Ago 27 2016

Alguém sabe

Publicado por as 20:07 em A minha cidade

rua1

rua2

Onde fica em Beja a rua que já é conhecida por “quebra carros”?

Share

17 Resposta a “Alguém sabe”

  1. atento diz:

    Deve ser alguma moda trazida pelo sr Rocha numa das suas viagens ao Brasil. Viu lá muitos quebra-molas e enquanto não os instalou em Beja não descansou. Depois disto e do depósito abaixo que mais nos irá acontecer?

  2. Maria diz:

    O meu carro já foi um deles.

  3. Zazus diz:

    O que mais me preocupa é a passagem de ambulâncias – Espero que quem teve a brilhante ideia das lombas seja o primeiro a estrear as ditas cujas!

    Imagine-se alguém com traumatismos a ser transportado de ambulância – Nem vale a pena seguir para o hospital…. vira à direita e vai logo para o cemitério….

    É a ALMA CRIATIVA no seu esplendor!

    Aposto que algum do financiamento desta obra vêm da Monroe (para quem não sabe, um dos maiores fabricantes de amortecedores do mundo).

  4. Allianz diz:

    Para quem “partir” o carrinho numa destas lombas deve agir assim:

    1
    Se tiver seguro de danos próprios, chama a policia que toma conta da ocorrência, e acciona a seguradora, que paga a reparação. Em seguida a seguradora pede o direito de regresso ao causador do sinistro (o dono da obra).

    2
    Se o seu seguro não é de danos próprios, chama a policia que toma conta da ocorrência, e contacta o dono da obra para assumir os prejuízos. Se não assumir voluntariamente, intenta uma acção em tribunal.

    Importante: Chamar sempre as autoridades, senão o dono da obra não assume os prejuízos.

    Muita gente já viu recusada pela Autarquia a responsabilidade de sinistros por vias deficientes, causadoras de acidentes e danos em viaturas, exactamente porque as autoridades não registaram a ocorrência. É só procurar nas atas de reuniões de câmara, onde são invocados estes argumentos.

  5. J.J. diz:

    Infelizmente trata-se de uma autêntica epidemia e que pelos vistos chegou a Beja.
    O meu primeiro contacto com esta forma cáustica de redução da velocidade foi há já alguns anos em Moura.
    Seguia numa via perto do castelo, quando sem que nada o fizesse esperar, ergue-se uma autentica barreira à minha frente. Não tendo partido o carro só por milagre.
    E a última foi em Vidigueira, em que a autarquia decidiu destruir autenticamente a excelente estrada que atravessa a vila, e enchê-la destas barreiras de mau gosto.
    Será que não há mesmo alternativas a estas aberrações?

  6. XXL diz:

    Já fiz nos dois sentidos a respectiva via e é um perigo mesmo dentro dos limites de velocidade.
    Só lhes digo que a 1ª lomba, próximo ao Jardim da Rampa, só se pode fazer a subir em 1ª e a 5 Km/h, porque o impacto é brutal.
    As restantes intermédias fazem-se mas são também exageradas e a última próximo ao cruzamento para a Praça de Touros é também brutal pelo pancada que origina mesmo devagar.
    Deixo uma sugestão o presidente João Rocha e os vereadores que conduzam na via nos dois sentidos e tirem conclusões nos seus próprios veículos, porque se os danificarem pagam, e se forem nos da autarquia e partirem quem pagam somos todos nós.

  7. Manel de Trigaches diz:

    Grandes lombas sem dúvidas, mas uma brincadeira de crianças se comparadas com as 7 lombas que atravessam a localidade de Nossa Senhora das Neves. Parece que tamos a trepar ao Evereste e a descer… É literalmente a “partir”!

  8. CarlosC diz:

    É uma moda que já se espalhou por todo o país.
    Em Oeiras/Cascais há diversas e para mais alcatroadas – em diversos casos não estão sequer pintadas ou assinaladas – até de dia custa a distinguir a estrada da lomba.
    Pelo menos as que ainda ontem vi em Moura e na Vidigueira estavam minimamente visíveis.
    O argumento de que se forem atravessadas na velocidade autorizada (normalmente 30/50 Km) não pega pois como já foi referido existem algumas em que mais parece estarmos a subir um passeio.

  9. hans virago diz:

    Caramba, pá!

    Uma rua acabadinha de fazer, praticamente sem utilização nenhuma, e já houve alguém que tratou de a sujar toda.

    Parece impossível pá!

  10. Luís Tavares diz:

    Há já algumas décadas que alguns países trogloditas aderiram a esta mania de elevar as ‘passadeiras’ de peões e colocá-las ao nível dos passeios (Noruega, Suécia, etc). É óbvio que é de gentinha medíocre que só sabe andar a pé. Será que esta escumalha nórdica e seus seguidores não acham que seria bem melhor acabar de vez com as passadeiras para peões?! Será que esta escumalha não percebe que nós, condutores de veículos automóveis, temos pressa de chegar?!

  11. João Espinho diz:

    Somos bons a (tentar) imitar trogloditas.

  12. LascaCarters diz:

    eu avisei!!! joao espinho….onde anda o luis? queres ver que foi o carro dele??

  13. hpalma diz:

    Eu concordo com estas passadeiras quando bem desenhadas e identificadas e acho até que deveria haver uma normalização das mesmas para que possam contribuir para a segurança de todos.
    Numa pesquisa rápida escobri um manual de boas práticas no desenho das mesmas. É uma questão de imprimir e entregar ao dono da obra.

    http://www.sfbetterstreets.org/find-project-types/pedestrian-safety-and-traffic-calming/traffic-calming-overview/raised-crosswalks/

  14. LascaCarters diz:

    hpalma imprimir e entregar aos incompetentes eleitos!! é verdade que é uma das artérias com registo elevado de atropelamentos, mas isto era escusado!!! sim esta a ficar remodelada, já não era sem tempo, mas porra!!! tem umas lombas… enfim!!

  15. João Espinho diz:

    @hpalma – interessante.

  16. João Espinho diz:

    Já agora, a maior parte das passadeiras para peões, na nossa cidade, parece serem feitas sem nexo.

  17. atento diz:

    E a maior parte nem se vê, estão apagadas.

Deixe Uma Resposta