Mar 16 2011

Venha a crise política

Publicado por as 10:35 em Geral

Quem tivesse aterrado ontem pela primeira vez neste país e tivesse ouvido a entrevista do primeiro-ministro à SIC, ficaria com uma enorme dor no peito, uma grande angústia, um nó na garganta, por ter ali um homem alvo de injustiças, um ser incompreendido, uma vítima das garras da oposição. Enfim, uma pobre alma, um solitário guerreiro.

Felizmente (ou infelizmente) já todos conhecemos o guião, o actor, o artista em que se transformou o PM.
Por isso, foi com um certo alívio que o ouvimos dizer que o “voto contra PEC abre uma crise política”. Espera-se que a crise, provocada por José Sócrates, conduza à demissão do governo e que através de eleições antecipadas se legitime uma nova governação.
Esta está gasta e podre.
É urgente acabar com este estado moribundo .
Pode ser que ainda se vá a tempo de salvar alguma coisa.

Share

26 Resposta a “Venha a crise política”

  1. Paulo Nascimento diz:

    Salvar o quê ?

    O país já não é nosso. é dos “mercados”

    O país é Dos Grupos Mello, Espirito Santo. Dos Boys convertidos em empresários “de sucesso” com monopólios dados de mão beijada. como a Luso ponte, ou a Galp.

    E tudo graça aos borregos que elegem os Soares, os Cavacos, os Guterres, os Durões, os Socrates. Que os beijam nas peixarias, e depois falam mal deles , e dizem que já não acreditam nos politicos e têm saudades de Salazar.

    Salvar o quê ?

    O povão já se enterrou na merda. agora ou limpam isto (democraticamente) ou limitem-se a disfrutar a pocilga em que isto se tornou.

    ….

    Já agora.. quais são as propostas do PPD para mudar isto ?

    Só li opiniões soltas de ilustres economistas, mas propostas vindas do PPD …… ?????

  2. Rato dos Pomares diz:

    É aí que o PPD entra (leia-se: “meteu-se” a jeito para levar um empurrão nas costas e não poder decidir quando seria mais favorável entrar) apesar de ser técnica, táctica e animicamente muuuuuuuuuito adverso fazê-lo nestas condições (leia-se: momento). Ainda assim virá no momento certo! Afinal, será preciso que alguma coisa mude para que tudo fique na mesma! Capice?
    Já agora, se me é permitido, considerar que são borregos todos aqueles que elegeram os ilustres atrás identificados, será passar um “atestado de borreguice” a uma parte considerável da população portuguêsa, incluindo aqueles que, num dado momento, tiveram que fechar os olhos no acto de votar. É muita gente.

  3. Paulo Nascimento diz:

    @Rato

    Quando me refiro a borregos, não me refiro a quem vota especificamente num partido.

    Refiro-me a que vota sem saber no que está (ou não) a votar.

    votar no PS porque sim, apenas porque é um grande partido com muita cobertura mediatica.
    votar no PPD porque sim, apenas porque é um grande partido que está na oposição.
    votar no CDS, apenas porque tem lá um gajo que fala bem , em segurança e na familia, etc.
    votar no PCP , apenas porque é o partido em que a familia e os amigos votam, e diz que defende os trabalhadores.
    votar no Bloco, porque é o partido da malta fixe, que até gosta de umas passas.
    ou não votar em nenhum

    É UM ATO DE BORREGUISSE

    todo o cidadão tem obrigação de se informar e informar os outros sobre as medidas que cada partido propõe, antes de votar.

    E não votar neste ou naquele, porque sim , porque está na moda. isso é um ato de borreguisse.

    Repetir os cliches de um partido sem pensar no que diz , é ser parvo e prejudica a democracia.

    E há mais vida para alem do voto. participar activamente em movimentos civicos, luta, sindicatos … etc… só serve para engrandecer a democracia.

  4. Rato dos Pomares diz:

    Então e onde consta a hipótese (e você certamente coloca a hipotese de o eleitor colocar essa hipótese) de votar em “alguém” por acreditar que é nesse “alguém” que reside a melhor governação?
    Olhe o meu caso. Não sei se é relevante mas como é o único que conheço e o único acerca do qual me sinto à vontade para falar. Eu informo-me, se me apetecer discuto o assunto com quem me interessa e voto em quem me apetece porque me apetece. Parece estranho não é? Mas deixei automaticamente de ser borrego (o que me causa grande satisfação).

