Fev 06 2015

Beja – Debate sobre o futuro do Depósito da Praça da República

Publicado por as 10:02 em A minha cidade

210420131605-350-depositoBeja
foto: radio pax

O Alvitrando vai realizar no próximo dia 11, pelas 18 horas, no Centro Social do Lidador, o debate público : “O FUTURO DO DEPÓSITO DA PRAÇA DA REPÚBLICA: Demolição ou Reabilitação?”.
Os oradores serão:
– Rui Marreiros – vereador do PS na CMB, que apresentará os argumentos em defesa da reabilitação do Deósito, aprovada pelo anterior Executivo Camarário;
– Alexandre Leal – administrador-delegado da EMAS, em representação do presidente da CMB, que apresentará os argumentos em defesa da demolição do Depósito, defendida por este;
– Conceição Lopes – arqueóloga responsável pelas escavações na zona do Depósito, que apresentará o seu ponto de vista da valorização das mesmas.
A moderação será feita por mim, autor do blogue e promotor da realização do debate.

Com a realização deste debate pretende-se que a eventual decisão de demolição do Depósito de Água da Praça da República – pretendida pelo actual Executivo Camarário ao contrário da decisão tomada pelo anterior -, que apagará da silhueta da Cidade e da memória colectiva dos seus habitantes (e não só) o que pode ser já considerado uma peça do seu património colectivo, seja devidamente justificada com argumentos que mostrem ser a melhor solução.

Share

5 Resposta a “Beja – Debate sobre o futuro do Depósito da Praça da República”

  1. Ana Nobre Rebelo Gonçalves diz:

    Porquê demolir?
    1) Foi feito um estudo dos possíveis aproveitamentos da edificação?
    2) Há alguma urgência na demolição (risco de derrocada, fundações instáveis) ou é só uma tentativa de “mostrar trabalho”?
    3) Há estimativa dos custos da demolição?
    4) Qual a diferença para os custos da reabilitação?
    5) Caso seja reabilitado e reaproveitado, há cálculos de recuperação do capital investido?
    6) O dinheiro gasto na demolição não deveria ser aproveitado noutras obras de que a cidade muito carece?
    7) Caso a demolição ocorra, e dado a zona onde o depósito está implementado, que destino vai ter o terreno?
    8) Caso sejam dadas licenças de construção no terreno, que classificação tem o terreno no PDM?

  2. carlos diz:

    o Presidente da CMB revela a habitual cobardia politica ao ser incapaz de debater publicamente com o PS este assunto , preferindo mandar um empregado do EMAS.
    Para que Beja e os Bejenses fiquem cabalmente esclarecidos basta que o PCP e o PS tenham as capacidades e as competências para responder ás questões colocadas , e muito bem , pela Engª Ana Gonçalves.

    Já agora uma ultima questão — o PSD tem alguma opinião acerca deste assunto , ou como é habitual é solidário com o PCP ?

  3. Carlos Gomes diz:

    Se o depósito já não é necessário para a distribuição da água, faz todo o sentido que seja demolido; sempre o vi como um corpo estranho e, na minha opinião não passa de um mamarracho. A cidade ganhará muito com isso com a vista da torre de menagem sem
    obstáculos.

  4. Maria diz:

    Proponho a leitura de um artigo de Paulo Barriga no D.A.
    Após ler o seu artigo, confesso ter mudado um pouco de opinião e pôr dúvidas que então não punha.
    O que é que irá fazer uma estrutura de betão com 60 anos, no meio de um campo arqueológico?
    175.000 euros por um miradouro, para quê?

  5. josé costa diz:

    Vou estar no debate de quarta feira, lamento a não presença do sr. Presidente da Câmara,tinha uma opinião em relação ao deposito da água baseada na sua história no inicio da alimentação de água em Beja, e no facto de o ver todos os dias.
    Nos últimos dias tenho olhado para ele com toda a atenção e….. vejo um depósito feio, sem vida , sem for para melhorar a zona da praça que tão pobre está, bota abaixo.

Deixe Uma Resposta