Fev 11 2013

Papa Bento XVI

Publicado por as 16:00 em Geral

bento16_ratzinger

“Depois de examinar reiteradamente a minha consciência perante Deus, cheguei à certeza de que, pela idade avançada, já não tenho forças para exercer adequadamente o ministério de Pedro (petrino). Sou consciente de que este ministério, pela sua natureza espiritual, deve ser levado a cabo não apenas por obras e palavras mas também, em menor grau, através do sofrimento e da oração.
(…) Por isso, sendo consciente da seriedade deste acto, e em plena liberdade, declaro que renuncio ao ministério de Bispo de Roma, sucessor de S. Pedro, que me foi confiado pelos cardeais (…) (leia o Discurso de resignação do Papa Bento XVI).

Share

4 Resposta a “Papa Bento XVI”

  1. luisa diz:

    admiro esta coragem e frontalidade.

  2. atento diz:

    Depois de examinar reiteradamente a minha consciência perante os portugueses, cheguei à certeza de que, pelo saque já feito, já não tenho condições para exercer adequadamente o cargo de primeiro ministro. Sou consciente de que este governo, pela sua grande incompetência e má fé, deve ser levado a demitir-se.
    (…) Por isso, sendo consciente da seriedade deste acto, e, em plena liberdade, declaro que renuncio ao cargo de primeiro ministro de Portugal, que me foi confiado pelos portugueses, os quais enganei repetidamente.
    AMEN!!!

  3. El Juanito diz:

    @atento
    Se fosse só esse a ter de resignar!!!
    Então e os 1º ministros dos anteriores governos?!
    Acho que o Povo é que deveria resignar-se e espressar-se de viva vóz que já não quer este 1ºM, AMEAÇANDO os próximos de que se não merecerem o cargo SERÃO retirados de funções.

  4. atento diz:

    @El Juanito
    Não disse que era só este 1º ministro que devia resignar, só que este é o que actualmente se encontra em funções e ao qual acho que, com as devidas adaptações, se aplicam muito bem as palavras de resignação do Papa, pelos motivos apontados. Muitos outros deveriam ter resignado, nomeadamente o que está de férias em Paris à pala dos portugueses.
    Quanto aquilo que diz, era bom que assim fosse, quando os políticos governassem mal ou prometessem uma coisa em campanha eleitoral e fizessem depois o contrário no governo, o povo devia ter a possibilidade de os pôr na rua e voltar a eleições (passávamos o tempo em eleições…….).

Deixe Uma Resposta