Out 18 2011

Desvio colossal

Publicado por as 14:46 em Geral

Transcrevo, na íntegra, o post de Leonel Vicente:

    “Finalmente, quase 4 meses depois de a expressão ter sido pela primeira vez invocada, o Ministro das Finanças explicou hoje – no âmbito da apresentação da proposta de Orçamento de Estado para 2012 – em que consiste o famigerado “Desvio colossal”, agora ampliado para 3 400 milhões de euros:
  • cerca de 1 100 milhões de euros, devido à recapitalização do BPN, e à perda de receita esperada, decorrendo da não concretização da venda de património e de concessões;
  • 800 milhões de euros respeitantes a um desvio em receitas correntes, resultante de valores inferiores ao esperado relativos a contribuições para a Segurança Social, receitas próprias da justiça, e redução nos dividendos auferidos pelo Estado;
  • cerca de 600 milhões de euros associados a desvios no sector empresarial da Madeira;
  • acréscimo de 560 milhões de euros nos consumos intermédios (incluindo principalmente 335 milhões de euros de comissões pagas pelos empréstimos da “Troika”);
  • menos 300 milhões de euros relativamente ao impacto esperado da redução dos salários dos trabalhadores da função pública e empresas públicas, na sequência do corte de 5 por cento aplicado no início deste ano, a que acrescem desvios nos salários dos professores, das forças de segurança e do Exército.
    • Estamos esclarecidos quanto à responsabilidade deste desvio, que agora deixou de ser “colossal”, para passar a ser “substancial”, representando 2 % do PIB, e que justifica, no essencial, as medidas extraordinárias e temporárias (?) de suspensão dos Subsídios de férias e de Natal de funcionários públicos e pensionistas em 2012 e 2013.

      Pelo menos temos um Ministro das Finanças que, contrariando a propaganda, fala verdade…”

    Share

    11 Resposta a “Desvio colossal”

    1. Paulo Nascimento diz:

      Onde estava esse Ministro das Finanças que fala a verdade, durante as eleições ?

      Amarrado a uma cadeira, guardado pelo Alberto João , o Oliveira e Costa, o Dias Loureiro ?

      membros do estado maior PPD

    2. João Espinho diz:

      @paulo – estava a comer sandes de delícias do mar à porta da sede nacional do BE, estado-maior do partido G8.

    3. Reinaldo Louro diz:

      Quem é que disse no período eleitoral ser um DISPARATE mexer no subsídio de Natal ou férias. quem é que foi ???

      Quem é que disse e não assinou o PEC IV, e se justificou nessa atitude para não aumentar os impostos aos portugueses ???

      Quem é que é o autor destas afirmações e que depois fez o contrário e assinou com a Troika o memorando de acordo das actuais medidas ???

      Quem é que é face à realidade dos factos deu uma cambalhota política, o personagem da verdade e da mentira ???

      Se souberem digam !!!

    4. Nuno L. diz:

      até me sinto mais confiante com este novo ministro das finanças….. uma boa merda….. desculpem-me a arrogância, mas ainda acreditam no pai natal!? estou farto de todos estes papoes que so fazem mal a sociedade, ladroes sem arma ao punho,,, vamos ter que bulir e bulir e bulir para pagar esta merda e nunca há-de estar paga. que mal fiz eu e muitos que por ai andam para pagar esta merda’?”’??? eu não contrai dividas nenhumas, e tenho que pagar???? ainda por cima com PSD a comandar este país….. nunca mais isto vai ser nada…. para o ano o país vai estar parado, sem vida, morto…. e quem é o passos coelho???? de onde veio esse chavalinho????? Guiné ou sabe-se de la de onde…. ninguém lhe da um ti.. na pinha??? ele que vá para onde veio,.

    5. Regina diz:

      Fala verdade? Já não sei em quem acreditar… afinal aqui http://dre.pt/pdf1sdip/2011/10/20000/0465804667.pdf diz que está previsto no orçamento de 2012, o pagamento de subsidios de férias e natal ao pessoal da AR…2 milhões e tal…E ao que parece os funcionários do Banco de Portugal também não vão ser privados disso… Afinal, ou eu ando confusa ou alguém anda a deitar-nos pó pros olhos. Arre…

    6. Rato dos Pomares diz:

      Depois de ouvir ontem o Sr. Administrador Mexia, a minha nacionalidade vai passar a ser EDP. Mas concordo que o momento é de crise e que as medidas impostas aos portugueses são incontornáveis e inadiáveis.

    7. Reinaldo Louro diz:

      O Presidente da República disse ontem :

      Que o Orçamento de Estado de 2012 que já foi apresentado é uma violação a uns sectores da sociedade ( função pública e aposentados ) e que deve haver equidade fiscal, nos subsídios de Natal e férias ” um tiro nos pés dos PSDs / CDSs ” .

      O que pode ou não significar mais este AVISO de Cavaco Silva, que não foi consultado previamente sobre a matéria em questão e que dela discorda publicamente tal e qual como ele está e que o Parlamento o deve analisar e corrigir, porque se eventualmente assim não acontecer ele tem o poder de a vetar ou não, e por último solicitar parecer ao Tribunal Constituicional ( recorde-se que os juízes que terão a decisão são por ” mero acaso ” também funcionários públicos e são parte interessada no 13º e 14º salalários ), aguardemos pelos próximos capítulos .

    8. Rato dos Pomares diz:

      Isso são problemas para as instituições portuguesas resolverem. Deixem de ser pindéricos. O Vosso Presidente tem agora uma bota difícil de descalçar, é o que é! No Reino EDP, onde somos todos excepcionalmente dedicados e laboriosos estamos bem e não queremos misturas com gente pobre e espíritos ociosos tipo gregos e tugas. Rejubilemos de alegria e demos Graças. Salvé na sua Exaltada Magnificência o Nosso Soberano Mexia . . . Salvé!

    9. Carlos Gomes diz:

      “O efeito do sal é impedir a corrupção; mas quando a terra se vê tão corrupta como está a nossa, havendo tantos nela que têm ofício de sal, qual será ou qual pode ser a causa desta corrupção? Ou é porque o sal não salga ou porque a terra se não deixa salgar. Ou é porque o sal não salga, e os pregadores não pregam a verdadeira doutrina; ou porque a terra se não deixa salgar, e os ouvintes sendo verdadeira a doutrina que lhes dão, a não querem receber. Ou é porque o sal não salga, e os pregadores dizem uma coisa e fazem outra, ou porque a terra se não deixa salgar, e os ouvintes querem antes imitar o que eles fazem do que fazer o que dizem, ou é porque o sal não salga, e os pregadores se pregam a si e não a Cristo; ou porque a terra se não deixa salgar, e os ouvintes em vez de servir a Cristo servem os seus apetites. Não é tudo isto verdade? Ainda mal.”

      Padre António Vieira em Sermão de Santo António aos peixes

    10. El Juanito diz:

      Mas que poema!
      Não percebi nada do sal! 🙂

    11. Carlos Gomes diz:

      @El Juanito – a sua língua materna é o castelhano, não é?

    Deixe Uma Resposta