Ago 05 2014

O problema de Moedas é não ser de esquerda

Publicado por as 23:25 em A minha cidade

A escolha de Carlos Moedas representa a valorização do mérito e a aposta numa nova geração já com provas dadas. A “Europa” sabe que o futuro Comissário Português foi o coordenador do programa de ajustamento que Portugal cumpriu com distinção. Muitos não querem ver, mas o posto de Comissário já não é uma prateleira dourada para alguém em pré-reforma. Nem sequer as negociações se fazem com base no portfólio a destinar, essa é a tarefa que Juncker terá a cumprir quando tiver todos os nomes em carteira. Goste-se ou não do programa de ajustamento, Moedas é o principal responsável por termos, ao contrário do habitual, cumprido prazos, implementado um enorme conjunto de reformas e de termos superado todas as avaliações com distinção. Carlos Moedas acompanhou diretamente todas as reformas que Portugal fez nos diversos setores, da agricultura à saúde, passando pela área social, pela educação ou pelas finanças.

O perfil do futuro Comissário é exemplar, decididamente um dos melhores da sua geração, um político com alto perfil técnico, que já ganhou eleições no terreno, com enorme bom senso e, acima de tudo, um homem íntegro e de extrema humildade. Tem experiência internacional, fala fluentemente várias línguas, o que é uma vantagem muito útil dentro do colégio de comissários, e, pela sua experiência de vida, conhece bem as características dos diferentes povos e países europeus.

Ler Aqui

Há dias, no Facebook, destaquei um artigo do Expresso sobre Carlos Moedas. Um destacado quadro do PS mimoseou-me: ” Vai desculpar-me Espinho mas mas este post é por demais falacioso!
A minha resposta: a inveja é falaciosa!
Não fui entendido. O que eu pretendia dizer é que o PS tem inveja de não conseguir ter um seu quadro bejense onde quer que seja.
PRONTO!

Share

13 Resposta a “O problema de Moedas é não ser de esquerda”

  1. Vitor Paixão diz:

    Carlos Moedas foi para muitos sinónimo de esperança e até de ilusão;
    esperança de que finalmente, enquanto deputado iria representar a sua
    cidade e a sua região de forma exemplar e com proveitos visiveis.
    Carlos Moedas, se não me falha a memória, foi deputado… por um dia!
    E nem é por ai, pois nada que outros não tenham feito, e nem me
    repugna assim tanto que tal aconteça. O que a mim me entristece é que
    nem tenha contribuido absolutamente nada para a melhoria da região e
    das suas gentes para, antes pelo contrario tenha sido o arauto da
    desgraça e dificuldades que nos assola, tenha sido o executor das
    politicas criminosas levadas a cabo sobre e contra o povo português.
    Tenha feito parte do grupo que contribuiu para que os pobres ficassem
    sem nada e para os que alguma coisa tinham ficassem mais pobres.
    Refere-se no texto acima “goste-se ou não do programa de ajustamento”,
    para depois laurear o Dr. Carlos Moedas. Mas alguém de perfeito juizo,
    da esquerda á direita gostou deste programa de ajustamento? Mas alguém
    pode receber louros que têm como ancora uma politica cega de
    austeridade, que promove o desemprego, a estagnação do pais, que
    aniquila o estado social? Tirando os que à custa desta politica têm
    comido à grande e à alemã como é o caso dos iluminados neoliberais que
    nos (des)governam, dos seus lacaios e dos grandes grupos económicos,
    alguém aplaude esta politica? Reformas na agricultura? Saúde? Área
    Social? O que é que se melhorou? Onde se melhorou? E já nem vou buscar
    outros assuntos que por ai circulam sobre o senhor pois prefiro
    ficar-me pela análise politica e longe de mim dúvidar dos méritos e
    verticalidade da pessoa só que quanto a mim, e do ponto de vista
    estritamente politico está nos antipodas daquilo que eu defendo e
    executou medidas com as quais não só não concordo como considero
    prejudiciais para o meu pais! Por tudo isto para mim não é motivo de
    orgulho a sua ida para a comissão. Quanto ao que o Sr. postou no
    facebook foi uma reportagem escrita com o perfil do Dr. carlos Moedas
    antes das eleições, ou seja, numa altura em que muita gente acreditava
    e depositavam esperanças de que seria uma mais valia para a cidade e
    para a região, dai EU ter entendido o post/reportagem como falaciosa (pois garantidamente a opinião agora é outra)
    Dai a ter inveja, quer a titulo individual, quer politico? Fartei-me
    de rir, e já agora reitero que para mim, enquanto bejense, essa
    nomeação (a acontecer) não é motivo de orgulho e muito menos merecida.
    Quanto ao “destacado quadro”, conforme se refere à minha pessoa, falei a titulo pessoal mas se quer
    associar o meu comentário ao cargo politico, se tem essa necessidade, tudo bem, assumo e
    mantenho o que disse, mas já agora se tivesse esperado mais um ou dois
    dias de certeza que não escreveria estes epitetos (“destacado” e
    “quadro”). Termino dizendo que se até eu senti tristeza sobre a
    desilusão que foi o Dr. Carlos Moedas então que dizer de grande parte
    dos seus companheiros de partido, ou não é verdade que o Dr. Carlos
    Moedas foi criticado por algumas figuras do PSD de Beja precisamente
    por ter defraudado a sua terra e as expectativas das duas gentes? Diga-me lá amigo
    Espinho? Ou estarei enganado? Quanto ao resto, é só politica, daquela
    que não interessa e que só serve para nos distrair enquanto nos vão despojando!!!

