Fev 20 2014

Ainda o autocarro da Câmara

Publicado por as 15:00 em A minha cidade

autocarro-camara-de-beja com logotipo do pcp

Lembram-se disto?

A novela continua. Ora leiam:

“Os vereadores do PS denunciaram na reunião de câmara de ontem a tentativa do vereador Vítor Picado de “apagar” empréstimo gratuito de autocarro à CGTP, para participação nas manifestações que tiveram lugar em Lisboa.
O assunto do pedido de isenção da CGTP( e também outro do PCP para deslocação ao comício no Campo Pequeno) têm vindo a ser sucessivamente retirados, à última da hora, das reuniões de câmara, dado que o executivo não tem fundamento para os deferir. Para tentar “limpar” a situação o vereador Vítor Picado procurou introduzir na ata de uma das reuniões de câmara anteriores a justificação de que o serviço para a CGTP não terá sido realizado porque o autocarro se encontrava em manutenção, em oficinas fora de Beja. Os vereadores do PS denunciaram a dupla falta à verdade, uma vez que não só o vereador Picado nunca referiu isso na reunião em causa como também existem provas, nomeadamente imagens da televisão, de que o serviço foi efetivamente realizado nessa data.
O vereador Picado tentou justificar a falta à verdade com informações incorretas por parte dos serviços da câmara.”

Share

18 Resposta a “Ainda o autocarro da Câmara”

  1. Jamilio da Purificação diz:

    Que falta de assunto. Hem?
    Como se o PS não fizesse exactamente o mesmo.
    Haja pachorra para aturar todos. Os do poder e os da oposição.

    Parece é que não há mais nada para debater e fazer aqui pelo burgo.
    Como por exemplo, das três automotoras com que a CP nos brinda de Casabranca até Beja, duas estão irremdiávelmente acabadas. E a outra passa longos peridos na manutenção.
    Pelo que volta não volta, lá andam os passageiros a ir e vir de autocarro.
    E segundo informações fidedignas, aprece que a medição de passageiros naquele troço vai ser feita na semana de Carnaval.
    Por que será?
    E porque é que os Vereadores do PS nas reuniões da autarquia, ainda não levataram este sério e grave problema para a cidade e a região?
    Porquê?

  2. Maria vai com as outras diz:

    Eis o que se chama de politica para encher chouriços.
    Será que não haverá outros assuntos mais importantes, meu Deus?
    O partido que tenha autarquias e que não tenha já feito o mesmo por outros motivos embora idênticos, que atire a primeira pedra.

  3. Preto escuro diz:

    O Pulido Valente continua a estudar para Miguel Ramalho, mas, ou muito me engano ou vai chumbar no teste.

  4. corbusier diz:

    Eu gostava de saber, o que é que um autocarro da Câmara Municipal de Serpa (Vazio), foi fazer ao Parque de materiais da Câmara Municipal de Beja no outro dia…

    (e mais não digo!)

  5. JR diz:

    Em relação ao tema poderei esclarecer que nessa mesma semana a Escola Secundária de Santiago Maior pediu o transporte para alunos para uma viagem de estudo e que a desculpa foi a mesma que estava o autocarro em manutenção, qual foi a grande mentira ao vê-lo em direto logo nas primeiras fornadas a atravessar a ponte 25 de Abril a caminho de Lisboa, contra factos não existem argumentos e o povo a pagar.

  6. aldeano diz:

    È tudo mentira: a CMSerpa Não tem dividas, o PSD não está a receber o apoio aos comunistas (vendidos), o presidente recebe toda a gente 2° a lei, os dados do emas são tão limpos como os da COOP, a reforma agrária vai voltar com o Tiberio,Soeiro e Bartolo a liderar… com esta gentinha tamos feitos. De festa em festa até ao purgatorio vermelho.A medecina é simples: quantp pior, melhor, festas e vinho.

  7. Tira Borbotos diz:

    Gostaria muito de ver o João Espinho entrar nesse autocarro a caminho de uma excursão…

  8. João Atento diz:

    E ninguém se lembra de olhar para o estado a que a cidade chegou.
    Vão dar uma voltinha pelo centro histório, por exemplo. Vão.
    Olhem que aí não é preciso ir de autocarro.
    Vejam o estado a que os nossos autarcas a deixaram chegar. E foram os do poder e da oposição.
    Sobre isso não se falam nessas reuniões.

