Jun 21 2011

Operação Ocean Shield

Publicado por as 12:50 em Geral


foto: joão espinho

Chega hoje ao princípio da noite, à Base Aérea Nº11, em Beja, a aeronave P-3C que integrou, durante dois meses, a Força Internacional da NATO na Operação “OCEAN SHIELD” para o combate à pirataria no Oceano Índico.
A operar desde o dia 18 de Abril a partir do Aeroporto Nacional de Vitória, na Ilha de Mahé (República das Seychelles), o Destacamento da Força Aérea Portuguesa, constituído por 53 militares e pelo P-3C CUP+ pertencente à Esquadra 601 “Lobos”, efectuou 30 missões de reconhecimento e vigilância marítima, num total de 245 horas de voo.
A participação deste meio aéreo português na Operação “OCEAN SHIELD” foi determinante para o reforço da segurança marítima no Golfo de Áden e Costa da Somália, tendo contribuído para a firmeza das forças internacionais na interrupção e/ou decréscimo de ataques piratas a embarcações mercantes.

Share

8 Resposta a “Operação Ocean Shield”

  1. Paulo Nascimento diz:

    Quando a Somália não podia patrulhar as suas costas, deixaram que todo o tipo de barcos esgotasse os recursos marítimos.

    Esses barcos não eram piratas, mas pescadores a fazer negócio com a desgraça de um povo.

    Nessa altura não se falou em ajudar os povos dessa costa.

    Quando ficaram sem peixe, os pescadores que viviam junto à costa. ficaram sem o seu único meio de subsistência.

    E como se não fosse desgraça suficiente, esses mesmos somalis viram as suas costas, agora sem recurso, serem usadas para todo o tipo de despejos ilegais. matando qualquer hipótese de restauro da vida marinha, como milhares de seres humanos que entraram em contacto com o lixo.
    Mas nessa altura, não enviaram tropas ou apoio. eram apenas uns rumores de que alguns barcos estariam a fazer despejo de todo o tipo de lixo.

    Mas quando os esfomeados, e sem qualquer meio de subsistência, começaram em desespero de causa a atacar barcos que passavam junto á sua estratégica costa, e começaram a capturar barcos e pedir resgates. já a coisa mudou.

    em vez de tentarem ajudar economicamente esses povos. para cortar a raiz do problema. manda-se a tropa.

    Mas não foi logo… os barcos recreativos ainda não eram importantes.

    Agora os Petroleiros e os Cargueiros…. È PÀ !!!!!!!

    Aquil del rei, morte aos piratas, esses bandidos.

    temos mostrar força. Os gloriosos heróis das pátrias superiores não podem tolerar tal ato abominavel.

    ….

    E Portugal lá vai com os outros terroristas da NATO. manda os seus mercenários… perdão … heróis. a combater tão ignobil gente.

    ……

    Não defendo os que fazem os piratas, mas também não defendo a resposta de um estado que podia enviar ajuda, nem que fosse a limpar o mar. e prefere enviar mercenários.

    Não quero mal a ninguém, nem gosto que ninguém morra nestas coisas.

    Mas dificilmente chorarei ou terei pena de algum mercenário que lá seja abatido.

  2. João Espinho diz:

    @paulo – devias ler mais e não ficares pelas páginas da propaganda anti-NATO, anti-Ocidente, anti tudo o que respire a mundo civilizado. Ainda te hei-de ver numa manif do Conselho Português para a Paz e Cooperação…

  3. Qualidade da Democracia diz:

    O importante era saber nestes tempos de CRISE saber quantos milhões de euros custou ou vai custar ao país de nome PORTUGAL esta tarefa militar em terras tão distantes para quem está quase em bancarrota ?

  4. João Espinho diz:

    @qualidade – também és dos que advogas que Portugal não deve assumir os seus compromissos? Neste caso deveríamos sair da NATO, não?

  5. El Juanito diz:

    Citando Barack Obama:

    “Pode até parecer um exagero retórico, mas foram realmente os soldados

    que ao longo do século passado deram os “bastas” tempestivos nas

    ditaduras e nos tiranos. Vale como momento para os que se esquecem

    da história e dos seus verdadeiros contornos e querem reformar a

    verdade por conveniências inconfessáveis.

    Barack Obama, Dia do Veterano”

    “…É graças aos soldados, e não aos sacerdotes, que podemos ter a

    religião que desejamos. É graças aos soldados, e não aos jornalistas,

    que temos liberdade de imprensa. É graças aos soldados, e não aos poetas, que podemos falar em público.

    É graças aos soldados, e não aos professores, que existe

    liberdade de ensino. É graças aos soldados, e não aos advogados,

    que existe o direito a um julgamento justo. É graças aos soldados,

    e não aos políticos, que podemos votar…”

    BARACK OBAMA no MEMORIAL DAY (Dia do Veterano) há alguns dias.

    Dedicado àqueles que perguntam para que servem os militares. “

  6. Qualidade da Democracia diz:

    Nesta altura do campeonato cada vez mais se tem que saber gastar um euro quanto mais os milhões e o Passos Coelho já o disse ou não ?

    Será que temos capacidade financeira para ter as forças armadas que possuimos ?

  7. João Espinho diz:

    @qualidade – nunca te ouvi equacionar “as forças armadas que possuimos” no consulado socialista. Será que “estas” FA’s são diferentes das que existiam no(s) anterior(es) governo(s)? Vá, um esforço de bom senso torna as coisas mais claras.

  8. Qualidade da Democracia diz:

    Mas podes crer que acho e sempre achei um exagero desde sempre o que se gastou e gasta com as Forças Armadas ( sem guerras ) e como sabes quem paga são os contribuintes portugueses, nada é de borla …