Out 18 2015

Depósito de água – sim ou não?

Publicado por as 16:52 em A minha cidade

210420131605-350-depositoBeja
foto: radio pax

depósito

depósito2


ACTUALIZAÇÃO:

deposito PS

Ler também: Contributo para a discussão pública deste assunto

Share

10 Resposta a “Depósito de água – sim ou não?”

  1. José Filipe Murteira diz:

    http://notasaesquerda.blogspot.pt/2015/10/e-um-dia-o-deposito-vem-abaixo.html?spref=fb

  2. Rui Marreiros diz:

    Assim lá vamos nós fazendo o debate ainda que seja na ausência de uma das partes, talvez a parte que mais justificações nos deve.

    De qualquer forma reitero aqui posição antiga.

    http://www.psbeja.pt/cronica-de-uma-queda-anunciada-ou-talvez-

  3. Blue Eagle diz:

    Duas notas na reportagem do DA sobre o assunto:
    – Onde se escreve “João Rocha, entre outros especialistas, justificam e (…)”.
    Li bem? João Rocha “entre outros especialistas”??? Especialista em quê? Em “derrubes” de depósitos de água? Minha Nossa Senhora, vai bonita a andança vai…
    – No folheto escreve também… António Ceia da Silva!? A que título? Mas o que sabe Ceia da Silva sobre Beja, a sua história e sobre as possibilidades que o Depósito da Água tem de poder ou não ser recuperado??? O mesmo que eu sei sobre a realidade de Portalegre certamente ou seja, NADA! Foi-lhe “encomendada” opinião por JR nalgum passeio que fizeram em comum por alguma Feira? Só pode!
    Eu não tinha opinião sobre o assunto mas depois de ler o folheto e o artigo do DA, começo a inclinar-me seriamente para defender a manutenção do Depósito da Água, recuperando-o.

  4. Atento diz:

    Quantas pessoas do executivo, das que são a favor da demolição do depósito, são de Beja?

  5. rochinhas e rochetes diz:

    Para além da questões técnicas, financeiras, patrimoniais e estéticas, há, agora, que também colocar a questão política(não partidária) de saber se um presidente de câmara pode(deve) decidir sózinho, sem ouvir e debater com os munícipes, num assunto que importa, como se conclui facilmente, à comunidade, a qual sobre a matéria não é unanime na sua opinião.
    A câmara tem a obrigação, inclusive legal, de antes de tomar uma decisão ter os elementos minímos para o fazer, o que continua a não acontecer para a versão demolição (ao contrário do que acontece para a versão requalificação), conforme, mais uma vez, se constata no artigo do DA(ainda nem sequer o método de demolição foi estudado).
    Há que exigir este acto de cidadania, democracia e transparência, que é o debate e a participação públicas.
    Caso tal não aconteça, avancemos para uma providencia cautelar!

  6. João Paulo Ramôa diz:

    Pode ser qua a cidade acorde para a discussão de algo muito discutível. Que nunca se chegará a uma opinião única, temos todos a certeza. Mas podemos chegar à melhor das soluções. Mas para isso temos de ter a melhor das informações.

    Do ponto de vista técnico, não são intransponíveis as limitações. Poderão ser soluções mais complexas ou menos, mas nada que a engenharia não saiba resolver. Do ponto de vista económico, o valor que pelos vistos está em causa e que cujo impacto se perpetuará por muitos anos, perde logo à partida o seu significado, alem de que, estaremos sempre a falar numa diferença de custo de uma solução A para B.

    Não tenho por ora nenhuma opção definitiva pois assim como a muitos dos bejenses, falta-me elementos suficientes para uma opção consciente.

    Mas á partida, de algo estou seguro. Demolir o que existe carece de uma boa justificação……,pois já existe. E por ai começaria analisar as opções, tendo a manutenção do que existe, o depósito e o fórum, como prioritária. Embora sem perder de vista a demolição.

    E começaria por algo muito concreto. Tendo Portugal dos melhores arquitectos do mundo, lançaria um concurso de ideias para a compatibilização do deposito e do fórum romano. Com uma equipa pluridisciplinar, que envolvesse os tais arquitectos, os tais engenheiros de estruturas, os tais historiadores e os tais arqueólogos, de modo a nos ser apresentado soluções coerentes e não de opiniões avulso, por muito meritórias que estas sejam. E depois cada um opinaria conforme a sua sensibilidade.

    E depois……….a vida é feita de opções.

    Nota : João – a tua foto é horrível….risos. Se o aspecto visual da cidade fosse nessa perspectiva, era para demolir e já…..risos

  7. mikefox diz:

    Demolir sem duvida, não é uma antiguidade é uma construção velha e sem utilidade, que está edificada numa zona da cidade que tem de ser ”requalificada” de modo a por a mostra e acessível a todos o antigo fórum romano de Beja,isso sim uma antiguidade.

  8. CC diz:

    Se fôr por adjudicações directas e por fases, lá temos a empresa do familiar do presidente de Viana do Castelo com o evento adjudicado.

  9. Atento diz:

    @mikefox vão também demolir a adega 25 de Abril, a Pipa e todas as casas por ai a fora ou será só mesmo o reservatório que está em cima?

  10. Júlio César diz:

    @Atento – Essa seria a melhor ideia: O depósito vir a baixo e com ele todo o quarteirão da rua da Moeda, rua dos Escudeiros e Abel Viana. deixando apenas os edifícios de referência da frente praça da República (CRBA, AT e futuro museu de arqueologia)e o edifício da Capricho Bejense (como centro cultural), promovendo um mega-parque arqueológico e cultural no centro da cidade. É apenas uma ideia, como outra qualquer.

Deixe Uma Resposta