    E o comboio, porque é que se tem medo de falar do assunto. Porquê?

  9. Polainas diz:

    Alguém ainda se lembra do BAAL? Essa invenção de PC’s e PPD’s quando era para falar sobre o IP8 e afins? Lembram-se? Então agora que a “rapaziada” do poder em Beja é a mesma que bradava contra os que não queriam fazer uma auto-estrada até Espanha e havia plataformas para discutir o fim do Intercidades, apelam ao Pulido para esquecer os assuntos do autocarro e falar disso?! Haja um pingo de vergonha na cara. É que, sobre estes assuntos, não deveriam estar à espera de ninguém, deveriam isso sim ser os “camisolas amarelas” das reinvindicações. Mas, enfim, estão à espera que o poder laranja caia lá por Lisboa para estarem mais à vontade para berrarem. Até lá, chiu, que a partilha dos despojos cá por Beja assim obriga. Este é o exemplo perfeito das causas que nos trouxeram até esta porca miséria em que vivemos. Até ao fim da partidocracia existente irei votar, em todos os actos eleitorais, em BRANCO!

  10. Mangas diz:

    De facto, falar dos comboios incomoda e de que maneira, os anteriores governantes cá do burgo.
    E é pena, porque ao menos poderiam explicar uma vez por todas, o que é que na altura acordaram com a CP.
    Assim ficávamos logo todos esclarecidos sobre o que é que vai acontecer.

    Vai uma aposta, que vão continuar com as evasivas habituais, e a empurrar as culpas para os outros?

  11. tronga diz:

    A luta continua — COMUNAS PARA A RUA.

  12. Joy diz:

    Pelos vistos, não foi o que sucedeu há alguns meses atrás.
    Estranho, ou talvez não.
    Porque terá sido?

  13. João Espinho diz:

    @joy – o quê?

  14. Joy diz:

    @João – quem foi para a rua não foram OS COMUNAS.

  15. João Espinho diz:

    E eu que pensava que eram eles que enchiam as ruas ….

  16. Joy diz:

    @ João – Sou tão COMUNA como tu. Irrita-me é essa história do comboio de Beja (e o seu mais que provável fim) não ser contada como deve ser, e por quem deve ser.
    Nada mais.

    E quanto a partidos e políticos locais, basta ir dar uma volta pela cidade e ver as ruas e os estabelecimentos comerciais que conhecemos ao longo da nossa vida. E ver como se encontram agora.
    Claro que a culpa é sempre dos outros…
    E aí, bater só nos COMUNAS, não dá….

  17. João Espinho diz:

    @joy – a história do comboio é simples. Os gajos que o defendem (desde partidos, deputados, movimentos cívicos, etc…) não o utilizam. Soubessem eles o que é o Intercidades ou distinguir uma automotora de um autocarro, e aí talvez alguém os levasse a sério. Andam a pedir a electrificação da linha’ Acho bem. Daqui a alguns anos (poucos) vamos andar a protestar porque se encerrou o “ramal de Beja”. Já falta pouco. Eu ando de comboio, de norte a sul, sei a desgraça em que estamos. Mas o comboio é só a ponta do iceberg. Esta merda (a que chamamos de cidade) vai desaparecer. Disse-o há meia dúzia de anos. Chamaram-me maluco. Vamos ver quem enlouquece primeiro.

  18. Joy diz:

    @ João – totalmente de acordo contigo.
    Mas será que não se pode fazer nada para evitar a hecatombe anunciada da cidade e da região?

    Agora, também eu sou um frequente utilizador do comboio para Lisboa. E o que vejo é que a automotora, talvez devido à crise, vai cada vez mais cheia de passageiros.
    Esta é a verdade, custe a quem custar e que tem que ser aqui dita para que todos a oiçam. E em particular, quem negociou sabe-se lá porquê, o encerramento da linha férrea até Casabranca.

Deixe Uma Resposta