Jan 14 2014

Beja – O caso da não dívida da EMAS

Publicado por as 16:15 em A minha cidade

Sobre o assunto, publico, na íntegra, texto enviado por Rui Marreiros:

“Passado agora o período em que, sob as mais variadas formas, se especulou muito, mas efetivamente se disse pouco, penso que será já oportuno voltar ao tema para efetivamente fazer aquilo a que podemos chamar de, o exercício da verdade:

Da verdade, sobre a forma leviana como se criam manobras de diversão política e da forma como muitas vezes se corre o risco de ir atrás destas encenações;

Da verdade, sobre a forma como não se constrói um projeto político de futuro, com base na mentira do presente;

Da verdade, sobre a forma estranha, ou talvez não, como se usam mentiras e distorcem factos na tentativa da capitalizar em proveito próprio;

Da verdade, sobre a forma como acontecimentos como este servem para, que mais não seja, clarificar como e quem faz má política;

Da verdade, sobre a forma como alguns meios de comunicação se prestam a fazer esta má política e portanto este mau jornalismo;

Da verdade, sobre a forma de utilizar fontes anónimas e do exercício do contraditório.

Assim, porque a política (a boa política), mas sobretudo a verdade se fazem de factos concretos, afinal cá estão eles, onde sempre estiverem, ao alcance de quem os quisesse realmente encontrar:

A) A EMAS não tem quaisquer dívidas em atraso ( pelo menos não tinha);

B) A EMAS celebrou um acordo de pagamento que tem plena capacidade para cumprir;

C) A EMAS celebrou este acordo porque a anterior administração tinha deixado a empresa numa situação económica muito difícil;

D) O valor constante do acordo foi de 1.180.000 mil € e não de 2.000.000 €

E) O acordo de transação foi celebrado para 4 anos e não 15 anos (iniciou em Julho de 2012 e termina em Junho de 2016) com amortização de prestações crescentes de capital e juros.

A diferença entre o que realmente é e aquilo que foi dito é abismal e fala por si!

De qualquer forma, não deixa de ser interessante observar a forma fácil e rápida como se julga, como se emitem juízos de valor ou como se classifica, não só o trabalho das instituições mas também, demasiadas vezes, das pessoas que as dirigiram.

Isto mais uma vez e sem surpresas quase sempre a coberto do anonimato, ainda que desta vez a questão tenha sido também amplamente discutida de forma até muito “oponiosa” no seio de alguns “foruns” que se esperava, eventualmente, mais esclarecidos por serem conhecedores da verdade ou pelo menos terem acesso mais fácil a ela, mas isso “são outros quinhentos”.

Não deixa de ser interessante que, já que a EMAS é motivo de tanta preocupação para alguns, ao ponto de ser tema de debate tão alargado, não se tenha, por exemplo, dado pelo menos igual importância ao facto de esta mesma empresa ter sido, segundo o Relatório da Ordem dos Técnicos Oficiais de contas, sido colocada no 22. lugar das empresas do Setor Empresarial Local com os melhores resultados económicos em 2012.

Já agora e para memória futura, importa esclarecer que, quem assinou o contrato com a Águas Públicas do Alentejo, com todas as valias e encargos que decorrem do mesmo foi o executivo liderado pelo Dr. Francisco Santos e a Administração da EMAS à altura, e foi exatamente nesse momento que se comprometeram para o futuro os ónus e encargos em que incorreriam as entidades pertencentes à parceria.

Ainda que defenda pessoalmente o papel importantíssimo da Águas Públicas do Alentejo, também é bom que se diga que foi na altura da celebração desse mesmo contrato que teria sido o momento oportuno para acautelar e defender o peso e o posicionamento estratégico da EMAS neste sistema.

Para o futuro, aliás como já tenho vindo a dizer, resta apenas à nova Administração que mantenha uma atuação não politizada (no que diz respeito à tal má política), continue o bom trabalho que vinha sendo realizado, não crie factos artificiais para encapotar a sua utilização para fins completamente díspares da sua função principal e principalmente que continue ao serviço de todos, da cidade, do concelho e da região, não ao serviço apenas de uns quantos.

Deve prosseguir os investimentos, continuar a ter bons resultados, demonstrar capacidade para se relacionar com as demais entidades gestoras, com as instituições bancárias e com os demais interlocutores regionais, nacionais e internacionais.

Não que fosse preciso, nem que isso em si seja demasiado importante, mas já agora, aqui fica o essencial do famoso acordo quanto aos prazos e ao valor:”

acordo emas

Share

29 Resposta a “Beja – O caso da não dívida da EMAS”

  1. JR diz:

    Então perante os documentos publicados e esclarecimentos dados pelo ex – Rui Marreiros do EMAS, por onde anda o Barriga do Diário do Alentejo e todos os ” outros barrigas ” que mentiram, caluniaram e faltaram à verdade no empréstimo afinal feito pelo comunista Xico Santos, neste mesmo blog ?

