a localidade.

Deixe Uma Resposta