Set 23 2013

Dia 29 vai votar?

Publicado por as 0:07 em autárquicas 2013


Share

18 Resposta a “Dia 29 vai votar?”

  1. corbusier diz:

    Não posso votar antes no Chuck Norris?

  2. João Espinho diz:

    Pode. Numas eleições presidenciais votei na Laura Palmer 🙂

  3. Melga diz:

    Yes !

    Como posso criticar com legitimidade se não exercer a democracia através do voto.

  4. Maria vai com as outras. diz:

    Não. Não posso concordar com a V. postura.
    Nestas eleições está em jogo o futuro deste concelho e regiões circundantes.
    E todos nós, aqueles que votámos em JPV e no PS há 4 anos, mesmo sem sermos socialistas, para retirar da Câmara um grupo de pessoas que ali se tinham instalado e que pouco contribuiam para o seu desenvolvimento.
    Agora temos que decidir se queremos lá manter os atuais, e para isso temos estes últimos 4 anos para sabermos o que aí vem.
    Ou então apostarmos numa pessoa que já deu provas suficientes de competencia à frente de uma outra autarquia vizinha.
    E se for esta última a decisão dos bejenses, e daqui a 4 anos não mostrar que cumpriu e se deu um salto qualitativo digno desse nome, depressa o tiramos de lá e colocamos outro, seja de que partido for.

  5. Atento diz:

    O problema é que aquelas pessoas que tu e outros quiseram tirar lá da Câmara, há 4 anos, se agora votares JR vão voltar para lá, ainda com maior poder daquele que já tinham. Esse é o problema! Entre um Pulido que não cumpriu as expectativas e um JR desgastado e com uma séquito ávido de poder, voto Pulido.

  6. GIJA diz:

    Vamos lá a ver se esta sondagem não é igual aquelas do Lopes Guerreiro.

    @ maria vai—acredita que caso JR seja eleita , situação totalmente indesejável , ele cumpriria o mandato ????

  7. Maria vai com as outras diz:

    Tudo bem, mas JPV teve tudo para tirar Beja e a sua região do buraco em que se encontra. E não venha lá com a conversa dos 12 milhões. Pois pode não se ter dinheiro e atrair investimentos. Uma coisa não é incomptivel com a outra. Veja-se o caso de Évora.
    Só que passou três anos sem fazer ponta de um corno, implicando com tudo e com todos que não lhe diziam Amén, e que até motivou aquele artigo do Dr José Barriga no Diário do Alentejo.
    Depois, no ultimo ano, faz umas quantas obras, e agora quer que nps esqueçamos dos outros três. E sobretudo que na área do desenvolvimento e dos investimentos na economia da região nada foi feito.
    Logo, se porventura voltar a ganhar estas eleições, alguém aqui tem a minima dúvida que volta a repetir tudo de novo e de forma igual?

  8. BEJESE diz:

    eheh axo que vou votar a Lamego.
    http://www.tabonito.pt/primeira-vez-de-uma-jovem-nas-urnas-e-mote-de-video-sexy-de-apelo-ao-voto

  9. GIJA diz:

    @ maria — atrair investimentos quando estamos em recessão profunda , com empresas a encerrar , sem crédito , queria que investissem com o quê ?

  10. Melga diz:

    Mais do mesmo em 35 anos de PCP e da CDU é demais, prefiro o certo via PS e não o incerto comunista sedentos de poder.

  11. Zezito diz:

    @Maria – E quais foram os investimentos que JR conseguiu para Serpa? Tanto quanto me apercebo de cada vez que tenho de ir a Moura e passo ao lado do parque industrial de Serpa, vejo-o na mesma há mais de 15 anos.
    Entre um que nada fez em 4 anos e outro que só sabe fazer festas, prefiro votar no JPC e no Mais Beja. Esse, pelo menos, não tem maus vícios de governação e e’ de Beja.
    Para além disso, no debate de ontem o JR foi uma autentica desilusão e o JPV também não esteve nada bem. Para mim, o melhor foi mesmo o JPC, que apenas confirmou a imagem positiva que já tinha dele. Por isso, vou votar JPC e Mais Beja.

  12. dfg diz:

    Sobre o debate de hoje e porque de palavras estamos fartos relembro algumas pérolas:

    a partir dos 3m06s.
    E note-se a clarividência com que o homem diz a verdade 4 anos depois.
    http://youtu.be/FIJBXcOtrMs

    E sobre o museu, a partir dos 3m20s
    http://youtu.be/1B2NptYlVwE

    relembrando o João Pedro Caeiro e a conta que fez de que cada membro do executivo atendeu 120 pessoas por ano (deve dar uma media de 5 pessoas/instituições de 15 em 15 dias)
    veja-se também a partir dos 3m45s
    http://www.youtube.com/watch?v=Av-EGCN0KN8

    e para os jovens e a revitalização do centro da cidade veja-se a partir do 2m46s
    http://youtu.be/F5dfcjEjZTI

    e por hoje fico-me por aqui porque este já não me engana

  13. Sportinguista diz:

    Como é que se podem comparar 4 anos com 30? Não percebo algumas das vossas cabeças… mas o que é certo é que a CDU anda sedenta de vingança…

  14. Melga diz:

    As contas e a interpretação do Caeiro estão erradas porque ele não compreendeu o que foi dito e eu assisti ao vivo !