  5. João Espinho diz:

    Uma ideia: e que tal discutir este assunto à volta de um borrego … à pastora? Eu ofereço as alfaces 🙂

  6. Rato dos Pomares diz:

    Isso seria o I Encontro Gastronómico do Borrego, do Praça. Agenda-se para antes ou depois das legislativas? É melhor ser para depois senão terá que ser tudo organizado em cima do joelho.

  7. Paulo Nascimento diz:

    @Rato

    Ainda bem que consegui esclarecer a minha posição.

    Evidentemente tenho amigos que são militantes de todos os quadrantes políticos. e como é evidente não os considero borregos.

    Aliás, entre os melhores debates e mais esclarecedores que tenho, são aqueles que estabeleço com militantes de outros partidos.

    ….

    o que queria frisar é simples…

    Votar sem conhecimento, empobrece a democracia.

  8. Paulo Nascimento diz:

    @João

    Agora marchava o borrego. 🙂

  9. Hugo Rego diz:

    Boas. Antes de mais, quero deixar claro que não defendo Fulano ou Sicrano. Dito isto, e analisando de uma forma fria o momento, tenho que dar a mão à palmatória ao Primeiro-Ministro: não me recordo de nenhum outro ser tão acossado, a todos os níveis, como ele e, no entanto, se manter da forma que todos vemos. Evidentemente, isto não faz dele um coitadinho. Nem qualquer outra coisa.

    Agora, é realmente angustiante ver a que ponto chegou o País. Começando pelo PR, passando pelo PM e Governo, pela oposição e acabando na sociedade. Sim, porque esta última é a maior responsável do actual estado do Estado.

    Concordo que o actual executivo se encontra desgastado, o que é compreensível mas, pondo de parte so pontos positivos que este executivo também teve, atribuir responsabilidades da actual crise apenas ao governo parece-me leviano, simplista e populista. E já agora, de que crise é que estamos a falar ?

    Comecemos pela crise económica conjuntural do país. Então ela é fruto da actuação deste executivo ? Se bem me recordo, houve um tempo em que um certo professor, então PM, agora PR, patrocinou o crescimento do sector terciário deixando cair, pelo caminho, o sector secundário e primário. Não sei se Keynes, paz à sua alma, esteja onde estiver, estará a rir-se ou com o estômago às voltas, ao ver os auto-apelidados de Keynesianos aplicarem modelos neo-liberais desestruturados e desequilibrados enquanto brincam aos Reguladores do Estado. Culpados ? Há muitos. O actual executivo, tendo a sua quota-parte de culpa, está a pagar a factura toda. Com juros a 7,5%…

    Passemos à crise financeira. Muitos culpados, sem dúvida. Poucos têm noção de que Portugal tem sido o brinquedo-instrumento de uma luta de domínio geo-político mundial. A esse respeito, pouco podemos fazer. Mas este executivo ficará, irremediavelmente, marcado pela falta de transparência e respeito para com os cidadãos, durante o desenrolar da mesma. Convém realçar que esta também atingiu os níveis que atingiu, fruto da desestruturação económica que o país sofreu nos últimos 20 anos.

    A tão propalada crise política… Se este Governo cometeu assim tantos erros, onde está a Oposição ? Se esta não teve, e não tem tido, a capacidade de conseguir explicar ao país quais são os erros, onde e como foram cometidos, o que se devia ter e deve ser feito… É nesta Oposição que está a esperança de mudança ? Mudança positiva, entenda-se! É nesta oposição que, salvo (muito) raras excepções individuais, apenas se tem esgotado no mero combate político-partidáriozinho, numa altura tão crítica como esta ?
    E o PR ? Bem, é que, das duas uma: ou andamos a sofrer de problemas de memória ou o senhor sofre de múltipla personalidade. Ainda me recordo do PM Cavaco Silva pouco afoito a intervenções populares, as quais costumava brindar com cargas policiais “divinais”. Paradoxalmente, vejo o PR Cavaco Silva incitar ao “sobressalto cívico”, apelando aos jovens que, por mera coincidência, se preparavam para uma manifestação de rua dali a uns dias…