    Que grande SAPO estão agora a engolir quem atira pedras ao ar com telhados de vidro e caem-lhe em cima, dói e fazem feridas !

  2. Bejense diz:

    Afinal sempre há divida. Um pouquinho mais pequena, mas existe. O que não explica Rui Marreiros é que, existindo esta divida como é que se andou em ano eleitoral a distribuir milhares de euros em subsídios, festas e festarolas e outras coisas que se estão por descobrir.

  3. atento diz:

    A famosa herança de Rui Marreiros e Pulido Valente : o preço da água. Vejam e comparem : até 10m3 – 0,90€, entre 11 e 15m3 – 1,1€, entre 16 e 20m3 – 1,89€, entre 21 e 30m3 – 2,71, isto em Beja.
    Agora em Lisboa : até 5m3 – 0,2286€, entre 6 e 15m3 – 0,614€, entre 16 e 25m3 – 1,4987€, mais de 25m3 – 1,88€.
    Não é por acaso que por causa destes preços a água de Beja é a 15ª mais cara do País. E depois ainda há as outras taxas todas.

  4. GC diz:

    Ainda gostava de ler o documento e em que condições passou a Empresa Águas Públicas do Alentejo a gerir o abastecimento em alta. Gostava de saber o que ganhou o consumidor e a Empresa EMAS com essa negociata, segundo consta a EMAS desempenhavá o papel de captação , adução e distribuição sem grandes problemas.

  5. CG diz:

    Ainda gostava de saber em que termos foi celebrado o acordo entre a EMAS e as Águas Públicas do Alentejo, o que veio isso trazer de benéfico para o consumidor e para a EMAS, ao que parece a EMAS sempre desempenhou um papel aceitável na captação, adução e distribuição. Negociatas…

  6. Melendi diz:

    Rui Marreiros e o Pulido aumentaram o preço da água!!! Eles são os verdadeiros responsáveis por esta tragédia que atravessamos!! São uns XXXXX, e este blog está ao serviço deles! Já sabemos onde um dos militantes PSD votou…

  7. ... diz:

    Era uma noticia muito engraçada… não tinha verdade, não tinha nada!
    Mas era feita com muito esmero, na Rua da Ancha, onde são todos um ZERO!

    finalmente a VERDADE!

    Esse Barriga, no minimo deve uma MANCHETE no próximo DA que diga: “AFINAL ERA MENTIRA”, com um pedido de desculpas em rodapé.

    No máximo, devia patrocionar os próximos fasciculos da colecção “MENTIRAS E ALDRABICES” Vol I, II e III by Anchetes

    lindo… ahah

  8. Mais que atento diz:

    Após 4 anos de exílio o DA voltou a ser o que era. Um pasquim que serve um partido e não um povo que o paga. Assim já o amigo Barriga justifica o ordenado principesco que lhe é pago!

  9. Bejense diz:

    Quem é que determinou o salário “principesco” do Barriga? Faça lá um esforço que você descobre. E já repararam, que na vossa opinião, todos os órgãos de comunicação social são “pasquins” quando não dizem o que vocês querem. Para quem acusa os comunas de quererem controlar os OCS vocês deixam muito a desejar.
    Dou-lhe um exemplo recente de manchetes dos respectivos sites:

    Rádio Voz da Planície 6/01/2014 – EMAS deve 2 milhões de euros à Aguas Públicas do Alentejo.
    Rádio Pax 7/01/2014 – EMAS não tem “qualquer dívida à Águas Públicas do Alentejo”

    Quem é que controla quem? Quem é que fala verdade?

  10. Vento Norte diz:

    Mas os barrigas de Beja não são todos socialistas?

  11. Melendi diz:

    Já aqui disse neste blog e volto a dizer: A única coisa que os socialistas têm para oferecer é Miséria, Terror e Morte. Foi um partido fundado por corruptos para servir corruptos. Se alguém houver que alinhe com este partido tenha vergonha na cara. Deixem os socialistas e os comunistas e votem PPD/PSD! Venham para o PPD/PSD! O PPD/PSD é o único partido verdadeiramente democrático e anti-fascista! Viva PPD/PSD

  12. JR diz:

    Tanta asneira, tanta mentira, tanto ódio destes sectários comunistas que confrontados com a VERDADE documental optam pelo silêncio e não tem argumentos válidos para rebater, fazer o contraditório e dialogar com respeito pelos outros.

    Aguardo amanhã pelo Diário do Alentejo mas sem expectativa de correcção, mas sim divagando nas fontes que deram o inqualificável texto da responsabilidade do jornalista Barriga.

  13. Miguel Esteves Barriga diz:

    Sabem qual é a diferença entre a maioria dos aqui opinaram e esses tais “Barrigas” (com letra maiúscula) que vocês tanto falam?

    É que os “Barrigas” neste caso sem “s”, não se esconde (m) atrás de pseudônimos…

    Opiniões à parte, um bem-haja a todos!

