Set 06 2014

Tenham medo

Publicado por as 18:00 em A minha cidade

paxjulia1

Muito medo.
Quando se afirma “para todos gostos” já se sabe o que aí vem….

Share

12 Resposta a “Tenham medo”

  1. CRAVO diz:

    Quero já o TOY e o RUBEN BAIÃO !!!
    A seguir os GRUPOS DE CANTARES DE PIAS , SERPA E BALEIZÃO.
    Depois podem vir os GRUPOS DE VIANA DO CASTELO , BRAGA E ARREDORES

  2. Blue Eagle diz:

    Se for igual ou semelhante à programação de vem desde janeiro de 2014, será uma boa bosta!
    Espero que se volte ao “Pax-Julia” do tempo de Carreira Marques, de Francisco Santos e de Jorge Pulido Valente.
    Com boa e variada programação, de facto para todos os gostos.
    Como fã (e frequentador) do Pax-Julia, aguardo com expetativa. Contudo a programação do primeiro semestre não augura nada de bom.

  3. Carlos diz:

    O Pax Julia é o grande pilar da cultura na cidade e na região, daí que seja sempre polémica a sua programação.
    Como frequentador assíduo que sou, devo dizer que não concordo com Blue Eagle, quando faz a apologia do passado e da programação ocorrida na vigência dos anteriores presidentes de Câmara. A não ser que seja a habitual “lenga-lenga” politiqueira que aqui certos comentadores persistem em fazer de forma algo doentia.

    Pelo contrário, acho até que me merecem bastantes criticas.
    Não houve até agora uma linha de programação consistente, mas apenas uma salsada de espetáculos alguns até muito bons mas outros nem tanto.
    Nunca houve uma divulgação correta dos mesmos, sendo que muitos dos habitantes da cidade quanto mais da região, não sabem sequer o que lá ocorre.
    Daí que a ausência de público foi e é salvo algumas exceções uma constante, sendo até na parte cinematográfica deprimente.

    Logo mais do que criticar por criticar, e tendo cuidado com a xenofobia anticomunista que destrói à partida qualquer argumento; convinha fazer criticas consistentes e coerentes. Até porque é o dinheiro de todos nós que anda por ali a ser gasto.

  4. Blue Eagle diz:

    @ Carlos – Exato, pela facto da programação ser polémica, é que não podemos olhar só para o nosso umbigo e para os nossos “gostos culturais”. E por encontrar a espaços (e até com alguma frequência) música, cinema e teatro (de dança/bailado, por exemplo, não gosto) do meu agrado no passado quer na gestão JP Valente, quer nas gestões COMUNISTAS ANTERIORES (como sublinhei mas você não quis ler), – coisa que desde que a programação começou a ser feita por esta equipa mudou radicalmente-, tenho a liberdade de considerar que a programação do primeiro semestre foi, para o meu gosto, uma bela duma bosta!
    Saudades do Dr.Filipe Murteira, do Dr.Francisco Marques, do Miguel Góis e dos vereadores PC anteriores que tinham a responsabilidade do Pax-Julia. Provavelmente as equipas de hoje (que nem sei quem é!) não fazem melhor, porque não lhes dão meios para o fazerem (porque se for por motivos político-ideológicos, no que não quero acreditar, o caso é realmente muito grave!).

    Não vou teorizar sobre “linhas de programação consistente”. Deixo essas reflexões profundas para os teóricos e intelectuais da praça. Gastem o latim que quiserem com essa conversa da treta. Eu fico fora.
    Como simples e humilde espetador e consumidor de alguma cultura, limito-me a dividir a programação em dois campos: naquela que gosto (ou penso gostar) e que me leva a comprar bilhete e ir ao Pax-Julia e no que não gosto e não me leva a pôr lá os pezinhos de certeza. E em 2014 ainda só lá fui uma vez quando, desde que o Pax-Julia reabriu, ia (por regra) várias vezes por mês.

  5. Rato dos Pomares diz:

    Sai um “like” para Blue Eagle.

  6. Manelli diz:

    Blue Eagle responda às questões.Não se refugie na dialética para atingir os seus fins e sobretudo não faça o jogo baixo de puxar pessoas competentes e honestas para os justificar.

