Fev 21 2012

A propósito de D. Manuel Falcão

Publicado por as 21:55 em A minha cidade

(ler Manuel, in memoriam“, de José Navarro de Andrade, no Delito de Opinião:
“Sou ateu até à medula dos ossos – saí assim. Estou por isso em condições privilegiadas para dizer que hoje morreu alguém que mais se aproximou da ideia que faço de um santo: D. Manuel Falcão, Bispo Emérito de Beja.

Nunca me foi dado ver pessoa tão desprendida dos seus cuidados materiais. Embora pertencesse a uma família abastada, tinha que ser a irmã a mudar-lhe em segredo o guarda-roupa quando os fatos já se encontravam quase no fio. O automóvel de serviço, era ele, sempre que possível, quem o consertava em caso de avaria, dando uso à sua formação de engenheiro. O dinheiro de que dispunha, dissipava-o em pequenos auxílios discretos ou numa obra monumental, lenta e prudente: o levantamento, restauração e conservação do património histórico e artístico da diocese de Beja. Isto dito assim parece coisa institucional e maçadora, mas não era, porque estando entregue a José António Falcão (apesar do nome não tem qualquer laço familiar) tornou-se “apenas” um case study.

Foi em Janeiro de 1975 que Manuel Falcão recebeu o bispado de Beja. É difícil conceber cargo mais complicado, dada a hora e o local. Como ele o desempenhou, se quiserem saber, falem com pessoas de Beja, sobretudo comunistas, que elas vos dirão.” (continue a ler aqui)

Ler nota da Agência ECCLESIA

Share

Uma Resposta a “A propósito de D. Manuel Falcão”

  1. VIGILANTE AO LONGE diz:

    Soube com mestria e descrição, levar a água ao seu moinho, numa altura em que os “vermelhos” mandavam e dispunham em todo o Alentejo (e no país). Contráriamente aquilo que os “vermelhuscos” apregoam, nunca professou na sua diocese o anti comunismo. Afirmou sempre a sua igreja (a nossa igreja) com muita fé e dignidade.
    Paz à sua alma…… deixa saudades e será sempre lembrado como um Pastor que soube, em tempos muito dificeis, conduzir o seu rebanho, não dando lugar a demagogias baratas!

Deixe Uma Resposta