Jun 11 2013

Arabic Fest Beja – Passatempo nº2

Publicado por as 15:00 em Geral

arabic fest

Responda acertadamente às seguintes questões.

1 – Em que ano foi o Castelo de Beja classificado como Monumento Nacional?
2 – A quantos metros de altura se ergue a Torre de Menagem do Castelo de Beja?
3 – Como se chama o grupo de cantigas tradicionais «esquecidas no tempo» que actua na Arabic Fest?
4 – Para além da Dança do Ventre que outras actividades vão decorrer no evento?

Respostas para joaoespinho@gmail.com com indicação do número do passatempo e o nome do/a concorrente ao passatempo.
Temos convites (pulseiras) para oferecer.

Os vencedores serão contactados por mail com as indicações para obtenção dos convites. Não serão aceites respostas deixadas nas caixas de comentários. Não serão publicados os nomes dos vencedores.

Share

14 Resposta a “Arabic Fest Beja – Passatempo nº2”

  1. Marco diz:

    Adivinhe quem escrevia assim à uns anos:

    Sempre que a Casa da Cultura, em Beja, é palco de manifestações musicais (quase sempre promovidas pela Câmara Municipal), a vizinhança revolta-se e protesta contra o ruído até altas horas da madrugada.
    Este ano foi durante a ?????? e voltou a ser agora, na noite da passada Quinta-feira. Passei pelo local ao princípio da noite e, de facto, a música confundia-se com qualquer coisa de muito barulhento e de duvidosa qualidade.
    Mas há gostos para tudo!
    O que já não se pode perceber é que se insista em levar para a Casa da Cultura (anfiteatro exterior) acontecimentos que se estendem pela noite dentro, são ruidosos e incomodam quem quer descansar.
    Os moradores vizinhos da CC queixam-se à Polícia, esta diz que o evento foi autorizado e quem se lixa é o cidadão.
    Já vai sendo tempo para que alguém responsável toma conta deste assunto.

    Outros tempos…

  2. João Espinho diz:

    @marco – subscrevo (nestes tempos)

  3. Calos Pinto diz:

    Subscreve mas muito de mansinho, para não incomodar. Fossem outros os tempos…

  4. Maria vai com as outras diz:

    Subscrevo também.

    Mas e voltando à “vaca fria”, o que custa a suportar é que de tudo isto se falou, se disse e repisou com a célebre Beja Alternativa dos tempos da CDU. E honra lhe seja feita, quando o Dr Francisco Santos ganhou as eleições, das primeiras coisas que disse e fez, foi acabar com aquele banzé insuportável na Casa da Cultura.

    Agora e sem que ninguém desse por isso, tudo voltou atrás e até ao mesmo local.
    Pelo que me pergunto se não terá havido ninguém desta vasta equipa camarária do PS que pelo menos não se interrogasse ou tivesse parado uns segundos a pensar senão iria destruir um dos poucos fins-de-semana prolongados destes tempos difíceis e complicados. E sobretudo a pessoas que por problemas económicos tiveram que permanecer em suas casas.
    Tratou-se sem dúvida de uma autentica barbárie e atentado à dignidade e ao respeito aos munícipes.

    Posto isto, acho que João Espinho e a sua Praça estão de parabéns, pois têm prestado aqui um serviço público inestimável aos habitantes desta cidade. De forma a que dislates como este não voltem nunca mais a suceder, seja qual for o partido que estiver à frente da autarquia.

    Por último, dizer que todas as atividades culturais e recreativas são bem vindas a esta cidade, mas desde que se respeite sempre o bem estar e o repouso dos outros. E que se existe uma Lei do Ruido, deve ser para cumprir, e ninguém e sobretudo a autarquia tem o direito de estar por cima de qualquer leis deste país, seja por qual for o motivo.

  5. João Espinho diz:

    @calos pinto – a diferença é que noutros tempos eram quase todos mansinhos, ninguém piava, estava tudo a viver no paraíso. Agora, toda a gente protesta. Acho bem. Mas por nenhuma razão desejo que o tempo volte para trás. Já o meu caro…..

  6. Sou mesmo de Beja diz:

    Porque sera que quando se faz qq coisa em Beja ha sempre alguem a dizer mal?
    Dois grupos de beja vao actuar no castelo… E dai? No minimo deviam ir todos ver e participar…
    Eu ainda sou do tempo de ir ao castelo a festa da cerveja… E ainda nao bebia..
    Ainda sou do tempo do concerto memoravel dos xutos e pontapes no castelo…
    E na altura a camara era a de outros tempos…
    Tenho pena de haver pessoas em beja que teimam em viver noutros tempos…
    Sao essas pessoas que fazem beja rimar com inveja… E a inveja nao tem tempo…
    É triste pensarem assim… Em Serpa onde se fazem os concertos?
    O santo antonio e o sao joao em lx e porto sao onde no pavilhao multiusos?
    As feiras medievais sao feitas nas discotecas? Ou nos centros hostoricos?
    Nao ficara a cidade a ganhar por haver iniciativas destas?
    Nao ajuda o turismo? Nao tras visitantes?
    Esta na altura de deixarem de perder tempo… E de pensarem noutros tempos…
    Temos de começar a ser bairristas.. A defender o que por ca se faz…
    Ou entao deixam fazer … Nao atrapalhem… Nao critiquem por criticar…
    Força arabic fest…
    Voltem mais vezes pois temos muito tempo…
    E vamos mas é la todos ver a malta de beja a cantar…
    Abraços e bjs

  7. Maria vai om as outras diz:

    E porque é que este tipo especifico de espectáculos punk apenas e só se realizam na Casa da Cultura?
    Porque não intervalar com o Parque da Cidade ou a Praça da República, por exemplo?
    Ou será que perto desses locais moram pessoas ligadas à organização daquele evento?