    O que entronca numa outra crise: a dos valores sociais. Poderia alongar-me em considerações sobre a mesma mas, olhando apenas para os acontecimentos dos, digamos, últimos 2 mêses, assisti a uma manif, maif essa que se tivesse que pagar pela “publicidade” de que foi alvo previamente nos meios de comunicação social, agravaria o défice em 1% pelo menos, cujos participantes, em grande número, eram tudo menos jovens, convocada e organizada através de uma rede social que, lançando o tema “1 milhão de clics para despedir o Governo”, reuniu 200 mil “gosto” num ápice, manif essa arengada por um PR um tanto ou quanto incoerente, durante o seu discurso de tomada de posse, após ter sido reeleito por 1 em cada 4 eleitores, tendo 2 optado por tratar de ocupar as suas vidinhas com coisas, presumo eu, mais interessantes.

    Desculpem mas… Dizem-se enganados ? Por quem ? É esta a sociedade que vem agora reclamar ? Safa!!!

  10. Semprealerta diz:

    Eu pago a pinga suficiente para soltar a lingua e as ideias, no debate a promover enquanto o borreguito e a alface se vai acomodandoa à sua nova morada.

  11. zig diz:

    Anedota: Sócrates ainda não acabou os estudos, faltam-lhe 3 cadeiras: a cadeira eléctrica, a cadeira de rodas e uma cadeira nos c*****
    É só uma anedota minha gente, ok?

  12. AVLISESTE diz:

    Senhores:
    Rato dos Pomares, Paulo Nascimento e Hugo Rego:
    Fazendo fé e a crer nas vossas estimadas opiniões, o que faz falta é acabar de vez com esta palhaçada toda! É bom sinal, começamos a entrar no bom caminho.
    Dissolva-se o parlamento e todas esses bandos de mal feitores, que há anos andam a comer à conta do povo português, auferindo ordenados mirabolantes e reformas chorudas: Fora com esta maldita canalha, que tem sugado tudo.
    Portugal, pode passar uma boa dúzia de anos sem essa maldita camarilha, que só nos tem arruinado.
    O sr. Hugo, certamente será mais um daqueles “boys”, que procura tapar o sol com a peneira.
    Ao ponto a que isto chegou, só com um verdadeiro SALAZAR, é que o país volta a entrar em rota equilibrada.
    Qualquer coisa é melhor, que este malfadado regime que só protege os vigaristas e corruptos.
    Quem tem medo da disciplina ? Só quem não quer trabalhar e viver à vara larga !
    Não precisamos tantos deputados, tantos ministros, tantas eleições: PRECISAMOS É DE QUEM MANDE E SAIBA MANDAR, sem cuidar de arranjar empregos e “tachinhos” para os primos, afilhados, compadres, amantes, etc., que é o que infelizmente acontece há 36 anos.

  13. " Hobby and lobby " diz:

    Onde estão escritas as alternativas ?

    Porque o que se sabe poderá ser mais do mesmo, mas com maior gravidade nas medidas aos cidadãos.

  14. Regina diz:

    Infelizmente o Passos Coelho é demasiado indeciso para tomar as redeas do País. Falta-lhe ideal, dinamismo, coragem e um grupo de homens moralmente capazes a apoiá-lo

  15. AVLISESTE diz:

    Andamos tristes e amargurados: a esperança há muito que se foi; o que será de nós?
    Estes políticos de m…., conduziram o país a este triste estado, onde falta a alegria e o gosto de viver. Malbarataram todo o dinheiro que a Europa para cá enviou e agora estamos todos à rasca, num beco sem saída.
    Só com uma intervenção presidencial, descomprometida dos partidos, se poderá sair deste maldito impasse, porque todos os políticos de m…. que temos tido, estão comprometidos com este lamaçal. Isto já não se resolve com Sócrates ou Passos Coelho, que estão rodeados de moscas varejeiras, sempre a voar de um lado para o outro e a sugar o pouco que existe.

