Abr 25 2011

São rosas, senhor, são rosas!

Publicado por as 10:00 em Geral

Ou, em linguagem moderna, são coisas do partido da rosa.

Share

4 Resposta a “São rosas, senhor, são rosas!”

  1. AVLISESTE diz:

    São Rosas, sim, mas com muitooooooooos espinhos (sem qualquer alusão ao Janeca).
    É caso para dizer: Maldita roseira…. nunca mais seca!

  2. MARIA FLORES diz:

    como é possivel que ainda existam Portugueses que acreditam nesta corja de mentirosos ?

  3. tigre alentejano diz:

    São o exemplo claro da mentira continúa, da omissão, do poder dos BOYS que só pensam do poder e do dinheiro, logo não percebem nem querem perceber a realidade do Estado. No lugar de ter entrado o FMI deveria ter entrado a Interpol.

  4. AVLISESTE diz:

    @tigre alentejano:
    Não se canse nem espere por ser tarde: A “Interpol” há-de vir para tentar saber onde estão os milhões de € que estes senhores malbarataram. Percebe-se agora a razão porque estes malditos não queriam a auditoria às contas públicas. O buraco / poço é duma dimensão muito superior aquilo que se diz, atingindo valores incalculáveis para os mortais mais comuns.
    As PPP e as obras faraónicas do regime, de interesse mais que duvidoso, empenharam-nos até, seguramente mais, que à geração dos nossos netos. À sombra destas “minas” floresceram fortunas indescritíveis, cujo valor é muito superior aquele que agora necessitamos.
    Venha o FMI + FBI + INTERPOL + sei lá o quê e ponha-se este país em ordem: Expropiem-se de imediato as fortunas de origem duvidosa, pouco clara e não declarada; castiguem-se os delatores, que em proveito próprio tem delapidado o património do estado.
    Comerciantes, industriais, agricultores, profissões liberais, a trabalhar honestamente, nunca conseguiram as fortunas que certos “papalvos” que nós conhecemos, conseguiram em “meia dúzia” de anos: Aperte-se-lhes o cerco e eles começarão logo a espirrar. Infelizmente, há-os em todas as cidades e vilas, sabemos quem são, pois andaram e estão sempre à manjedoura do poder e serão desta opinião e da outra se fôr preciso, com quanto não belisque os seus opíparos interesses.
    Reformas douradas e chorudas, duplos ou triplos empregos, mordomias da mais variada índole, etc. etc. é lógico e era natural que o país chegasse a esta triste situação: Quando sairá ?? Isso não sabemos, mas certamente não será em breve !