Ago 15 2015

Autocarro à borla

Publicado por as 22:50 em A minha cidade

Junta Neves

Da aldeia para a cidade.
Visto aqui

Share

3 Resposta a “Autocarro à borla”

  1. capitao diz:

    25 de Abril sempre. Assim foi o 25 de Abril no desfile. E o Cante não foi tratado melhor. Vergonha. Fotografia da CMB. https://www.facebook.com/camaramunicipaldebeja/photos/a.731254626979356.1073742568.137888092982682/731256126979206/?type=1&theater

  2. minho diz:

    Uma abertura do desfile sobre a História de Beja à altura, com um grupo de folclore do Minho, ainda havia mais outro e vários grupos de bombos. Parecia até um festival de bombos. Fotografia da CMB. https://www.facebook.com/camaramunicipaldebeja/photos/a.731254626979356.1073742568.137888092982682/731256376979181/?type=1&theater

  3. viriato diz:

    O Rio tem o Carnaval e o Cristo Rei, Lisboa as marchas e o fado, mas Beja tem o Cortejo Histórico mais a Beja Romana!!!

    Gostei! Gostei imenso! Adorei os sapatos históricos de imensa variedade e cor, desde as sandálias, às botas da tropa, aos “butes”, aos ténis, às “sabrinas”, até aos envernizados com alguns saltos generosos. Gostei, gostei imenso da organização e do desacerto vernáculo e convincente dos figurantes; tudo sob a presença do presidente Rocha e da sua esmerada corte (com consorte e tudo), passando por outros inexcedíveis funcionários municipais e da Rua da Ancha, comandando as tropas, fatalmente descomandadas. Gostei, gostei imenso das músicas históricas, particularmente da fanfarra e do vira minhoto, este perfeitamente adequado ao Alentejo e a Serp…, quero dizer Beja. Gostei, gostei imenso da multidão imensa e entusiasta, na grande maioria completamente rendida…a Monte Gordo, Quarteira, Armação de Pêra, Zambujeira ou mesmo ao Guadiana ou dentro de casa vigiando em delírio pelas frestas das portas ou pelas vidraças das janelas. Gostei, gostei imenso do rigor histórico, apimentado por unhas de mãos e pés pintadas, cabeleiras “brushing”, óculos “multiópticas” ou”ray-ban” e relógios tipo “timex” ou “Tissot”, ao que se juntaram ocasionalmente os fundamentais e verdadeiros testemunhos históricos, os telemóveis. Gostei, gostei imenso do rigor das fatiotas (do calçado já falei), das cores, onde até alguma confusão de medidas ou de datas históricas, fez com que o cortejo parecesse tão real que só um valente beliscão nos acordasse para a realidade…por sinal hilariante de tão triste…
    Mas não achei piada nenhuma à maqueta/miniatura do museu, demasiado bem feita e profissional, destoando com o carnavalesco, emendo, cortejo. Também não gostei dos cavalos (e do desnoitado camelo, provavelmente vindo de Marrocos a nado e a pé, tal o aspecto) que tal como com os romanos, com os árabes ou nas idades média, moderna e contemporânea, não contemporizaram e, numa assumida desconsideração pelo cortejo, deixaram a sua marca de aromáticas bostas, como que a mandar todos à m…! Quanto aos euros, é coisa de pouca importância, insignificante para um município que tudo aposta nos “apitos e reboleros” e nas excitantes pimbalhonas festas e festarolas. Tudo o resto foi magnífico!!! Como alguém disse, Beja merece!

    PS – As moças árabes da dança do ventre também destoaram, não pela dança, mas pelos dotes…

Deixe Uma Resposta