  16. Anónimo diz:

    @Regina – acha? Depois de ter sido anunciado pela comunicação social do regime como o corajoso salvador da Pátria que iria fazer todas as reformas estruturais necessárias à sobrevivência de Portugal enquanto País, eis senão quando o sr. José de Sousa sai de fininho pela porta pequena depois de ter demonstrado a sua total INCOMPETÊNCIA para a governação. “Passos Coelho é demasiado indeciso” é piada não é? Mas que há muito boa gente que vai ter de engolir sapos isso há! 🙂

  17. Paulo Nascimento diz:

    Passos Coelho indeciso ?

    Claro que não. Até porque não vai precisar tomar decisão nenhuma.
    Não é ele que vai mandar. é o FMI, os bancos, os Mellos, os Belmiros, o Cavaco. ele só tem que manter o penteado bonito. Que é para isso que ele serve.

  18. Hugo Rego diz:

    @AVLISESTE
    Sou um “boy”, concerteza que sou. Pelo menos, no que toca ao género sexual.

    Mas confesso que, depois de ler as suas palavras, percebi o quão profundamente errado estava! Meu Deus, como pude estar tão errado, sucumbir de tal forma a tão vil pecado. Como pude ousar pensar, ter opinião ? Foi um banho de humildade que recebi com suas palavras.

    Claro está que a única solução para os problemas do país reside num ser iluminado, que nos conduzirá, aliviando o nosso fardo diário de pensar ou opinar. Que melhor país posso desejar senão aquele onde alguém tomará todas as decisões, restaurará a confiança do homem na sua mulher, até porque se ela resolver começar a ter ideias, poderemos sempre agredi-la, já que isso não passará de uma atitude honrada de homem que é homem e segue cegamente o seu Querido Líder.

    Vamos então, companheiros, esperar por esse grandioso líder. E assim retomaremos o rumo que Portugal perdeu há quase 37 anos. Não vejo a hora de nacionalizar o Cristiano, o Nani e o Zé Mourinho. Sem dúvida que a Selecção Nacional voltará a viver momentos ainda mais gloriosos que os de 66. E, pelo caminho, expulsaremos todos esses opinadores e pensantes. Obrigaremos todos esses estrangeiros abandonem a nossa querida Pátria já que eles só trazem discórdia e tumulto com essa mania de pensar e arrogarem-se ao direito de questionar os seus líderes. E se algum Português ousar defender tais indivíduos, pois que sejam também eles expulsos já que não passam de vis traidores da Pátria!
    Agora percebo que também eu quero poder estar em casa, no sossego do meu lar, acompanhado pela minha mulher que, inevitavelmente, estará a desempenhar as tarefas que o grandioso líder espera de qualquer esposa: criar os filhos, cuidar da casa e do marido e sentar-se a seu lado no mais profundo silêncio. E se eu não estiver em casa e optar por conviver com outras senhoras, ela aguardará por mim até eu chegar, onde me receberá com toda a devoção a que eu terei direito.

    Como anseio pelo dia em que verei o meu filho a ter que entoar a “Portuguesa” todas as manhãs enquanto contempla o retrato oficial do nosso querido líder, lado a lado com o de Sua Iminência, O Santo Papa, ou vê-lo fardado, marchando numa nova e renovada Mocidade Portuguesa.

    Como estava errado! E agora compreendo, sim agora, que não era apenas eu. Que este é o grande mal do mundo. A falta destes queridos líderes. Agora vejo como são injustos esses líbios.

    Pensando bem, tenho uma sugestão para lhe fazer, companheiro: vamos organizar o movimento “10 milhões de clics para colocar Kadhafi no Comando da Nação”.
    Que melhor pessoa poderemos almejar para conduzir o nosso país ? Alguém que cuidará de nos defender, até de nós próprios. Que pensará por nós, decidirá por todos nós e impura a moral que tão injustamente foi atacada e perdida nestes 37 anos.

