Ago 14 2014

A Câmara esclarece

Publicado por as 22:52 em A minha cidade,Geral

“No passado dia 12 de agosto, comemorou-se o dia Internacional da Juventude.

Para assinalar esse dia, a Câmara Municipal de Beja apoia o espétaculo musical que irá decorrer no parque de feiras e exposições, já esta sexta-feira, dia 15 de agosto.

O espetáculo conta com os artistas Anselmo Ralph, Ruben Baião e vários DJ’s que pretendem animar a noite de Beja.”

Está assim esclarecida a inutilidade da “Comissão de Festas” de Beja

Beja merece!

Share

18 Resposta a “A Câmara esclarece”

  1. Máquina do Tempo diz:

    Temos portanto uma Câmara troca-tintas, que anuncia apoios à comemoração de datas já passadas, por montantes a definir mais após a data da comemoração. Um executivo assim tão incompetente jamais foi visto.

    Já vem tarde o esclarecimento e tanto o executivo como a Comissão parecem assim uns putos palermas apanhados numa traquinice que tentam atrapalhadamente disfarçar, e que porventura nos poderá custar a nós munícipes umas dezenas de milhar de euros.

    Quer o executivo quer a Comissão de festas têm MUITO que explicar, e não é só o concerto do Ralph, é todo o eurito que sair do nosso bolso para Comissão. A Comissão tem que nos explicar que fundos tem, e quem é responsável pela sua gestão.

    Às Comissárias: deixem-se de amadorismos que só levantam suspeitas.

    E às vozes que dizem que isto não é assunto para a oposição, e “deixem lá estar a Comissão”, importa perguntar: porque vos incomoda tanto que se denuncie?

  2. Carlos diz:

    Infelizmente os políticos cá burgo, TODOS, vivem lá no seu mundo e pensam que são eles e só eles, que têm o direito de aqui e em todo o lado impor as suas ideias e os seus temas de debate.

    Pois desde há várias décadas que os nossos governantes passam ao lado de tudo o que tenha a ver com o desenvolvimento económico e social do concelho e da cidade.
    E perdem o seu tempo e gastam o dinheiro de todos nós em festas e fait-divers, de forma a mostrarem-se e enganarem os mais incautos.

    Trata-se de um fenómeno que aliás até se tem vindo a agravar, pois tal como o último executivo, o atual parece seguir as mesmas pisadas.

    Não pensam em mesmo mais nada, do que festas, festas,… espetáculos, espetáculos,.. e na parte final dos mandatos, obras decorativas, obras decorativas… algumas até ultrapassam tudo o que é normalidade como é o caso dos barrotes da ciclovia.

    E vá lá dizer isto, até mesmo aqui neste blog?
    Parece que se trata de uma blasfémia.
    Resolvam mas é os graves problemas da cidade e dos seus cidadãos.

  3. MARIA FLORES diz:

    No meio da grave crise económica que vivemos , a qual tem impedido que por dificuldades financeiras muitos jovens se vejam impedidos de prosseguir os seus estudos , com certeza que seria uma atitude democrática que a CMB em vez de esturrar um disparate de dinheiro em festinhas e festarolas , utilizasse esses recursos na atribuição de bolsas de estudo para jovens do concelho.
    Assim poderiam comemorar com dignidade o Dia Internacional da Juventude.

  4. CC diz:

    Porque razão continuam sem obras ou ao abandono na cidade Beja, sinónimo de inércia da autarquia comunista :

    – Estádio Flávio dos Santos ou estádio Municipal

    – Os inúmeros fluxos de água durante o Verão no solo ( todos imobilizados ) das Portas de Mértola e Rua Capitão Francisco de Sousa

    – As marcações de estacionamento nas artérias que circundam o Largo do Carmo assim como as passadeiras de peões quase inexistentes

    – A limpeza de toda a ciclovia com detritos vários e vidros partidos ( garrafas abandonadas ) que causam insegurança a quem circula a pé ou de bicicleta

  5. aldeao diz:

    Nunca tinha visto tanta gente num concerto em Beja a pagantes. Certamente que estiveram mais de 10 mil pessoas. Eu entrei pelas 22 horas e o meu bilhete já era 8900 e até à meia noite continuou a entrar gente. Portanto fazendo as contas por alto 10 mil X 10 euros dá 100 mil euros. Portanto duvido que o espetáculo não tinha sido rentável e por um dia Beja atraíu gente de toda a região.

