Fev 12 2013

Há filhos e enteados

Publicado por as 10:00 em Geral

reformas milionárias


Da constituição da República Portuguesa

Artigo 13.º
Princípio da igualdade

1. Todos os cidadãos têm a mesma dignidade social e são iguais perante a lei.

Dos jornais: “Pensões pagas em PPP e seguros de capitalização estão excluídas da Contribuição Extraordinária de Solidariedade.”

Share

2 Resposta a “Há filhos e enteados”

  1. Tira Borbotos diz:

    CLARO QUE HÁ FILHOS E ENTEADOS…

    A Guarda Nacional Republicana (GNR) não consegue notificar o deputado do PSD, Mário Simões, para que pague uma multa de 250 euros relativa à falta de inspecção da sua viatura. Acontece, explica o Jornal de Notícias (JN), que o deputado social-democrata, eleito por Beja, tem três moradas diferentes nos vários documentos de identificação e reside num quarto endereço.

    O deputado do PSD, Mário Simões, substituto de Carlos Moedas na Assembleia da República e presidente da distrital de Beja, anda a ‘dificultar a vida’ à GNR. Conta hoje o JN que, a autoridade quer notificar o político mas está a braços com um problema: Mário Simões tem três moradas diferentes e, ao que parece, reside numa quarta.

    O caso remonta ao passado dia 11 de Janeiro, quando o deputado ‘laranja’ foi apanhado em excesso de velocidade na estrada nacional 120, que liga Alcácer do Sal a Grândola. Na altura, Mário Simões pagou 120 euros mas ficou de apresentar o documento de inspecção da viatura.

    Não o tendo feito no tempo devido a GNR notificou-o, endereçando a coima para a morada que consta na sua carta de condução, ou seja, no Bairro Residencial da Força Aérea, em Beja, mas onde, revela o JN, Mário Simões não reside há cerca de uma década. A notificação foi por isso devolvida.

    Mas além desta morada, o deputado do PSD apresenta outra residência no cartão do cidadão e uma terceira no registo da sua viatura. Sendo que, no seguro do carro consta uma quarta morada na localidade de Penedo Gordo (a cinco quilómetros de Beja). No entanto, ao jornal, Mário Simões diz desconhecer esta infracção.

    A juntar a isto, acrescenta o JN, a viatura só foi inspeccionada a 21 de Janeiro, tendo circulado ilegalmente entre 20 de Dezembro de 2012 até essa data. Mas, a GNR ainda foi ‘simpática’ com o deputado, visto que com tantas moradas diferentes nos
    documentos da viatura, Mário Simões devia ter sido autuado em mais 90 euros, 60 euros pela morada da carta de condução e 30
    euros pelo registo da viatura, como acontece com qualquer cidadão.

  2. Tira Borbotos diz:

    João, o que se passa com o post que eu publiquei sobre o deputado Mário Simões. Essa notícia não interessa, é isso?

Deixe Uma Resposta