Jan 16 2014

Não há limites para o saque?

Publicado por as 14:40 em Geral

retenções2014

Cortes agravados nos salários, contribuição para a ADSE reforçada e retenção na fonte de IRS mais elevada vão levar a que a generalidade dos funcionários públicos veja os rendimentos que chegam às suas contas no final de cada mês seja mais baixo do que aquilo que acontecia no ano passado. (ler aqui)

Share

9 Resposta a “Não há limites para o saque?”

  1. black sheep diz:

    Então não andávamos a “viver acima das nossas possibilidades”?
    Ainda hoje ouvi o Prof. Cavaco a falar, entusiasmado, dos “amanhãs que cantam”.
    Está tudo “ajustado” e “recalibrado” conforme dita a liturgia da redenção pelo sacrifício. Já saímos da nossa “zona de conforto” e devemos todos, sem excepção, tecer loas e agradecer, de joelhos, aos nossos salvadores, que nos souberam indicar o caminho da virtude e da vida frugal.
    Pobres de nós, mas asseados, honradinhos e a “viver habitualmente”.

  2. Zé da Fisga diz:

    Ainda há dias, num debate com Ana Gomes, o mui ilustre Deputado da causa nacional, Dr. Carlos Abreu Amorim, anunciava de forma entusiasmada, que, e cito, “em 2014 os portugueses já vão começar a sentir no bolso os efeitos da recuperação económica.”. Nota-se… 1.º recibo do ano, menos € 100,00 líquidos (a somar a outro corte que já vinha de trás) e a percentagem de desconto para a ADSE ainda vai subir mais… Bendita recuperação económica que estamos a “sentir no bolso”! Não caibo em mim de tamanho contentamento. Força grande Abreu Amorim, sabes mesmo do que estás a falar, jovem! Continua, para prestigio do Parlamento (agora se percebe melhor porque levou este tão notável Dr. uma “cabazada” das antigas para a CM Vila Nova de Gaia. Não haverá quem cale fulanos que debitam chorrilhos de alarvidades?)!

  3. lição de tango diz:

    João, o teu partido é o maior (a sacar a quem não se pode defender)!!!!!!!

  4. Reinaldo Louro diz:

    A dose de austeridade imposta por esta coligação governamental do PSD / CDS – PP, desde o início a dizer que o plano da Troika ( alterado sempre em cada avaliação desde o seu início em 2011 ) é o nosso ( deles ) programa de governo com sempre mais do mesmo ( impostos + retenção de aumentos ) em relação essencialmente aos funcionários públicos e reformados / pensionistas, é tremenda e utiliza a mentira / demagogia, com uma ligeireza colossal é o pior governo desde o 25 de Abril de 1974.

    Cada vez chega valores líquidos menores ao nosso bolso / conta bancária e hoje estamos a receber menos no que na década de 90, simplesmente escandaloso para quem ganhou as eleições legislativas com base na promessa de não aumentar impostos, vamos ficar de rastos e sem concretizar o abate das gorduras que o estado tinha e continua a ter !

  5. Tubarão diz:

    Só se tem aquilo que se merece…

    Por mim ainda era o dobro do que até agora se obrigou…

    Venha mais austeridade, o povo ainda não aprendeu.

  6. João Espinho diz:

    @tango- o partido não é meu. E como vivemos em Democracia, cada um vota no Partido que quer. Assim, este é o governo democraticamente eleito. Uma chatice…

  7. agnelo diz:

    Governo democraticamente eleito , que tem tentado tapar esse enorme buraco gerado pelos 6 anos de desbunda Socialista-Socrática.

    Até esse grande ídolo do INSEGURO , o HOLLANDE , anunciou brutais medidas

  8. lição de tango diz:

    @João,
    Em Portugal, de há vários anos para cá, o governo não ganha eleições,o outro partido que lá esteve é que as perde, vai-se sempre pelo mal menor e depois dá nisto. Já não contando com os cerca de 50% de abstencionistas. As eleições ganham-se com percentagens do universo total de eleitores inscritos que já não chega aos 20%, ou seja, cerca de 20 em cada 100 eleitores escolhe quem nos governa durante uma legislatura. Estas são as regras mas a democracia não está a funcionar. O problema são as alternativas….

  9. atento diz:

    Saque = roubo
    Afinal a linguagem do PCP vai fazendo escola

Deixe Uma Resposta