  6. antao diz:

    bom assim a CMB já náo deve entrar com nada e deve dar para pagar as festas-

  7. Zé da Fisga diz:

    @aldeão – 10.000 pessoas a €10,00, dá receita liquida de €88.500,00. O restante é IVA (€1,15/bilhete). A entregar ao Estado, portanto.
    Ainda assim notável.
    Decerto, face à receita que descreveu, que a CM Beja não precisará de apoiar financeiramente esta iniciativa auto-sustentável. Ainda bem.
    Já quanto “às Festas em Honra de Santa Maria”, e uma vez que são autónomas, não beneficiam do “lucro” do Concerto de A.Ralph para amortizar as suas atividades pelo que terão de ser suportadas integralmente pelo Município. Isto é, por nós. Aguardemos pela “dolorosa”.

  8. califa diz:

    aldeão — parece-me que só estavam 3500 pessoas

  9. Santos diz:

    Continuem a tomar Rennie

  10. ... diz:

    Mais uma resposta tipica de quem não tem nada de concreto para dizer…os Rennies vão servir de resposta até quando? Devem ter alguma comissão, só pode! É com ela que pagam tudo aquilo que não é publicado no BaseGov por lei?

    Mas não deixa de ser notável: um evento onde se pagava ter tanta gente! Por que é que este evento já é visto com bons olhos e todos os outros feitos pelo antigo executivo que também era a pagar não? Devia ter sido de borla…DE BORLA! aaahh pois….patéticos
    Cada cabeça, sua sentença…..

  11. Santos diz:

    Ok. Mas, pelo sim, pelo não, continue a tomar Rennie. Estará certamente recordado/a quem trouxe para o argumentário da má-lingua a terapia dos anti-ácidos. Quer que lhe recorde?

  12. Santos diz:

    Quanto à duração da terapia, é até que se mantenham os sintomas.

  13. MANELINHO diz:

    santos— recomendo-lhe para si supositórios de glicerina , pode também oferecer a todos os seus amigos da Ancha e da Pr. da Republica.

  14. Santos diz:

    Uiii!! Manelinho, com este nome e com estas experiências terapêuticas você deixa muito a desejar.

  15. Rui Marreiros diz:

    Anselmo Ralph, Noites ao fresco, as festas de Santa Maria e as suas Três Dimensões

    Sobre um dos mais falados assuntos da silly season Bejense, impõe-se uma pequena reflexão, todos devemos habituar-nos a fazê-la e a dar a nossa opinião de forma aberta e construtiva. Suponho que seja este o momento certo.

    #1 Primeira dimensão: a coisa em si mesma!

    O Anselmo deu um bom espetáculo?
    R: Quem foi diz que sim, e foi muita gente, portanto deve ter sido mesmo bom, isto para os amantes do género que devemos respeitar ( já se percebeu que há espaço para todos).

    Qual foi a percentagem de pessoas do concelho de beja que esteve presente?
    R: Esperemos que a maioria, já que o investimento (ou pelo menos o risco indexado à bilheteria) saiu da Câmara de Beja.

    E se tivesse atraído muita gente de fora?
    R:Seria então um bom investimento na promoção da imagem da cidade e do concelho e seria bom para potenciar a imagem de beja lá fora.
    Promoveu?
    Potenciou?

    As Noites ao Fresco têm tido o acolhimento suficiente dos Bejeneses?
    R: Apesar de algumas noites realmente e verdadeiramente frescas têm, as outras, ao menos contribuído para quebrar a calma reinante (por vezes demasiado ou estranhamente calma) em algumas zonas da cidade e a monotonia de alguns serões, aqui da província.

    Os conteúdos serão os mais adequados?
    R: Será eternamente uma pergunta sem resposta. Alguns acharão que sim, outros que não, outros defendem que se deve educar o povo, outros ainda apregoam que se dá ao povo o que o povo quer ….mas se as iniciativas tem pessoas, alguém há-de ter gostado. Depois, deve melhorar-se, aperfeiçoar-se e tentar a difícil tarefa de conciliar gostos e expectativas!

    #2 A segunda dimensão: os pequenos/grandes detalhes.