  8. Cá se fazem, cá se pagam diz:

    Só digo uma coisa, isti para terminar de vez.
    No dia das eleições autárquicas, lá estarei para votar, eu que raramente o faço.
    E pode ser que quem fez aquela bagunça toda noites a dentro, ainda se arrependa.

    Cá se fazem, cá se pagam.

  9. João Espinho diz:

    @cá se pagam – não se esqueça que, tal como você, há mais uns tantos que também votam. No final vê-se para que lado cai a balança 🙂

  10. Almutâmide diz:

    É uma pena que alguém se incomode e se indigne desta forma por 3 ou 4 horas de sono, certamente que aqueles que estão a organizar o evento já perderam muitas mais que essas por forma a erguer um evento, que é um sonho para alguns dos organizadores, colaboradores e para parte da nossa população.
    O evento em questão nada consome do erário público (apenas alguma mão de obra e papelada), é feito exclusivamente com dinheiros de patrocinadores/publicidade, todos de Beja e com um orçamento limitado e bastante curto. A empresa que o vai realizar é de Beja, e os seus colaboradores mais diretos também são de Beja. Todos os que fazem parte da animação do evento são de Beja ou procuraram Beja ou os concelhos limítrofes como terras de adoção, alguns estrangeiros. Houve quem sendo de fora mas por ter amigos comuns com elementos da organização, se dispôs a vir de Óbidos para animar o evento a troco de dormida e uma grelha para assar umas febras (15 pessoas). Os mercadores que irão encher a praça de armas são de várias nacionalidades, vindos de todos os cantos do país. A entidade que apresenta o(s) dromedário(s) no evento é aquela que tem mais animais no país, que diariamente são treinados para se apresentar em eventos do gênero. Grande parte das animações e pinturas produzidas no evento serão cobradas diretamente a quem utiliza o serviço, tanto nos passeios de dromedário em que haverá uma parte que reverte para o CPCB, no tiro com arco, nas pinturas henna, nas pinturas faciais, etc. Poderá estar perto dos animais presentes no evento e tirar fotos com eles e perto deles… A animação da noite de sábado será totalmente preenchida por cantores (Grupo Coral os Bubedanas), bailarina (Fátima Zahra) e grupo de músicas tradicionais (Cantigas do Baú), de Beja, a morar em Beja ou num raio de 20km. Os Djs são de Beja e terão a difícil tarefa de nos misturar as nossas músicas, sons e culturas, já que os cheiros ficarão a cargo dos vendedores de frutos secos, chás, kebabs,…As portas do Castelo de Beja estarão abertas ao público sem que sejam cobradas entradas, das 10h da manhã de sábado às 22h do mesmo dia e das 10h da manhã de domingo às 20h. Apenas será cobrado bilhete(pulseira), das 22h de sábado, às 3h da manhã de Domingo para o espetáculo das 1001 Noites. A pulseira que tem o valor de 5€ dá direito a uma bebida (imperial, refrigerante ou àgua) e ainda reverte uma percentagem para o CPCB. Todas as pulseiras oferecidas a quem nos apoiou, nos subsidiou, nos divulgou têm na mesma o direito à bebida. Provavelmente muitas das coisas não irão correr como esperavam, pois é a primeira vez que se organiza um evento destes em Beja, mas eu Almutâmide tenho a certeza que tudo fizeram para que seja um grande evento para a cidade, para a sua população e até para a região. Disseram-me que não pretende ser nenhuma imitação do passado nem de nada do que se faz da região, pretende ser um evento único e atual, transportando para os nossos dias a mística da vida quotidiana do norte de África, mas não esquecendo o passado que nos liga… Por tudo isto há quem se incomode com 3 horas de sono, somos realmente um país de dorminhocos!!!…ou “dromentes”…

  11. Al-entejano diz:

    Há quem se revolte por Beja e há que se revolte contra Beja, é tudo uma questão de princípios…

  12. Maria vai com as outras diz:

    Não misturem alhos com bugalhos.
    O que revolta foram três, repito três noites seguidas até às tantas da manhã de festas punk.
    Repito outra vez para ver se entende FESTAS PUNK.
    O facto de no passado, tal como agora as mesmas serem sempre realizadas na CASA da CULTURA. De o último elenco camarário da CDU as ter suprimido por exigencia das pessoas que vivem alem à volta. E agora voltar tudo atrás, e atual executivo do PS ter voltado à carga.
    Que é como quem diz, castigar de novo aquela gente, que certamente deve ter cometido algum crime de lesa pátria.
    Até já me lembrei se será porque pertencem à Junta de Freguesia de S. João Batista, que vota quase sempre no PSD?

  13. Arminda diz:

    Almutamide e outros bejenses pela positiva… Não nos esqueçamos que se faça o que se fizer, diga-se o que se disser, vai sempre haver quem diga mal e mal e mal e mal… Eu olho para Beja hoje e acreditem que não gosto nem de puncs nem metaleros mas acho que uma vez por ano qual é o mal… E volto a dizer que moro la ao pe e o barulho não foi nada do que um ou dois (ou o mesmo) disse(ram) aqui! Eero que a festa no castelo seja um sucesso e é mais uma boa iniciativa para a cidade. E a câmara faz bem em apoiar e não se deixar levar nem guiar ameaças eleitorais. Bjs

  14. El Juanito diz:

    Gosto especialmente deste trecho “puncs nem metaleros”! 🙂

Deixe Uma Resposta