    Ps: já agora, sobre Duarte Marques, autor do artigo! http://p3.publico.pt/actualidade/politica/12397/aconteceu-outra-vez-duarte-marques-voltou-escrever

    Foi este catraio que disse que vivemos acima das nossas possibilidades e que acusou as gerações mais velhas de terem penhorado o futuro dos jovens!

  2. lição de tango diz:

    Na “mouche” Vítor Paixão. Parabéns pela análise realista e objectiva que faz. Concordo na plenitude consigo e, digo-lhe mais, fiz parte da comissão de honra da candidatura de Carlos Moedas a deputado por Beja. Mas sinto-me perfeitamente desiludido e defraudado até, por tudo aquilo que tem acontecido a este país e, sobretudo à nossa região, o que me leva a acreditar cada vez menos na política e nos políticos.

  3. viriato diz:

    Gostaria era de ler o mesmo texto de Vitor Paixão se Carlos Moedas fosse do PS. Alertando para o facto que este último embora eleito, por necessidades de índole governativas acabou por não tomar posse como deputado.
    E que o pelouro que tinha devido à sua especificidade, não lhe dava margem de manobra para nada que tivesse a ver com o Alentejo e os seus eleitores.

    Mas já agora, caso aceite o repto, proponho-lhe que escreva um outro texto sobre a desilusão que foram os deputados do seu partido por Beja ao longo de 40 anos. E que verse sobre o que é que eles todos fizeram ou contribuiram para esta região.

  4. João Espinho diz:

    @viriato – na mouche!

  5. Rato dos Pomares diz:

    Viriato. As ideias expressas no texto do comentador Paixão valem o que valem, mas não será pelo facto de os deputados do PS por Beja desiludirem desde há 40 anos (ocorrem-me alguns que são sérios candidatos aos Grammys da nulidade) que o deputado do PSD em causa fica habilitado para o fazer, também, não é? É que um gajo, quando vota, tem que acreditar naquilo que está a fazer, senão um dia destes aparece um iluminado a dizer que promete acabar com o forrobodó se a malta aceitar que já não é preciso ir votar, e a maioria (cansada de engolir desilusões) vota nele! E depois?

  6. JR diz:

    Muitas promessas mas muito poucas cumpridas, sejam elas de quem forem.

    Mas talvez seja bom recordar que a nível local ou autárquico o PCP / CDU tem sido e Beja um bom exemplo de péssima gestão com aumento da dívida de 7,5 Milhões de euros em menos de 1 ano.

