Jul 16 2013

Noites de Santa Maria

Publicado por as 0:30 em Geral

noitesdestamaria_web

Share

9 Resposta a “Noites de Santa Maria”

  1. F@ce to f@ce diz:

    O que é hoje, já o não será num futuro muito próximo e que se saiba em 29 de Setembro de 2013, já não o é e será união de freguesias de Sta. Maria e S. Salvador.

    O evento é sempre bem vindo, desde que os custos sejam moderados face à crise …

  2. Vitor Paixão diz:

    Garantidamente moderadissimos, se quiser saber ao certo é só passar pela Junta ou perguntar-me directamente que terei muito gosto em dizer-lhe!

  3. F@ce to f@ce diz:

    Eu até sei que tu próprio és moderado por formação e por atitude …

  4. Maria vai com as outras diz:

    Quero salientar, eu que comecei aqui a postar devido à festa Punk de três dias na Casa da Cultura, que ia endoidecendo tudo e todos ali à volta.
    Que neste último sábado, houve uma outra também barulhenta mas tipo Pimba nas piscinas municipais, mas que a partir de uma determinada hora, o som foi apagado, deixando pelo menos dormir a malta o restante da noite.
    Honra lhes seja feita, tenha sido qual o motivo.

  5. Vitor diz:

    @Maria vai com as outras: relativamente à festa punk de que fala presumo que se refira ao Santa Maria Summer Fest, evento que durante 3 dias trouxe à cidade, nomeadamente à restauração e hotelaria, um significativo aumento de receitas, segundo me contaram os próprios comerciantes. Quanto ao barulho, o que lhe posso adiantar é que tentaremos melhorar e desde já lhe peço desculpa por ter prejudicado o seu (merecido e devido) descanso, contudo também lhe peço alguma tolerância no sentido de podermos ter na nossa cidade eventos destinados a diversos tipos de público; julgo que com a boa vontade e acordo de todos conseguiremos trazer para a nossa cidade eventos que a dinamizem não só culturalmente, como económicamente e até do ponto de vista social, pois tudo quanto envolveu esse festival tinha um cariz social, desde a entrega de bens alimentares e não alimentares, passando pela contratação do cattering a duas IPSS da nossa cidade e ainda mediante algum apoio ao associativismo; é tudo isso que esse festival envolve, contudo, não só solicito a sua compreensão como reitero o meu pedido de desculpa pelo barulho excessivo.

  6. Jamilo da Purificação diz:

    E vá de Festas.
    Crise! Qual crise?

  7. Vitor Paixão diz:

    @”Jamilo da Purificação”
    De facto tem razão, é a semana da juventude de Baleizão, é a Culturneves, é em Ervidel que é semana sim, semana sim, Cabeça Gorda, Salvada e por ai fora, para não falar de Serpa que é festa contínua. Na parte que me toca resta-me apenas acrescentar que a Junta tem por principio prever e dotar, aquando do orçamento da freguesia, uma quantia destinada precisamente à parte lúdico/cultural, orçamento esse aprovado em sede de Assembleia de Freguesia, e que por sinal ninguém votou contra. Por outro lado, e dentro da nossa disponibilidade técnica, humana e financeira tentamos (e quase sempre conseguimos) garantir aquilo que é a nossa principal função, como acredito, conseguirão todas as outras, umas melhor, outras pior, mas uma coisa lhe garanto: não há um único, repito, um único presidente de junta do concelho que não queira o melhor para a sua freguesia e que não faça “das tripas coração” pela sua freguesia, independentemente de terem mais ou menos festas; tudo o resto é uma questão de opções, postura e forma como se faz. E quanto às festas, então não acha que também é importante, desde que se gaste de forma comedida e sem colocar em causa outras coisas mais importantes? Vá lá, seja sincero. Sem esquecer que uma festa irá sempre contribuir, por pouco que seja, para que um ou outro café façam mais algum negócio, seja no Terreirinho das Peças, na Pastelaria Paula, em frente ao Museu ou em qualquer outro lado. Para finalizar, se o preocupa tanto o que se vai gastar basta ler o comentário acima, terei todo o gosto em dar-lhe essa informação.
    Realmente é complicado, preso por ter cão… e por não ter.

  8. Ze da Silva diz:

    Já que se fala de festas, vem a propósito falar do seguinte:
    A dez de Agosto, desde há muito, realiza-se a tradicional corrida de toiros em Beja.
    Consta na cidade, que na corrida deste ano, haverá lugar a uma homenagem ao assassinado forcado Ze Maria Cortes, de Montemor o Novo. Nada tenho contra ou a favor do malogrado rapaz, mas pergunto: Não sera a homenagem um aproveitamento para encher os bolsos da organização? O que tem a cidade de Beja (ou vice versa) a ver com o infeliz toureiro?
    Sabemos que os bilhetes para este espectaculo não costumam ser baratos, por isso a organização tem de utilizar todos os truques para compor a bilheteira: Não esta certa a forma como quer fazer em Beja.
    Mais grotesco ainda: Consta que a corrida, terá o Grupo de Forcados de Montemor, como único pegador! Quem entende esta escolha? so a necessidade de ganhar dinheiro com um triste acontecimento. O Grupo de Montemor que eu conheço (ou conhecia) não pode entrar em “grupadas” ou “golpadas” deste género.

  9. VIGILANTE AO LONGE diz:

    @Zé da Silva:
    Concordo consigo e a acontecer aquilo de que se fala, confirma-se o ditado: Beja é ruim mãe e boa madrasta! Então a organização da corrida despreza os filhos da terra e dá a primazia a estranhos?? Isso a meu ver não é correcto nem é aceitável! Não haverá quem ponha juízo naquelas cabeças?? Onde estão as forças vivas da cidade para defender aquilo que lhes pertence???. No grupo de Montemor, pegaram três forcados de Beja (João Caixinha, Luís Miguel Nunes Ribeiro e Pedro Caixinha), mas Beja tem actualmente um grupo em actividade e fará todo o sentido ser ele a pegar na corrida de Agosto, seja em parceria com o grupo de Montemor ou outro qualquer: Ser arredado do cartel é que não se aceita.
    Quanto à pretensa homenagem ao falecido cabo de Montemor, também a acho desajustada, não tanto quanto à pessoa, mas mais quanto ao local: José Maria Cortes, nada teve a ver com Beja, para aqui lhe ser prestada uma homenagem explícita; fará todo o sentido, isso sim, aquando das cortesias, guardar em sua memória, um minuto de silêncio. Ainda não vi quaisquer cartazes a anunciar a corrida e ou a homenagem, mas se tal acontecer, é vulgarizar um acto que devia ser solene e em local adequado e que não deve servir interesses encapotados e pouco dignos. Eu tenho a certeza, que José Maria Cortes não gostaria que o seu nome e a sua infelicidade fosse aproveitado da forma que parece estar a ser: A sua memória e a sua família, não merecem aproveitamentos mesquinhos.

Deixe Uma Resposta