Mai 24 2012

Obras de Santa Engrácia

Publicado por as 10:35 em A minha cidade


(amanhã no Diário do Alentejo)

Share

8 Resposta a “Obras de Santa Engrácia”

  1. Paulo Nascimento diz:

    Suspeito que o resultado final seja mais um polis de tão má memória.

    Não deixa de ser interessante, a forma como este tipo de obras são feitas neste país, e em particular na nossa Cidade.
    Escavaca-se as ruas para passar canos de agua e esgoto. depois tapa-se.
    Escavaca-se novamente a mesma rua para passar os canos de gás. depois tapa-se.
    O mesmo com a electricidade e as comunicações.
    e ainda falta a fibra óptica.

    Enfim…. é preciso dar de mamar aos empreiteiros, e o dinheiro publico não lhes custou a ganhar.

    Mas esta gente ainda não ovino falar em túneis de serviço?
    faz-se um canal onde se colocam todos os serviços, tapa-se com tampas amovíveis, para depois poder ser intervencionado sem ter de cavar novamente.

    De qualquer forma. há que ter as obras prontas antes das eleições.

    Até porque na mente destes senhores. Talvez os lojistas sejam os únicos que se lembrarão das obras no dia da eleição.

  2. Mafalda diz:

    concordo consigo Paulo Nascimento.. mas … túneis de serviço?! Para isso era necessário que a PT deixasse!! Oxalá que as obras acabem antes do empreiteiro declarar falência como tantos que já o fizeram por esse País fora!

  3. VIGILANTE AO LONGE diz:

    É preciso notar que o trabalho já “é pouco” e o desemprego é muito: é preciso “poupar” o trabalho para que não se acabe.
    “Vai-se fazendo” e convém bem devagar, para que o desemprego não aumente mais.
    Escava-se, re escava-se, tapa-se, destapa-se, muda-se a calçada: O que é preciso é entreter a malta.
    Quanto aos comerciantes, essa espécie em vias de extinção ????? Não se sabe bem o que fazer para acabar com os “malvados” resistentes que teimam em sobreviver.
    Passear no Jardim do Bacalhau, Rua Capitão João Francisco de Sousa, nas Portas de Mértola????? eh pá….. não dá: a malta vai para o Continente ou para o Inter marché e goza doutra maneira e ao fresquinho.
    Há anos que o centro histórico da cidade foi destruído: Obras e mais obras, políticas de trânsito e estacionamento (muito discutíveis) retiraram todo o movimento e bulício próprio de um centro ou baixa citadina. Como diz o velho ditado, “sardinha que o gato leva já não volta à cesta”, como tal, faça-se o que se fizer, só por milagre se dá vida a um morto.

  4. hans virago diz:

    “Túneis de serviço”???
    Com o devido respeito, sr Paulo Nascimento, o amigo deve pensar que isto, (entenda-se Beja), deve ser New York ou Los Angeles.
    Era só o que mais faltava. E depois como é que uma vara de mamões mamava?
    Para não falar de uns quantos iluminados que viriam logo a terreiro dizer que “com tanto buraco, devem pensar que isto, (entenda-se Beja), é algum queijo Suiço. Ainda deixam isto tudo frouxo e se vem aí um “tramor de terra” caímos todos lá p’a drento”.

  5. Snoopy diz:

    Há aqui algo que me escapa, confesso. Segundo creio as obras de recuperação da Rua Capitão João Francisco de Sousa e zonas adjacentes (conhecidas como as obras das Portas de Mértola) tinham uma duração prevista de 12 meses. Ora elas inciaram-se, se a memória não me falha, apenas em meados de agosto de 2011. Assim – e embora preveja que a sua conclusão não será no espaço de tempo previsto -, ainda estão dentro do 1.º prazo apontado uma vez que ainda faltam 2 meses e meio para se esgotar o ano. Se a minha memória estiver certa, parece-me que moradores e comerciantes da zona, como se escreve no jornal, não têm razão quando falam da conclusão das obras pelo natal. Teriam razão se as obras se tivessem iniciado para quando estavam previstas, o que não aconteceu.
    Estou de acordo com alguns comentários anteriores: oxalá para bem de todos, comerciantes da zona e não só, que o empreiteiro tenha condições de concluir a obra (boa ou má, essas apreciações poderão ficar para depois). É que com a onde de falências que vai por aí…

  6. Qualidade da Democracia diz:

    O Tempo previsto de fecho da obra, salvo erro é Out 2012 !

    A foto da obra é bem antiga ( 6 meses ) e se o empreiteiro não falir e para a obra receber 85% dos fundos comunitários o prazo de construção é uma das regras de ouro e esteve imobilizada 1 mês por motivos de arqueologia em dois pontos distintos.

  7. Sportinguista diz:

    Qualidade da Democracia, vejo que está muito bem informado 🙂

  8. LEONEL BORRELA diz:

    Quem fala do que sabe a mais não é obrigado, a não ser que não saiba mesmo nada e fale só por falar, dando a impressão de que participa em qualquer coisa de significativo na sociedade. O que se passa na cidade, na área do Jardim do Bacalhau, Portas de Mértola e Terreiro dos Valentes, é grave. Não há respeito pelos comerciantes, já o constatámos e ninguém o pode desmentir. As vedações das obras no “Bacalhau” e início da rua do “antigo posto de Turismo”, estão constantemente a mudar de posição, servem de estaleiro tapando as montras das lojas, quando não se tapam com os carros dos senhores que ali estacionam pró almocinho e sei lá que mais – é de borla e um abuso. As máquinas que fazem mais pó do que trabalho e o que fica enxovalhado dentro das lojas. Não há rei nem roque, não há regras, não há moral. Quem faz a obra é rei, quem manda fazer é igual e quem está de fora “racha lenha”!

Deixe Uma Resposta