Nov 01 2013

Mia Couto

Publicado por as 23:07 em Poetas

morre-se nada
quando chega a vez

é só um solavanco
na estrada por onde já não vamos

morre-se tudo
quando não é o justo momento

e não é nunca
esse momento

Mia Couto, in “Raiz de Orvalho e Outros Poemas”

Share

Deixe Uma Resposta