Out 20 2015

Depósito de água – Opiniões

Publicado por as 20:36 em A minha cidade

brochura

susana

Rocha

cláudio

Estas opiniões podem ser lidas numa brochura editada pela Câmara Municipal de Beja.

Aguarda-se a edição de um brochura com opiniões contrárias.

Share

8 Resposta a “Depósito de água – Opiniões”

  1. atento diz:

    Face ao que aqui está escrito na brochura da câmara e que desconhecia, para mim não restam dúvidas sobre a solução. Demolir o depósito garantindo o normal abastecimento de água nessa zona da cidade e trazer à luz do dia tão importantes achados. São este tipo de “tesouros” que trazem gente às cidades com o natural desenvolvimento que isso implica, não só para a economia local mas para colocar Beja no mapa das cidades que atraem visitantes. E, com essa vinda, certamente que teremos ocasião de mostrar os vários tesouros de que dispomos, nomeadamente a gastronomia, a agricultura que é uma área com grandes potencialidades devido ao regadio, o clima, a simpatia das nossas gentes. Parabéns pela boa decisão da câmara, na minha modesta opinião.

  2. bejense diz:

    Aquela montagem é uma mistificação, para que os bejenses pensem que com o depósito derrubado vão aparecer dois templos como os da imagem. Chama-se a isso enganar o pagode. Na melhor das hipóteses o que vai aparecer são os alicerces do mais pequeno, como já estão à vista os do maior. nada mais do que isso. Mas para justificar o derrube vale tudo, até enganar as pessoas com montagens 3D,

  3. mikefox diz:

    É claro que os templos não vão aparecer,conforme eram há 2000 anos,se o bejense pensa isso deve mudar de nome para eborense,pois se pensa que os bejenses são crédulos ao ponto de acreditar que uma vez demolido o depósito de água vão aparecer dois templos romanos por obra e graça do espirito santo então é xxxxx,e não merece o epiteto de bejense.

  4. rochinhas e rochetes diz:

    @atento…mas pouco! O Bejense tem toda a razão. De facto, justificar o derrube do depósito invocando que se vão pôr a descoberto tesouros excepcionais é uma falácia. Desde logo, porque a própria construção do depósito destruiu, em princípio, as estruturas do que restaria do templo, isto é, os vestígios de umas paredes em pedra, que não constituirão, certamente, um grande atrativo para turistas. Já a recuperação e valorização do depósito, transformando-o num miradouro excecional para visualizar não só todo o conjunto arqueológico do museu vivo como também a cidade, seria uma mais valia para todo o projeto e uma inovação com forte capacidade atrativa. Para além disso, bem ou mal, o depósito também já é um testemunho da história da cidade e não se entende como é que um projeto patrimonial designado arqueologia das CIDADES DE BEJA, defende a destruição deste património industrial da nossa época, para deixar apenas os vestígios do período romano(quando naquele espaço já estão a descoberto as principais estruturas romanas). Alguns arqueólogos só olham e valorizam os testemunhos da época a que dedicam os seus estudos, o que é totalmente errado, como se tem vindo a reconhecer atualmente a nível mundial. É preciso preservar, em simultaneo, os testemunhos das várias épocas para se perceber a evolução dos espaços e as alterações das suas funções ao longo dos tempos. Se assim não tivesse sido sempre, hoje não teriamos vestigios a não ser da época imediatamente anterior.

  5. CC diz:

    Esta arqueóloca Susana Correia é a que no POLIS Beja ” fomentou ” o Museu do Sítio com milhares de visitas mensais e nesta última dezena de anos tem estado mais tempo fechado que aberto e teve uma associacção de arqueologia da qual era presidente a ter trabalhos por ajuste directo inúmeras vezes, é bom ter memória e o que pode estar por detrás da demolição …

  6. mikefox diz:

    É o nosso maior defeito enquanto povo,passamos o tempo a falar e não fazemos nada.É assim em muitas coisas,o Alqueva,5 décadas de conversa e só agora vai tomando a sua forma final;Aeroporto de Beja,3 décadas de conversa e continua sem funcionar na prática(os espanhóis em Talavera em dois anos falaram e fizeram o que tinham a fazer,resultado,Badajoz tem aeroporto.E nós aqui a perder tempo a falar sobre um depósito de água com 70 anos e sem utilidade, se isto se aquilo,por favor vão lá trabalhar e deixem-se disto

  7. arqueólogo diz:

    Sobre essas opiniões há uma coisa que ainda ninguém se lembrou. Tirando o Cláudio Torres os outros têm todos ligações ao poder camarário. Dependem de uma maneira ou de outra de apoios da câmara para os seus projetos, a Susana é aliada política e o Ceia da Silva esse dá-se bem com todos para conserver o poder dos silvas no turismo do Alentejo.

  8. João Espinho diz:

    @arqueólogo – na mouche!

Deixe Uma Resposta