    Miguel Esteves Barriga

  14. CG diz:

    Miguel o que se trata aqui é “a forma como alguns meios de comunicação se prestam a fazer esta má política e portanto este mau jornalismo” disse o Sr. Engº Rui Marreiros por quem eu tenho muita estima e consideração tal como a que tenho por ti e tu como eu te conheço nem devias ligar a estas coisas…

  15. Reinaldo Louro diz:

    Porque é que o jornalista / director Paulo Barriga, não dá o peito ” às balas ” e esclarece aqui num acto de cidadania, o(s) porquê(s) ?

  16. Tubarão diz:

    GC,

    Porque não se dirige à EMAS ou AgdA e pede para ver o acordo?

    Pois acho que teremos o direito a ver o mesmo… À uma grande parte que nos pertence.

    Somos nós os consumidores e como essas Empresas são públicas, ainda mais temos o direito de as fiscalizar.

    Não acha???

  17. Ricardo Pica diz:

    A situação é ilariante e continua nas páginas do Diário do Alentejo outra vez. O sr. Caixinha diz que são 2 milhões de dívida e o sr. Barreiros diz que é 1, 18 milhões de dívidas. ainda tem que pedir desculpas ao director do jornal alguns más línguas.

  18. CG diz:

    Sr. Pica, já leu isto?
    http://da.ambaal.pt/noticias/?id=4716
    A empresa Água Públicas do Alentejo já se pronunciou… Não leu????

  19. Ricardo Pica diz:

    senhor CG mas se os antigos administradores dizem que há lá outras dívidas é porque qualquer coisa se passa. Não acho bonito é que se diga mal dos jornalistas e se ofendem as pessoas sem mostrar a cara quando os responsáveis são da Emas de agora e de antigamente. Outra coisa muito má são as calunias que o senhor João Espinho não devia dar a conhecer sem conhecer as pessoas que as escrevem aqui. Qual será a opinião do senhor João espinho sobre isto tudo e sobre o jornalista que vocês querem ofender e até a família dele? Ele até colabora no Diário do Alentejo e não diz nada mas devia dizer a sua opinião.

  20. João Espinho diz:

    @ R PICA –

    1 – Nada me obriga a ter opinião sobre tudo e sobre nada.
    2 – Nada me obriga a publicar todas as opiniões que tenho sobre isto ou aquilo.
    3 – Nem todas as calúnias são anónimas. Pode parecer a quem está de fora, mas para quem edita o blog, há muito gato escondido com o rabo de fora.
    4 – Sobre o jornalista em causa, não preciso de exibir amores, paixões ou ódios. A gente conhece-se 🙂

  21. CG diz:

    Para o editor do blog estou perfeitamente identificado e até uso o email que uso para tudo, não ofendi ninguém e o que acho estranho é tão simples como se publicarem noticias sem fundamento num jornal como o Diário do Alentejo, para na semana seguinte se utilizar nem que seja um quadradinho para desmentir uma 1ª página, tão só…. Bom fim de semana para todos!

  22. Carmen Patrício diz:

    Acho que o JORNAL está a lidar muito bem com uma situação complexa e de fogo cruzado entre partidos. Os números são com as administrações e nã com os jornalistas.

  23. anónimo diz:

    Vento Norte,
    Eu conheço e sou amigo de um Barriga que é assumido do Ps.
    Os outros são uns vira casacas e uns oportunistas que ora são do Pc ora são do Ps, consoante a música assim dançam, o que lhes interessa é estarem sempre em cima.
    Cumprimentos a todos…

  24. BE diz:

    @ anónimo

    Essa afirmação não é verdade e nunca foi sequer próximo ao PS, eu também o conheço e com ele tenho falado bué de vezes, essa não pega ou pegará.

  25. CG diz:

    @BE acho que o @anónimo disse que era amigo de um Barriga, não estarão a falar de pessoas diferentes? 😛

  26. CG diz:

    @Carmen Patrício, as noticias, quando são publicadas não o podem ser com base no que se ouve dizer e nem no diz que disse….

  27. Ricardo Pica diz:

    Senhor CG se está também identificado e diz que não está no anonimado diga aqui o seu nome para não andar a enganar os outros e para os outros que o senhor manda para a fogueira possam saber quem é e depois falar consigo se for caso disso. Ou tem medo de alguma coisa?

  28. fada dos dentes diz:

    Helááá, o homem tava inspirado! Ganda lençol….desde que foi para o governo sombra deve andar a fazer umas formações em horário laboral., sim senhor, grande escritor aqui temos!

    Agora o que interessa: aquilo ali diz memo o quê??? é que não há pachorra para ler, alguém que apele ao poder de síntese por favor e explique, que isto cansa-me a beleza.

  29. BE diz:

    @ CG

    Na minha citação referia-me ao Paulo Barriga diretor do Diário do Alentejo.

Deixe Uma Resposta