  7. Vitor Paixão diz:

    @Viriato, @Espinho:
    Fiquem V. Exas. a saber que nunca, em altura alguma, me regi por
    orientações politicas e muito menos por imposições politicas. Enquanto
    ser livre e pensante digo e faço o que a minha consciência me dita,
    com respeito pela disciplina e lealdade partidária mas desde que não
    contrarie o meu pensamento livre e pessoal. Dai não ter qualquer
    problema em reconhecer as incompetências e falhas governativas do
    partido no qual ainda milito; por outro lado, e digo-o sem qualquer
    ponta de cinismo, comodismo ou favor, que os deputados do partido
    socialista eleitos pelo circulo de Beja têm desde sempre pugnado e
    defendido os interesses da região, tal como não me repugna reconhecer
    que o vosso deputado também o faça (ou pelo menos tente). A diferença
    está naquilo que se defende pois a partir do momento em que se fica
    amarrado a certo tipo de politicas e de medidas é praticamente
    impossível defender o que quer que seja e nem sequer têm coragem para
    deixarem de ser meninos de coro, qual carneiristas que mais não fazem
    do que abanar a cabeça ao líder! Eu, na parte que me toca não só não
    digo que sim a tudo como também me manifesto contra medidas, factos,
    politicas e políticos que contrariem a minha forma de estar na
    politica e o que idealizo para o meu pais. Como tal meus ilustres
    iluminados, e abstendo-me de me reportar aos famosos anos 80, altura
    em que se deu o pontapé de saída para a desgraça que agora nos
    encontramos desde já vos digo que não estou amarrado a absolutamente
    nada, e que contestarei sempre que o entenda toda e qualquer medida,
    todo e qualquer politico que contribua para a desgraça do meu pais,
    seja do PSD, do PS ou de qualquer outro partido! Quanto aos deputados
    do meu partido e muito sinceramente, não considero terem sido uma
    desilusão. E mais digo que existem uns quantos companheiros vossos que
    me conhecem e sabem que sou assim, portanto façam favor de se
    libertar, sejam mais inventivos, não batam sempre na mesma tecla nem
    tentem desculpar o indesculpável, para mais quando tudo se baseia na
    mentira, no diz que disse, no de ser hoje uma coisa e amanhã já é
    outra, não tentem justificar o injustificável que vos fica mal, vá lá,
    façam um esforço, sejam verdadeiramente livres autonomos!

  8. lição de tango diz:

    @Viriato,
    É verdade que os deputados do PS têm sido desde sempre uma verdadeira nulidade, à semelhança do que têm sido os do PSD (este último então……nem tenho palavras) e com governos da mesma cor. Os que ainda colocam questões pertinentes e a favor da nossa região são os da CDU mas como não são nem nunca serão governo……falam, falam e, infelizmente, não dá em nada. Carlos Moedas tinha obrigação de ter feito muito mais pela sua terra, não fez nada de nada por Beja, acreditei na pessoa que foi completamente engolida pela máquina partidária e não é mais do que uma marioneta de interesses económicos que desprezam completamente as pessoas e, sobretudo, as regiões mais carenciadas.

  9. Tira Borbotos diz:

    O que é que se pode esperar de Carlos Moedas quando o mesmo por influência de Passos Coelho se transformou em neo-liberal.

  10. Joana diz:

    Vitor Paixão: é o que se chama uma resposta politica, na verdadeira acessão das palavra e em que a verborreia foi a caracteristica principal.
    Conseguiu escrever, escrever e escrever, sem responder a nada do que lhe foi pedido.
    O que se até se compreende; pois por mais que tentasse, o que é que poderia dizer ou descrever sobre os contributos ou o que é que foi que os deputados do PS fizeram pelo distrito de Beja ao longo de 40 anos?

  11. nn diz:

    Joana já que ninguem te quer responder,eu respondo.
    Não fizeram rigorosamente nada,nem eles nem os outros.

    Morcego desculpa lá mas a MERDA é a mesma,as moscas um pouco diferentes..

    JR tira as talas e explica-me lá como é que o J.Rocha gastou 7.5 milhões se tu dizes
    que o pulido herdou 27 milhões,o mesmo pulido pagou segundo ele 11 milhões e se
    neste momento se devem 18 milhões,que merda de contas são essas que tu fazes???

    O mal deste pais é que os paixões que escrevem e botam discurso não são exclusivo do
    ps,são de todos os outros tambem,podem vir para aqui dizer que escrevem em consciência
    mas todos sabemos que escrevem com a caneta do partido ao qual pertecem.

  12. ALVARITO diz:

    Quer os PS quer os PSD não poderão ficar satisfeitos e honrados pelas perfeitas abéculas que têm representado o Distrito ao longo dos anos.

  13. Vitor diz:

    @Joana: Mesmo que o fizesse para si e para muitos nunca seria suficiente, contudo bastará lembrar-se das duas principais obras levadas a cabo na última década e que contou com a importante intervenção dos deputados do partido socialista; não vou especificar e muito menos enumerar as intervenções porque conforme referi, diga eu o que disser, jamais ficarão satisfeitos e muito menos irão concordar. Também eu fico a aguardar o que é que o vosso secretário de estado já fez por Beja e esse sim, era o cerne da questão, contudo também eu fiquei e ficarei sem resposta. Dou por encerrado este assunto pois a esterilidade por si apresentada é de tal forma desprovida de substancia que nem merece a pena mais conversa.

Deixe Uma Resposta