  7. Carlos diz:

    Blue Eagle e … Rato dos Pomares: Devo pedir desculpa pelo menos aos dois pela minha ingenuidade.
    Pois pensava eu que o que aqui se pretendia era analisar a programação do PAX JULIA.
    Mas não, enganei-me, no que lhes toca, apenas se pretende é usar a programação como arma politica de arremesso.
    Aliás pelo que conta, duvido até que tenha sido tal como diz, “frequentador assíduo”.

    Claro que nunca foi minha intenção denegrir o trabalho dos anteriores responsáveis. Assim como valorizar os atuais.
    As criticas que formulei são apenas a constatação de que muito ainda está por fazer. Independentemente do esforço feito por todos. E aí englobei os tempos de Carreira Marques, Francisco Santos, Pulido Valente e o primeiro ano de João Rocha.
    Pelo que tenha dificuldade em perceber as suas comparações, e ainda mais a necessidade defesa da honra das pessoas que menciona. Uma das quais duvido até que o faça de coração, mas apenas por motivos estratégicos do momento.

  8. Blue Eagle diz:

    @ Manelli – Uma vez que entende que me refugiei na dialética (gostei do termo! Parabéns!), eu simplifico para si: A programação do 1.º semestre de 2014 do “Pax-Julia – Cineteatro Municipal” foi, para o meu gosto, a pior de sempre desde que o espaço reabriu. A pior em quantidade e, globalmente, a pior em qualidade. Espero que tenha sido claro agora. Dificilmente consigo simplificar mais.

  9. Blue Eagle diz:

    @ Carlos – Interessante. Você dedica-se, via blogue, à psicanalise, tentando “adivinhar” o que vai na mente de cada comentador. Se eu um dia tiver algum tipo de problema existencial, prometo recorrer a si para me dar uns palpites. Duvida que eu tenha sido “frequentador assíduo” do espaço, acha que falo deste ou daquele nome por motivos estratégicos, etc. Exercício muito interessante, sem dúvida. Se fosse à “Batalha Naval” dir-lhe-ia que mandou, com as suas duas observações, dois valentes tiros na água, mas pode continuar que eu divirto-me imenso. Contudo espero, e desejo sinceramente, que tenha melhor pontaria nos jogos de sorte.
    Meu caro, que contributos quer eu dê? Gostaria, por exemplo, que fosse reposto o cinema duas vezes por semana, à Terça e a Sexta, como vinha sendo hábito. Gostaria que viessem mais artistas do “meu gosto” atuar ao Pax-Julia. E esta é a parte que reconheço como sendo sempre polémica, porque sei que o Pax-Julia não pode ser ao “meu gosto”, porque tem de servir vários públicos e é de todos nós. Mas terá de ter 1/3 ou 1/4 da programação que seja também do meu agrado. E foi isso que senti que perdi neste 1.º semestre do ano. E eu sou o mesmo de há muitos anos a esta parte, com os mesmos gostos. Se não fui eu que mudei, talvez tenha sido a programação…
    Por isso partilho da preocupação do João Espinho que está na origem deste “post”. Aguardemos pelo anúncio da programação da “nova temporada”. Cumprimentos.

  10. ... diz:

    Já tive o “prazer” de ver a programação para Setembro do Pax Julia. De uma forma geral teremos “Noites ao Fresco” até à 1ª quinzena do mês.

    A 2ª quinzena é tão boa e tão interessante que não retive nada do que vi….
    Sim, continuamos na mesma!….

  11. ... diz:

    Por lapso, aquilo que eu vi foi a programação da agenda cultural e não do Pax Julia (mas que tem incluída a programação do Cine Teatro e portanto vai dar ao mesmo). Convenhamos que, abrir dia 20 de Setembro (a 10 dias de acabar o mês), não é nada..

    O edifício esteve fechado ao publico uma eternidade para abrir “quase em Outubro”, com nada que se veja…

    Será que está guardada alguma surpresa?! Deve ser isso….

  12. Republicano diz:

    Fiquei surpreendidíssimo que alguém não goste da programação atual do Pax-Júlia, uma coisa feita com tão bom gosto e cheia de diversidade.
    Penso até que o 1.º espetáculo mostra bem a sua qualidade e a tendência pluridisciplinar do que virá a seguir.
    Vejamos:
    Dia 20 de Setembro (início da nova temporada) – Samuel, espetáculo integrado nas comemorações do 40º aniversário do 25 de Abril.
    Que vos parece a todos?
    25 de Abril Sempre – seja em Abril ou em Setembro.
    Viva o 25 de Abril… e também a “Alma criativa”.

Deixe Uma Resposta