    Sim, avançaremos com essa proposta. Aproveitemos a oportunidade que esses ingratos líbios nos estão a dar. Bem sei que temos poucas palmeiras mas ele poderá sempre deslocar a sua Tenda Presidencial para o Algarve e, apesar de não termos camelos, acredito que facilmente arranjaremos uns quantos bichos lerdos também para colmatar tal falta. Até porque acredito que burros não nos faltem…

    Sim, companheiro, vamos então lutar por tão nobre objectivo, em nome da nossa Querida Pátria, que para trás é que é o caminho. Quer dizer, para a frente. Não, para trás. Não…
    Já nem sei. Não interessa. Ele pensará por mim e por todos nós…

    P.S.: (Para quem não reparou, estou a entoar a “Portuguesa”, enquanto ensino ao meu filho o Hino da Mocidade Portuguesa, e, ao mesmo tempo, rezo dois Pais Nossos e três Avé-Marias, penitenciando-me, assim, de estar a participar neste espaço de discussão que é, claramente, anti-patriótico…)

  19. Rato dos Pomares diz:

    Considerando que quem quer que vá para o lugar não vai ter que tomar decisão nenhuma até porque quem manda são as entidades referidas (discurso característico de quem sabe que obviamente não vai ter que decidir nada e que de tão repetitiva e redutor vale aquilo que vale), convenhamos que o mais habilitado será o Dr. Pedro. Muito mais que o Dr. Francisco. E se no meio da de uma cimeira o Dr. Pedro ensaiar um daqueles gorjeios de rouxinol que ao que parece domina na perfeição. . .ui ui. Dona Ângela Dona Ângela. Bendito solfejo e canto lírico. Bem haja!

  20. AVLISESTE diz:

    Sr. Hugo Rego:
    O senhor a escrever é uma verdadeira máquina!
    Continue opinando e “Prá frente Portugal”, quem vier atrás que feche a porta.
    Por haver muita gente a pensar como o senhor é que isto chegou a este ponto: Então não tem de se queixar, avante com a sua retórica (é pena que ela tenha causado tantos estragos ao país).
    Indivíduos como o senhor, deveriam ter vergonha e ser proibidos de entoar o HINO NACIONAL, porque o mesmo não se coaduna com o vosso espírito: É triste e lamentável que se dê ouvidos e possibilidade de expressão a tantos asnos: é o mesmo que gastar cera com ruins defuntos!

  21. Regina diz:

    Anónimo… para mim tem sido óbvia a indecisão de Passos Coelho, mas tb reconheço que a situação merece um especial cuidado: este 1º ministro devia ser castigado com a obrigatoriedade de se ver a braços com a situação k ele próprio criou. Toda a gente sabe da encenação que tem sido estes ultimos 6 meses. Viram-no a mudar alguém no governo? Ao tempo que ele aguarda este momento, e não é só ele…todos eles.
    Será que não percebem que tudo está a decorrer como previsto, para que o senhor Presidente possa agora dissolver a AR… é que agora já não será “bomba atómica”, agora ele não tem outro remédio.
    Enfim… tudo farinha do mesmo saco.
    Fosse pra lá o Rui Rio, á frente do PSD, e talvez houvesse esperança… porque quem andou nas lides com o dr. Passos, sabe bem que ele nunca fez mais nada senão falar mt bem… é um profissional da politica…e de um 1º ministro assim, já estamos nós fartos há muito muito tempo!

  22. Regina diz:

    Hugo, entendo a sua ironia… o 25 de Abril era preciso obviamente. Mudanças de mentalidades, progresso, liberdade, direitos, garantias, nova CRP… tudo mt bem, aliás nas palavras do actual comissãrio da UE, Durão Barroso, portamo-nos de forma excepcional nessas mudanças, conseguindo em tão pouco tempo lidar com as expropriações, com a pressão de sindicatos, e ao mesmo tempo governar Portugal… Somos guerreiros e audazes quando queremos!
    Mas as “vacas gordas” e a pança cheia de tantas garantias, levou ao oportunismo, ao mau exercicio do poder e sobretudo, à descredibilização dos politicos.
    Não há que apontar culpas, pois todos que estiveram á frente do Governo são responsáveis, independentemente da cor partidária, do estado em que estamos hoje.
    O problema, é que a juventude cresceu a baixar os braços face a este marasmo de idealismo, cresceu sem vontade de mudar nada, de ser igual a todos aqueles k critica pois esses são os bem sucedidos e bla bla.
    Não se busca um salvador da pátria, mas eu como contribuinte e cidadã portuguesa, tenho o dever de zelar para nao mais votar em quem vejo que é um incapaz de defender os meus direitos! Se todos pensassem assim…

  23. Hugo Rego diz:

    @AVLISESTE

    Mais uma vêz, mil desculpas, companheiro de luta. Assim que li suas novas palavras, senti percorrer por mim novo banho de humildade. Aliás, sinto-me tão encharcado que receio contraír uma gripe ou, píor, uma pneumonia.

