Fev 05 2016

Não nos tomem por burros chapados!…

Publicado por as 15:11 em Blogosfera

Burros

Escreve António Pinho Cardão:

“No princípio, era o fim da austeridade, a aposta no crescimento, através do consumo, a eliminação imediata da CES,inconstitucional, o aumento das reformas, o fim imediato do IVA da restauração, a retoma dos vencimentos dos funcionários, o horário das 35 horas e maná a cair dos céus a todo o momento. Promessas vãs ou logo oneradas por novas exigências. Mas ainda ontem ouvi o 1º Ministro a repetir o fim da austeridade.
(…)

Lembrei-me de uma grande maioria de cidadãos trabalhadores do sector privado que, não vendo os salários aumentados, vêm diminuído o seu nível de vida, graças aos novos impostos que lhes são esportulados.
Tive vergonha. Porque também me lembrei que impostos sobre os combustíveis aumentam os custos empresariais, diminuem a competitividade e fomentam o desemprego.
E tive também vergonha, porque aquela bandeira, a do crescimento do consumo como motor do crescimento foi logo a primeira a ser golpeada por quem a erigiu.
Eu sei, sempre soube, que a elaboração do orçamento é tarefa árdua e complicada e vai exigir sacrifícios. Mas, tenham vergonha, não nos tomem por burros chapados. Façam tudo o que quiserem, mas não nos venham dizer que a austeridade acabou. Se têm algum resto de dignidade.

(ler aqui)

Share

6 Resposta a “Não nos tomem por burros chapados!…”

  1. Américo diz:

    Não era este o orçamento que Costa apelidou do orçamento com as “continhas todas feitas”? Se esta barraca toda foi apenas para o rascunho, imagino o orçamento propriamente dito. Já para não falar na execução orçamental. Vai ser a divina comédia.
    Que em perdoem, mas cada vez que olho para a cara do Centeno, faz-me lembrar um tal Frankenstein que acordou agora e nem sabe bem o que têm nos braços.

  2. lição de tango diz:

    Certamente não é o orçamento ideal (já perdemos a nossa soberania financeira) mas não comparem com os orçamentos do anterior governo com sucessivas inconstitucionalidades e que foi um autêntico roubo a uma grande parte dos portugueses, nomeadamente a classe média, que foi a grande sacrificada.

  3. Américo diz:

    E quem é que acha que vai levar em cheio com estas medidas agora acordadas? Acerta na mouche na classe média.
    TC? não passa de uma elite que só olha para o próprio umbigo, ou acha que eles estão preocupados com o bem estar da classe média\baixa? Se estivessem não deixavam chegar isto a onde chegou, o problema foi que lhes começaram a ir á carteira( diga-se de passagem a primeira vez que me lembro), até lá quando os cortes eram para os “outros”, assobiavam para o lado.

    Além disso, acha que aumentos de 1€ é o virar de página prometido?
    Mais, sabe o que quer dizer na realidade a palavra “austeridade”? É fácil, é porem-nos a gastar e a redistribuir conforme as nossas capacidades/possibilidades( já que nós próprios somos incapazes de o fazer). Custa e fere ouvir isto, mas é a pura das verdades.

  4. CC diz:

    Os outros ou sejam PSD e CDS viram nos 4 anos de gestão todos os orçamentos chumbados no Tribunal Constitucional e com a CE, aceitaram tudo !

    Agora a AUSTERIDADE de ESQUERDA, terá outros visados e só recairá sobre eles se gastarem e não cortarem, é a diferença total .

    E agora a TAP, já está : 50% Estado, 45 % privados e 5 % trabalhadores.

    Gestão e estratégia privada !

    Que grande negócio …

  5. Américo diz:

    É o normal, quando a austeridade é de direita é péssima, destruidora, e chantagista. Quando é de esquerda, é um mal menor, mais justa e equilibrada. Enfim, o normal e ao fim e ao cabo, mais do mesmo.

    Sobre a TAP, já nem sei o que dizer. Costa afiançava que iria reverter para o estado o controlo da TAP, custe o que custar. Fica com 50% do capital, além da gestão e estratégia privada. E chama ele a isto controlo estatal.

    Acho que a posição dele já passou de arrogante para caricata.

  6. Américo diz:

    Vale a pena ler:
    http://expresso.sapo.pt/blogues/blogue_bloco_de_notas/2016-02-06-TAP-dizem-que-e-uma-especie-de-vitoria

    http://expresso.sapo.pt/economia/2016-02-06-A-verdade-em-seis-pontos-sobre-o-negocio-da-TAP

Deixe Uma Resposta