Nov 01 2013

Afinal era mentira

Publicado por as 13:30 em Geral

stal

O STAL, afinal, não interpôs contra a Câmara de Beja, uma providência cautelar. O que não impediu a Radio Voz da Planície de anunciar, nas vésperas das eleições, que a providência cautelar existia. Mau jornalismo ou mentira deliberada?
Avante!

(ler aqui)

Share

8 Resposta a “Afinal era mentira”

  1. já_agora diz:

    Já agora, a talho de foice…

    Porque é que há trabalhadores de 1ª, 2ª, 3ªs e afins? Porque razão o STAL não denuncia a disparidade de vencimentos/horário que se verifica entre os trabalhadores da Câmara Municipal e EMAS? mesma categoria, mesmo trabalho, porque salário e horário diferente?

    (sou associado do STAL, pago as cotas, mas deve ser por pouco tempo…. – Ou há moraridade, ou comem todos)

    A crise chega a todos ou nem por isso?

  2. JR diz:

    O STAL via CGTP e através do PCP são especialistas neste tipo de procedimentos em vésperas de eleições autárquicas, recordemos :

    – Em 2009 fizeram toda a documentação de campanha para 4 concelhos do distrito de Beja, no interior da CMBeja com dinheiros e meios públicos, tendo a PJ apreendido computadores e impressoras e entregues no Ministério Público de Beja e até à data nada, serão ‘ angolanos ‘ e vai ser tudo arquivado ou já está arquivado e nada se sabe ?

    – Em 2005 a redação do Diário do Alentejo fez o jornal e no dia da entrega no correio a impressora avariou e o carro da entrega não chegou aos CTT, conclusão do inquérito onde estará, já o diretor da gráfica ( já extinta ) por coincidência ou não, está em Angola.

    Mentir é a palavra de ordem, basta ver hoje o valor da dívida na autarquia que eles próprios diziam antes que não existia com aqueles números.

  3. João Espinho diz:

    @agora – não acredito que o STAL não esteja atento a esses desvios. A trabalho igual,salário igual, não é? 🙂

  4. laranja amarga diz:

    Não fazer confusão com providência cautelar, e alteração do horário de trabalho, pois o Tribunal Administrativo não tem competencia para ‘chumbar’ esta lei. Essa competência pertence ao Tribunal Constitucional. Até este decidir todos têm que cumprir as oito horas.

  5. j diz:

    O que o “já_agora” refere é verdade! Há diferenças entre EMAS e CMB, em claro beneficio dos trabalhadores da EMAS. Mas, se calhar, são privilégios adquiridos aquando da mudança para empresa. Alguém lucrou (e continua a lucrar) com a passagem dos SMAS para a EMAS (não quem paga a água do mais caro que existe no país).
    João, esta é uma boa “estória” para ser investigada. O PC idealizou e usou, o PS ABUSOU!
    E o stal? Será por “caixinhas”, lá, existentes?

  6. JCC diz:

    Nem mais, é por estas e por outras que o o João Rocha (pá) vai extinguir a emas e a Inovobeja e enfiar com tudo na camara para assim poder usar melhor os recursos (lei-se dinheiros) das empresas. Vejam bem que só fica de fora a ExpoBeja que como qualquer despojo de guerra tem que ser repartido com os companheiros, tipo ACOS. Para isto já estão a caminho novos paos mandados para proceder à liquidação …

  7. Outro café da praça! diz:

    Ohhh JCC deves estar a gozar!!! Andar para trás aí uns 20 anos e desmanchar uma das poucas coisas que ainda os funcionando na cidade? Isto tá bonito tá…

  8. anonimo diz:

    Resposta ao Ja_Agora

    A disparidade de vencimentos que existe entre os funcionarios da Camara e os da Emas talves se possa justificar com a produtividade apresentada por ambas as entidades, experimente comparar o VOLUME e a QUALIDADE de serviço efectuado por uma e outra entidade e verá a disparidade gritante que existe.

    Relativamente aos horarios de trabalho pois é verdade que existe uma grande disparidade de horarios é que na EMAS entra-se as 7 da manha mas nunca se tem hora para almoçar,jantar ou regressar a casa, são muitas as noites e fins de semana que os funcionarios da Emas passam fora das suas casas em prol da empresa.

Deixe Uma Resposta