Mai 19 2011

Custa muito ouvir certas verdades

Publicado por as 12:00 em Geral

Chocados com a Merkel? “Think again”…

Share

5 Resposta a “Custa muito ouvir certas verdades”

  1. Constantino diz:

    Merkl esqueceu-se de dizer que nesta igualdade que ela preconiza dos países do Euro em relação à Alemanha está também incluída a igualdade de salários. Quanto aos dias de férias que temos em Portugal se eu fosse Cavaco Silva sentia-me envergonhado por ter sido tão generoso durante o governo dele ou então mandava a Merkl à merda. João, por muito que ames o país de merkl nunca te esqueças que foram eles que desencadearam as 2 maiores guerras do século passado.

  2. João Espinho diz:

    @constantino – duas guerras que perderam e que lhes saiu da pele. Mauzinhos, estes alemães, que têm a capacidade de se reconstruirem, quando deviam estar a pagar as maldades das guerras mundiais. Nem sei como há portugueses a visitar os PALOP’s…

  3. Paulo Nascimento diz:

    O que custa mais ?

    Duas guerras que destroem tudo de repente em meia dúzia de anos, mas mobilizam o povo para a reconstrução?

    Ou 48 anos de ditadura fascista, que destruíram tudo lentamente , e entorpeceram a capacidade de mobilização do povo ?

  4. atirluar diz:

    Por falar verdades
    Nós por cá fartamo-nos de trabalhar para ganhar misérias, outros por assinarem papéis fazerem grandes negócios com grandes derrapagens contas offshore branqueamentos etc e que depois se esquecem de tudo e a comunicação social também ajuda a esquece-los ganham balúrdios, melhor roubam balúrdios e á conta desses e mais outros que durante uns bons anos teem andado a fazer desaparecer o dinheiro em Portugal. durante anos só se tem feito politica para agradar e encher uns poucos de empresarios e agora ainda querem tirar uns feriados aos pobres ? reformas aos 67 e 69 anos ? porque lhe chamam reforma o mais certo é um gajo morrer a trabalhar nem chega a saber o que é isso de reforma.

    No intermarchet nos dias em que fazem inventários até o pessoal que está de ferias tem que ir contar os produtos nas prateleiras.

    Por acaso esta é muito engraçada não é um gajo vai de férias e dizem-lhe a meio das férias vem cá que temos de ir conferir os artigos na prateleira e depois continuas as férias (são as politicas deste país) será assim na Alemanha?
    Mas a boche tem razão mais uns anos e temos direito a trabalhar todos os dias e no fim do mês de vencimento talvez um tubo de vazelina para nos continuarem a enrabar uma vida inteira

  5. Zé Miguel diz:

    @João Espinho

    Já que gosta de ler o jornal de negócios dê uma vista de olhos neste artigo intitulado “Saiba em que é que Merkel não tem razão”:

    http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=485431

    Já chega de falsos moralismos e populismos! Portugal é um dos países da Europa que trabalha mais horas e segundo a OCDE (http://aeiou.expresso.pt/ocde-portugal-e-o-pais-europeu-onde-mais-se-trabalha=f643500) está em primeiro lugar se juntarmos às horas de trabalho as horas de trabalho não remunerado.

    A conversa da produtividade já tem cabelos brancos! Está mais do que discutido que o problema de produtividade não pode ser combatido com o aumento de horas de trabalho ou com cortes nos custos do trabalho (salários). A solução passa pela aposta na inovação, visão e maior formação para quem desempenha tarefas de gestão.

    O discurso de Merkel baseia-se numa visão preconceituosa, populista e de uma enorme falta de respeito pela autonomia política dos países periféricos da Europa. Merkel e Sarkozy estão a destruir a Europa e a moeda única!

Deixe Uma Resposta