    Quanto custou tudo isto?
    O que se deixou de fazer para realizar estas inicitivas?
    Quem pagou?
    Quem recebeu?
    Como se pagou?
    Como foi contratado?
    Que empresas, grupos e associações locais foram envolvidos?
    Porque foi criada uma comissão de festas?
    Quem são os elementos que a constituem?
    Como foram escolhidos estes elementos?
    Quais as atividades que consta do seu plano aquando da sua constituição?
    Este planos existe?
    Quantos funcionários da autarquia tem preparado, participado e levado a cabo estás iniciativas?
    O Anselmo Ralph financiou as festas de Santa Maria?

    #3 Terceira dimensão: a verdadeira dimensão

    Qual o retorno direto e indireto no curto e médio prazo para Beja?

    Principalmente: qual a estratégia para beja que vá par a além deste furor (furorzinho) mediático?

    Trata-se de um Investimento reprodutivo?
    Então qual o retorno e o valor acrescentando por cada euro gasto nestas iniciativas?

    #1+#2+#3 As três dimensões

    Festas e divertimento claro que sim, na medida, na conta certa e dentro das reais possibilidades das entidades que as promovem.

    Claro que antes deve haver um árduo trabalho, os primeiros resultados, e só depois então, comemora-se!

    Sejam quais forem as respostas, o desenvolvimento sustentável, o combate à desertificação, o contrariar da estagnação, o inverter do retrocesso, o fomentar o progresso não pode passar só por isto!

    Beja quer mais e precisa de mais, de muito mais!

    Simultaneamente precisam-se também, claro que sim, de eventos e iniciativas mas que sejam consubstanciados numa estratégia integrada, consistente, que vá para além do objetivo único de nos entreter e adormecer, que envolva (verdadeiramente) os agentes locais, direcionados para nossa população e que simultaneamente sirvam de suporte à promoção e divulgação da nossa cultura.

    Beja, 17 de Agosto de 2014
    Rui Marreiros

  16. FDM(farto desta merda) diz:

    Cá esta beja no seu melhor….Só a dizeram mal de tudo o que se faz….
    Se não fazem são inertes,se fazem gastam dinheiro, quem é que os entende????
    Preocupam-se com tostões gastos numa festa para nós bejenses, que tambem merecemos
    tambem somos gente.Não se preocupam com os bpn,bpp,os submarinos,os bes,etc,etc,etc onde gastam milhões
    e que evidentemente somos nós que pagamos.A preocupação são os 18 milhões que a camara deve quando os
    outros devem carradas de milhões e ninguem se chateia!!!

    AS FESTAS FORAM UM SUCESSO,QUER QUEIRAM OU NÃO, SOMOS BEJENSES E TAMBEM MERECEMOS TER ALGUMAS
    ALEGRIAS,NEM QUE PARA ISSO SE GASTE ALGUM DINHEIRO.ENROLEM O ESTOJO E PARA ANO MAIS,E DE PREFERÊNCIA
    AINDA MELHORES.E PARA NÃO FICAREM COM AS VOSSA HABITUAL MESQUINHES TANTO ME DÁ QUE SEJA A CDU O PS
    O PSD OU OUTRO QUALQUER.

  17. Aldeão diz:

    Caro Califa, espero que tenham fontes mais fidedignas para referir esse número. Não sou especialista em medir audiências, mas sinceramente acho pouco 3500 pessoas e isto porque: o meu bilhete comprado pelas 21 horas foi o 8932. Quando entrei na fila, esta ia desde o lado poente da vedação do parque de exposições, percorria todo o perímetro do parque estacionamento. Quando entrei a fila ainda está vá maior e já quase chegava a bilheteira. Penso mesmo que a organização foi apanhada de surpresa com tal afluência que teve de aligeirar os procedimentos de segurança. Finalmente, convém referir que o Pavilhão estava disponível na versão máxima o que corresponde ao dobro dos concertos da Ovibeja. E neste caso o pavilhão estava a 2/3 mais as bancadas. Portanto 3500 corresponde a pouco mais de um Coliseu e ali estavam bastante mais pessoas.

  18. Aldeão diz:

    Zé da fisga, não pretendi entrar em tais preciosismos pois certamente algum desse IVA será dedutivel e depois ainda houve as receitas dos bares que não chegaram para as encomendas, aspeto a melhorar no futuro. E ainda há que considerar o impacto em termos da cidade pois muita daquela gente veio de fora e alguns de muito longe, pelo que sempre deixaram alguns euritos na restauração. Enfim, como alguém disse tratou-se de uma boa iniciativa e que acertaram no momento do artista principal e ainda deram a conhecer um músico local (Ruben Baião) que teve o seu momento de glória.

Deixe Uma Resposta