Mai 20 2015

Mãe que arrepia

Publicado por as 18:24 em Geral

Daniel Oliveira no Expresso (abrir para ler crónica completa):

“Não posso, sem precisar de mais nada para além do meu instinto paternal, deixar de me arrepiar com a forma como a mãe do homicida Salvaterra ofereceu à comunidade, na busca de perdão para si, o seu filho para sacrifício. Só uma relação extraordinariamente deformada pode levar uma mãe a desejar a morte de um filho e a desistir dele no pior dos momentos. Para julgar o Daniel estamos cá todos. Os pais amam irremediavelmente as suas belas ou horrendas criaturas. E quando não amam estão amputados de forma brutal na sua existência. Podem procurar no filho a responsabilidade do seu desamor. Mas é provável que estejam à procura no lugar errado. A singularidade do amor maternal e paternal é que até um homicida o merece. Porque o amor pelos filhos é incondicional e irrevogável. Acima do bem e do mal”

Share

Deixe Uma Resposta