    Mais uma vêz, tem toda a razão! Vamos calar esta gente ignóbil que se arroga a pensar e, pior, a exprimir a sua opinião. Vamos criar novamente o Secretariado Nacional de Informação e o Serviço de Censura. Ainda hoje mesmo irei comprar todos os lápis azuis que puder encontrar e juntos iremos fazer renascer o pensamento dominante e obrigatório em todos aqueles que se considerem portugueses. Aliás, irei comprá-los a uma das nossas mui estimadas papelarias ou, em alternativa, a um Pingo Doce ou no Continente mas nunca a esses inergúmenos espaços comerciais vindos do estrangeiro como o Intermarché. Não quero correr o risco de sêr contaminado pelos ideais de liberdade que defendem e que tanto mal têm trazido a este mundo e ao país.

    E depois de ganharmos o Mundial de Futebol, já com o Mouras e os miúdos que nos foram roubados pelos estrangeiros, vamos reconquistar as injustamente perdidas colónias. Para o efeito usaremos os submarinos adquiridos pelo Dr. Paulo Portas, tão ilustre patriota que, creio, terá adquirido os mesmos já na esperança de nos vêr lutar pelo império perdido.
    E, se sobrar tempo, poderemos sempre invadir o Brasil, que também já foi, um dia, nosso.
    Assim poderemos voltar a roub…, perdão, investir o nosso esforço em recolher as suas matérias-primas tão valiosas e as quais os desgraçados nunca fizeram nada para as merecer e, assim, financiar o nosso Novo Estado. Sim, porque irá sêr novo, correcto, companheiro ?

    Aproveito para informá-lo que, arrependido de ter sido acometido por tamanha falta de humildade ao não perceber que ainda não posso almejar considerar-me um patriota do seu calibre (espero, um dia, quiçá, lá chegar), cessei imediatamente de entoar A Portuguesa e estou a considerar sériamente nova penitência mas, para isso, vou apelar à sua generosidade e solicitar-lhe conselho: acha que devo rezar 2 ou 3 Terços ?…

    Já agora, aproveito para o informar também de que estava tão certo de que as minhas propostas seriam bem acolhidas por si, que tratei de enviar proposta ao nosso futuro Querido e Grandioso Líder Kadhafi, mas ele continua reticente em aceitar.
    Ao que parece, tem sérias dúvidas se nós teremos burros suficientes para colmatar a perda dos camelos que ele, hoje em dia, aparelha…
    Abraço, companheiro. Contra os canhões marcharemos juntos, lado a lado. Você canta A Portuguesa e eu fico a admirá-lo subtimente, pode sêr ?

    P.S:: já agora, quando é que acha que poderemos ir às gajas, perdão, meninas ?… Aguardo ansiosamente pelo seu convite.

  24. Hugo Rego diz:

    @Regina

    Não sou assim tão descrente ou pessimista como, se calhar, deixei transparecer mas também não gosto de ficar a assobiar para o ar.

    Eu até acho que 37 anos volvidos, olhando bem para todo o percurso que fizemos, é algo digno de orgulho. É claro que tivemos muitos sobressaltos mas isso é aquilo a que eu costumo chamar de dores de crescimento. Mas não posso subscrever muitas das críticas que se têm feito aos jovens por várias razões:
    em 1º, eles são fruto das gerações anteriores e se não têm interiorizado em si príncipios como a participação cívica activa, isto será, em grande medida, culpa dos não-tão-jovens
    em 2º, a idade mínima para se votar ainda está nos 18 anos de idade. Ora, basta consultar a base de dados da CNE ou do INE para percebermos que a grande maioria dos eleitores não são propriamente jovens. Estar a atribuir-lhes responsabilidades do actual marasmo é, no mínimo, descabido.
    em 3º, porque os tempos que correm são cada vêz mais complicados e densos e, por isso, como posso eu pedir a projectos de adultos para terem capacidade de interpretação, análise, discussão e soluções para assuntos que são abordados, hoje em dia, com níveis de complexidade por vezes tão elevados, se a esmagadora maioria dos não-tão-jovens não o faz e/ou não consegues fazer ?

