Mai 24 2011

Herman José no Festival do Amor

Publicado por as 12:55 em Festival do Amor

É já no dia 01 de Junho que o centro histórico de Beja recebe durante 5 dias, 22 espectáculos de música e teatro; 30 workshops; 3 apresentações de livros e 5 jornadas de amor sobre a temática.

A 3ª Edição do Festival do Amor, não irá contar com a participação do artista José Cid. O artista cancelou a sua participação por motivos que são completamente alheios à Organização e Produção do Festival do Amor. Mas de modo a garantir a qualidade e as expectivas postas no cartaz de espectáculos, o evento contará com a actuação do maior humorista e entertainer português, Herman José.

Na Praça da República, coração do evento, vai decorrer uma Feira do Amor onde não faltarão, entre outras atracções, as já incontornáveis barraquinhas de beijos, tasquinhas com petiscos afrodisíacos, artesanato vário, flores de sabonete, produtos eróticos, massagens que podem ser feitas a qualquer hora do dia, pontos de venda de livros e de discos relacionados com o tema do festival, chocolates, licores, serviços de astrologia e cartomancia.

A par da feira/mercado e da animação de rua (personagens alusivas ao tema do evento), o Festival do Amor, contempla dezenas de eventos culturais: espectáculos de teatro, poesia, dança e música, exposições de fotografia e de artes plásticas, colóquios, conferências e lançamentos de livros; workshops de chocolates caseiros, dança do varão, dança do ventre, striptease, arte do burlesco, danças latinas, dança sensual, hatha yoga, yoga pais e filhos, massagem ayuvérdica, yoga para crianças, massagem tailandesa, massagem Tui na, massagem de relaxamento, reiki , tai-chi, reflexologia, ritual tântrico, arranjos florais, cake design – cup cakes e erótico e comida afrodisíaca.

Para o cartaz do Festival estão já confirmados Jorge Palma, Herman José, Virgem Suta, Lúcia Moniz, Irmãos Catita, Morango Tango, António Zambujo, Miguel Araújo Jorge, Ricardo Cruz e João Salsedo. Este evento apresenta ainda uma componente gastronómica muito forte, nomeadamente com show cookings e workshops de comida afrodisíaca com vários Chefs nacionais, tendo já confirmadas as presenças de Chef José Júlio Vintém dia 01 de Junho, Chef António Nobre dia 02 de Junho, Chef Margarida Cabaça dia 03 de Junho e Chef Chakall, no dia 04 de Junho.

Share

5 Resposta a “Herman José no Festival do Amor”

  1. Pedrada no Charco... diz:

    O José Cid não teve a coluna vertebral como a maioria depois de assumir atempadamente compromissos.

    O Hermam José é uma alternativa talvez ainda melhor face à qualidade e deversidade de todos os outros, que em Beja se apresentam, se a memória não me falha o tal de José Cid não vai à Feira de Campo a 35 Km de distância passados alguns dias e talvez os euros tenham falado mais alto !!!

  2. silmir diz:

    COMO NÃO ESTAMOS EM ÉPOCA DE “FARTURA” E TODOS ANDAMOS A FAZER CADA VEZ MAIS CONTAS À VIDINHA, GOSTARIA DE LANÇAR AQUI O SEGUINTE DEBATE ACERCA DO FESTIVAL DO AMOR QUE, JULGO PELO MOTIVO EXPOSTO E PORQUE SOMOS TODOS NÓS (CONTRIBUINTES BEJENSES) QUE O IREMOS PAGAR, SE IMPÕE:

    – A RELAÇÃO CUSTO-BENEFÍCIO DO “FESTIVAL DO AMOR”:
    – É JUSTIFICÁVEL FAZER MAIS UM FESTIVAL, TENDO EM CONTA QUE BEJA JÁ TEM BASTANTES OUTROS EVENTOS?
    – E JUSTIFICÁVEL QUE, OPTANDO POR FAZE-LO, TENHA 4 DIAS E UM CARTAZ TÃO CARO (SUPONHO, PELOS NOMES)? PRECISAMOS MESMO DESTE EXAGERO PARA O DESENVOLVIMENTO DE BEJA? NÃO BASTARIAM 2 DIAS COM UM CARTAZ MAIS MODESTO?
    2. QUAL O BENEFÍCIO CONCRETO PARA BEJA DESTE FESTIVAL? TRAZ MUITO DINHEIRO E TURISMO OU NEM POR ISSO? PROMOVE MUITO A CULTURA E ACTIVIDADES DE MÚSICOS LOCAIS OU NEM POR ISSO (PARA NÃO DIZER, QUASE NADA)
    2.1. O DINHEIRO QUE TRAZ FICA NA SUA MAIORIA POR CÁ OU VAI PARA OUTROS LADOS DO PAÍS?