    O Jorge Pulido Valente ( só ele pessoalmente ) ao longo de 4 anos atendeu e estão registadas com os respectivos assuntos tratados mais de 2.000 pessoas e não é a dividir por 4 como abusivamente foram feitas as citadas contas, entendido ?

  15. Maria vai com as outras diz:

    Agradeço ao J. Espinho e aos demais por me terem aturado durante este tempo todo, mas tal como o Henrique Monteiro, também eu estou farta desta gente. Sobretudo depois de ouvir ontem o debate. E em particular o atual presidente da Câmara e ainda o ver aqui ser defendido. Não há pachorra…

    Farto disto… desta gente

    Por:Henrique Monteiro

    Não sei por quantos portugueses perpassa esta sensação. Mas eu estou farto da nossa pequenez e mesquinhice política. Não quero atacar os partidos, defendo a democracia e não há democracia sem partidos. Mas, por vezes, tenho a sensação de que estes partidos, com estas direções políticas, estão a desacreditar-se não só a si próprios, o que não sendo bom era um problema próprio, mas a fazer as pessoas descrerem na própria democracia.

    Refiro-me às birras de Portas, à teimosia de Passos, à total incapacidade de Seguro em dialogar (e ao medo que ele tem de António Costa). E isto para não falar dos outros, do PCP e do Bloco, que sempre foram como são, catastróficos, capazes de separar o mundo em bons e maus, sendo que os bons, puros e amigos dos pobres são só eles.

    Refiro-me à ideia de que a nossa salvação não depende de nós, mas dos favores ou reformas que outros façam. Refiro-me aos discursos indignados e grandiloquentes que nunca partem do princípio que estamos quase na bancarrota e que isto foi obra de muitos anos, talvez 30 – anos esses durante os quais muitos deles foram decisores. Refiro-me às mentiras – tanto às de Rui Machete, a que ele chama elegantemente ‘incorreções factuais’ – como às de Seguro quando diz que com o PS não haverá cortes. Não haverá cortes? Valha-me Deus! Porque se insiste em ocultar a verdade.

    Refiro-me às rendas excessivas das empresas monopolistas. Da EDP, de que toda a gente fala, sem que nenhum de nós consiga compreender inteiramente o que diz cada fatura da empresa, mas sobre a qual ninguém age. Refiro-me à incapacidade total de reformar o Estado, porque o Tribunal Constitucional, vigilante, não permite que se corte na despesa, embora possamos ficar à mesma sem dinheiro via aumento da receita, ou seja dos impostos, taxas, multas e coimas que todos os dias vamos descobrindo.

    É difícil escrever sem, de vez em quando, pelo menos, despejar a alma. Amanhã estarei mais confiante, mas hoje estou sinceramente farto desta malta toda. Não do país, mas da gente que manda nele.

    Ler mais: http://expresso.sapo.pt/farto-disto-desta-gente=f832002#ixzz2foPpXy8F

  16. Anónimo diz:

    O melhor do debate, foi quando o pulido disse que tinha sido ele a meter o aeroporto a funcionar! llllloooooooollllll

  17. Anónimo da Silva diz:

    Não consegui ouvir até ao fim…
    Pareceu-me que a única solução apontada para Beja e o seu concelho sairem deste subdesenvolvimento a que foi remetido, será o desenvolvimento da agricultura e das agro-industrias. Ou seja, o regresso embora com todas as novas tecnologias, ao mundo rural.
    Tirando isso, não há mais nada a fazer, pois a tanga do triangulo Alqueva-Sines-Aeroporto já não parece convencer ninguém.
    Depois perdeu-se tempo e tempo com os serviços publicos que foram deslocalizados para Évora, ou que foram ou serão extintos a curto/médio prazo. Para quê? Não está na nossa mão fazer nada…
    Mas a impressão fundamental com que fiquei, foi que todos os candidatos não sabem o que fazer ou não têm respostas para os graves problemas da cidade e do concelho.

  18. Mois da Costa diz:

    Também não consegui ouvir todo o debate, apenas excertos, mas concordando com quase tudo o que Anónimo da Silva diz, discordo nas suas conclusões.
    Temos viver com o que temos.
    E tal como vem na Bíblia, com os sete anos de vacas gordas e os outros tantos de vacas magras. Há que enfrentar agora estes últimos, e parece que não vão ser apenas sete. Talvez algumas vezes sete.
    Mas esta cidade e esta região já passaram por períodos de decadência muito maiores e conseguiram resistir estoicamente aos ditos.
    E embora não seja vidente, tenho alguma esperança que os próximos anos sejam mais frutuosos do que todos os quarenta juntos desde o 25 de Abril de 1974

Deixe Uma Resposta