    Concordo que não tenho visto grandes exemplos de jovens que marquem pelo discernimento, visão ou participação cívica. Mas estar a criticá-los… Faz-me recordar uma frase: “Os teus defeitos enquanto filho são as minhas falhas enquanto pai”.
    Não querendo levar este conceito ao limite da desresponsabilização de uns, também não posso atribuir as responsabilidades apenas a outros.

    Poderiamos ficar horas a apresentar argumentos mas convém não esquecer que o país, até 74, estava tudo menos habituado a sêr participativo ou activo civicamente. Era um país com um atraso brutal a todos os níveis, desde baixos índices de escolaridade, passando pelos níveis de pobreza, cultura, saúde, etc..
    Creio que os primeiros anos após 74, em que existiu um movimento cívico activo que, até certo ponto, foi transversal e bastante expressivo na sociedade de então, também foi consequência do “contágio” de movimentos análogos anteriores surgidos na Europa. Claro está que depois da “pica” toda passar, criou um efeito pernicioso que foi o de fazer acreditar que o país tinha uma sociedade participativa e que, entretanto, isso se perdeu.

    Tretas!
    Muitos dos que tiveram um papel activo foram os primeiros a acomodar-se assim que as condições de vida melhoraram. E, píor, passaram a cobrar isto aos mais jovens. Esqueceram-se que não bastava lutar contra a ditadura. Isso era apenas o início. Muito poucos tiveram a consciência de que com os direitos vinham as responsabilidades. E, sobretudo, o esforço necessário em cada dia para fazer o que antes não lhes era permitido. Participar de forma activa e continuada. A maiôr parte ficou-se pela “festa”. Mas manter o Salão de Baile… Eh pah, isso fica para os outros…

    Continuo a acreditar que qualquer Governo, qualquer PM, PR, Executivo Camarário, é o reflexo dos seus cidadãos. E não ao contrário. 1 em cada 4 eleitores votou no actual PR. 2 em cada 4 ficaram-se por outras “actividades”. Agora eu pergunto: foi por estarem desacreditados ? Se a resposta é afirmativa então porque é que não trataram de se mexer e votar ? Em branco ?
    Se 1 em cada 2 abstencionistas tivesse optado por se exprimir dessa forma, o Voto em Branco teria sido superior à votação de Cavaco Silva em cerca de 350 mil votos. Mesmo que o Voto em Branco tivesse arrecadado apenas mais 1 votante, eu pergunto: Quem teria a “coragem” ou falta de vergonha, talvez seja mais correcto, para tomar posse de qualquer cargo ?

    O problema começa em nós…

  25. Não vale a Pena diz:

    Quero esclarecer que não tenho, nem nunca tive, qualquer vinculação partidária, nem tão pouco simpatia.

    Porem, devo confessar que não aprecio a crescente miopia da sociedade, cada um a olhar para o seu umbigo.
    Tornou-se moda dizer mal do Sócrates, contar anedotas do Sócrates.
    Vai desde as mais elevadas elites, sedentas de regresso ao poder e de substituir os boys e arranjar emprego para os filhos, até à classe mais analfabeta. Conheço um velho bêbado que todos os dias grita no café chamando todos os nomes ao Sócras.

    Dizer que isto está um pântano, que só com uma revolução, que o país precisa dum reset, facebooks, e rascas…como se isso fosse possível !

    Pelo meio, temos uma classe média-média, na qual me incluo, despartidarizada e concentrada no trabalho, que tem passado a vida toda a fazer este país funcionar:
    Uns somos bombeiros, outros polícias, outros na saúde, outros na educação, nas empresas… a fazer um esforço fiscal enorme, sustentando este pagode todo em que uns se enchem e os outros fazem excursões a Lisboa para ir berrar pelas ruas de manhã em pseudo manifes/ Centro Comercial Vasco da Gama fazer compras de tarde, estamos a pagar cerca de um 1/3 dos seus rendimentos em IRS, ano após ano, para gáudio de todos os corporativismos e esquemas que disso se têm aproveitado.