    MAIS QUESTÕES SERIAM PERTINENTES, MAS ESTAS CHEGAM, PARA JÁ. É QUE NÃO PODEMOS ESQUECER QUE HÁ CERCA DE 1 ANO E POUCO A CMBEJA QUEIXAVA-SE DE NÃO TER DINHEIRO PARA AS COMEMORAÇÕES DO 25 DE ABRIL E QUE CONSTANTEMENTE SE QUEIXA DE TER CADA VEZ MENOS DINHEIRO. MAS NÃO SE PREOCUPEM QUE VEM JÁ AÍ A BEJAWINE NIGHT FEITA PARA A HIGHT SOCIETY (SERÁ?????? ) E A CMBEJA ENCAIXARÁ BASTANTE DINHEIRO (DEPOIS DE PAGAR À COCAS PRODUÇÕES, CLARO, PORQUE ESTA EMPRESA TEM ACORDO ASSEGURADO COM A CMBEJA PARA A MAIOR PARTE DOS EVENTOS ????? COISA ESTRANHA ????) FOI SÓ UM DESABAFO. NÃO LIGUEM A ESTE ÚLTIMO PARÁGRAFO. VAMOS DISCUTIR SERIAMENTE O TEXTO INICIAL.

    COMENTÁRIOS ????????????????

  3. Antunes Fernandes diz:

    Lamento que o nome de MARIANA ALCOFORADO , esteja ligado a um Festivaleco que não dignifique o seu nome e o da cidade de Beja.
    Para mim, isto não vai atrair turistas nenhuns, é uma vergonha, danças do ventre, dança do varão , streptise, etc., etc.. workshops a 50Euros, isto está tudo maluco.
    Dinheiros mal gastos, que poderiam ser aplicados numa boa promoção turística de Beja.
    Haja paciência para aturar estes boys !

  4. Sandokan diz:

    Quando não se faz é-se “preso” porque não se fez e “os outros” fazem (Mértola, Serpa, etc.). Quando se faz, ainda que com muita qualidade como é o caso, é-se preso porque se fez e não se devia ter feito… Lamento que estes eventos sejam melhores, em toda a linha, que o famigerado Festival da Juventude de má memória. São opções.
    Valorizar o Castelo, a Praça da República e o Pax-Júlia, levando a população a esses espaços por vezes tão esquecidos, merece sempre nota positiva.
    E venha de lá, sem complexos, a 2.ª BejaWineNight. A 1.ª ediação foi tão só a noite mais bonita de Beja dos últimos anos. Quero lá saber que sejam betos ou queques ou proletários ou anarcas a estarem lá. Estava-se lá bem, muito bem, a conviver, a beber e a promover junto de um público vasto e conhecedor o que Beja tem de melhor: o seu vinho.
    E força Cocas. Conheço-te há muitos anos e sempre trabalhaste esforçadamente por uma cidade com iniciativa e com dinâmica. Continua.

  5. silmir diz:

    escolhi como exemplo o Festival do Amor (como podia ter escolhido o da Juventude), como podia ter escolhido um qualquer outro festival de outro concelho (islamico, do regadio, das açordas, da sardinha, do escabeche, do glamour, festas de cidades, etc ….). Apenas o fiz por se tratar do meu concelho e por ser para este – leia-se CMBeja – que (uma parte impostos que pago ao estado) revertem a favor. Já vi que fui mal interpretado. Coloco então a questão da seguinte forma geral:

    – Porquê a existência de tantas festas, feiras, festivais, exposições e outros acontecimentos semelhantes quando as Câmaras Municipais já nem sequer tem dinheiro para outras prioridades mais importantes? Esta pergunta aplica-se a todas as Câmaras Municipais do país e a todos os festivais e acontecimentos em geral por esse país fora (já repararam na quantidade ????? é uma barbaridade). Já repararam que no futuro não conseguiremos viver só disto?

    Quanto ao caso particular da Cocas Produções, é assim:

    – Não tenho nada contra a empresa Cocas Produções, apenas acho estranho a CMBeja não diversificar na subcontratação. Ao menos distribuia o seu dinheirinho por outras empresas locais não apenas por uma, ao que parece. Alias, eu até acho que um Câmara que tem cerca de 400 funcionarios nao deveria ter que subcontratar para organizar este festivar, deveria ser ela propria a faze-lo com a prata da casa. é o tal assunto das parcerias publico-privadas que agora tanto se fala. Nao se esquecam que uns mamarem (desnecessariamente) para outros pagarem (nós bejenses, neste caso), também acontece ao nivel local nos concelhos. preocupa-me mais Beja porque esta a sair-me do pelo. Agora se o meu amigo conterraneo Sandokan gosta de ser explorado indevidamente é uma opção sua …..

Deixe Uma Resposta