    Portanto, podendo estar a ser injusto em alguns casos, devo dizer que me agradam de modo geral as medidas que este governo- um verdadeiro governo social democrata e reformista como defendo – chefiado por uma pessoa extremamente determinada e convicta, tem tomado.

    Não partilho a miopia de dizer que tem sido este Governo que afunda o país. Então, e a Europa? O nível de desemprego e desemprego jovem na Espanha, e em outros países europeus superior ao nosso? Também é do Sócrates?

    Devo dizer que me agrada ouvir certos sectores a chiar: pela primeira vez se ousa desafiar lobbies poderosíssimos: levar a exigencia fiscal até ao fim, sem abébias, se não paga executa-se. Tem de ser assim, e pena é de não os conseguir fazer vomitar o que comeram ano após ano…
    Cada novo sector que se queixa é porque lhe estão a mexer no queijo.. é porque a sociedade está a ajustar-se, acho bem, gosto disto.

    São os cortes nos salários mais altos, com que a maioria da população obviamente concorda, embora por respeito (são os seus chefes) não diga, e se congratule publicamente, mas fá-lo em privado.

    São agora os cortes nas pensões mais elevadas, que só têm tardado, e com que ninguém de bom senso se pode insurgir.
    Se estão reformados, já orientaram a vida, já tem os filhos crescidos e formados, já não compram gasóleo para ir trabalhar, já não tem de ir almoçar fora todos os dias, etc, então o seu rendimento deve necessáriamente cair.
    O País não se pode dar ao luxo de ter encargos com pensões elevadas. Deve apenas pagar-se o suficiente , nada mais.
    Não pode ser de outra forma.
    Tem de se ajudar é quem trabalha, filhos a cargo, etc, não subsidiar viagens intermináveis a reformados como se fossem alemães.

    Dois exemplos que vão gerar maior justiça e equilíbrio social, e que provam que a crise tem aspectos muito positivos.

    E depois esta pesporrência, esta verborreia que o Governo deve cair, que se deve demitir, etc.
    Mas, então, não houve eleições inteiramente livres há apenas 1 ano atrás? O Governo não é legítimo?

    Que garantias oferece a concorrência de ir fazer melhor? Nenhumas.
    Por enquanto, devo dizer que a minha opinião, familia, colegas, amigos e o sentimento que percebo na sociedade é a de que José Sócrates está a fazer o melhor que pode o seu trabalho.
    Estou com ele.

    Quero acrescentar que não recebo nem nunca recebi dinheiro do Estado: nem subsídio de desemprego (felizmente) nem baixa (graças a Deus), nem recebo apoio escolar para os filhos, nem bolsas de estudo, nem dinheiro das Câmaras, nem projectos do IEFP, nem cursos, ZERO:
    E, este ano, por exemplo, arrumando os papeis para fazer o IRS daqui a dias, verifiquei que eu e a minha mulher pagámos >10.000€ (retenção na fonte de IRS).

    Ou seja, em 3 anos, dava para comprar um carro novo, e o meu tem tem 10 anos….

  26. AVLISESTE diz:

    Não vale a pena:
    Mas, não vale mesmo! É de indivíduos como você que o sacana do Sócrates gosta!
    Infelizmente, com o seu apoio e de mais alguns, é que esta canalha tem levado o país à ruína.
    Pretender, ainda que encapotadamente, acabar com os ricos, com os chefes, com as empresas viáveis, impostos e mais impostos, já se viu ao que conduziu. MISÉRIA e + MISÉRIA, fome envergonhada, desemprego.
    Sim senhor…… faz bem em defender esse canalha, porque isto ainda não bateu totalmente no fundo, mas está perto: Lamentávelmente, você só se convence quando chegar a sua vez, isto é: quando já não houver nada para reter na fonte.
    Eu tambem, infelizmente já descontei e paguei muito: Para nada, para hoje ter uma reforma de pouco mais de 1.000 euros.
    Encaro com preocupação a possibilidade de nem isso, este maldito estado, conseguir continuar a pagar.
    Abaixo o Sócrates e quem o apoiar !

Deixe Uma Resposta