Jan 26 2011

Cá está!

Publicado por as 7:45 em A minha cidade

A REFER nunca incluiu nos seus planos a electrificação da Linha Ferroviária do Alentejo até Beja.
(leia aqui)
Tanto quanto sei, esta decisão é conhecida desde o Outono de 2009. Mas na altura andava tudo em campanha eleitoral….

Share

22 Resposta a “Cá está!”

  1. Baleizão diz:

    Onde se incluem todos os agora movimentados grupos de cidadania! E, já agora, que fez o senhor deputado de concreto quando soube? Para além de os deputados do PSD se terem abstido no dia 12 de Janeiro, face a um projecto de resolução apresentado pelo PCP na Assembleia da República sobre exactamente essa matéria? e os senhores deputados do PS (incluindo os de cá) votaram contra? Valha-nos nossa senhora por tanta incoerência (para ser simpático).
    Já agora, vejam as propostas de electrificação da linha de Beja apresentadas hà anos em PIDDAC pelo Partido Ecologista “Os Verdes” e sucessivamente derrotados pelos alentejaníssimos deputados socialistas e outros!

  2. enxoe diz:

    No fundo temos o que merecemos,agravado pelos que nos tem governado.Mas nós todos bejenses e que temos a culpa.Uma tristeza

    Enxoe

  3. José Frade diz:

    Andam a brincar connosco…

  4. El Juanito diz:

    Quando o outro disse “jamais”, ele tinha um sentido muito mais lato para esta simples palavra francesa.
    Agora, não será com petições que isto lá irá!
    Embora concorde que se deva fazer algo, e a petição já é alguma coisa, mas…não chega!

  5. " Hobby and lobby " diz:

    Para quem tem memória e não quer balburdia no debate, sabe que desde 2009 o que estava previsto era apenas e só a remodelação dos carris até Beja e a electrificação até Évora.
    Não invalida as contestações, abaixo-assinados e todas as formas de luta possíveis, só pecam por tardias e nalguns casos demagógicas.

  6. Paulo Nascimento diz:

    O PS não precisa de comboios no Alentejo.

    Os autocarros servem perfeitamente para transportar idosos e outros apoiantes para os comícios socialistas.

  7. Paulo Nascimento diz:

    O PPD também não vê a necessidade do comboio.

    para o PPD, Isto está cheio de velhos reformados a viver á custa do orçamento que custam uma fortuna em assistência e medicamentos.
    E ainda por cima vermelhos.

    O Alentejo só serve para coutadas e turismo. e para isso utilizam-se os jipes que cavaco ajudou a comprar.

  8. Rato dos Pomares diz:

    Mas afinal? Beja precisa de ligação directa a Lisboa (por Intercidades e sem transbordo em Casa Branca) ou precisa da linha electrificada? (um perigo! até porque dá choques). Será que precisa da linha electrificada para os passageiros de Évora (Ramal de Évora eheheh) terem que esperar pelo comboio de Beja em Casa Branca? (Siiiiiim! Temos que mostrar a esses alto alentejanos quem é que espera por quem). Um comboio a diesel pode (ou não) circular numa linha electrificada? Num cenário sem electricidade, a rolar a petróleo, se estivermos num comboio a chegar a Abrantes, onde é que deixamos Tomar? E isso acontece de há muito tempo a esta parte ou é um fenómeno recente? De quem é a culpa? Dos vermelhos de cá ou dos vermelhos esbatidos (por adição de amarelo e de branco) de lá?
    E a população de Baleizão, de Serpa e de Moura? Precisa de comboio ou não?
    E a ligação Funcheira-Beja? Em que é que ficamos?
    Bora mas é vender os carris e comprar gomas!

  9. Raquel diz:

    …e depois dizemos as verdades e ainda somos insultados.

  10. eu diz:

    Vendem-se os carris e compramos uma “zangarrera alada a gasoil” que é mais barato (o Gasoil não a zangarrera) e pomos ali a Gare de Trigaches a trabalhar, mamamos-lhe uns tintóis ali da Figueirinha que é para não termos medo daquela “brincadêra” caír, e depois vamos todos para Lisboa e não esperamos por c@**** nenhum. Passamos pelo Casa Branca que nem um risco e nem os “gajos” de Évora põem a vista em cima da gente… Era o que faltava andar agora de malas às costas caminho de Lisboa…isso é que era bom.

  11. Anónimo diz:

    Desde que foi anunciada a suspensão por um ano do IC Beja/Évora/Lisboa que o motivo apontado foi … a electrificação do ramal (LOL) de Évora. E ai de quem se atrevesse por cá a prever o fim do IC tal como existia ai ai ai ai ai ai … a petição é legítima e oxalá tenha algum resultado prático mas a verdade é que, da parte das forças vivas da região nada foi feito ainda a câmara era PC. Por isso escusam agora de vir armados em virgens púdicas apontar o dedo pois nunca se esqueçam que ao apontarem um dedo a quem quer que seja têm outros tres apontados para vós.

  12. CP diz:

    Penso que para esta viagem o Praça perdeu o comboio. É o que dá a cegueira.

  13. Rato dos Pomares diz:

    CP. Não me tivessem ensinado em pequeno para teimar mas não apostar, e estava capaz de apostar consigo qual vai ser o local e o memento exacto em que “o comboio vai descarrilar”. O foguetório não vai passar dissso. Foguetório.
    Daqui para a frente, Beja vai continuar a ser servida por comboio, a diesel, e os passageiros com destino a Lisboa vão mesmo esperar, em Casa Branca, pela ligação, proveniente de Évora, em linha electrificada. Lamento!
    Já agora. Você sabia que em 1878 o Distrito de Beja tinha 151 672 habitantes “contra” os 114 777 habitantes que o Distrito de Évora tinha no mesmo censo? E Kilómetros de “Estradas Reaes”? E “Districtaes”? Em 1893 ganhava Beja (a Évora) 30 a 5 e 44 a 25 respectivamente. De então para cá o que é aconteceu? Quer mesmo que lhe explique ou diversidade económica e social, universidade, acessibilidades, massa crítica e políticos com t…tes versus caciquismo provinciano são indicadores que lhe dizem alguma coisa? Não há paciência.

  14. El Juanito diz:

    @ CP
    “Penso que para esta viagem o Praça perdeu o comboio. É o que dá a cegueira.”

    ??????????????????????? 🙁 não percebi!

  15. Anónimo diz:

    @CP, Quem perdeu, mais uma vez, foram os bejenses, os de Cuba, os de Vila Nova, os de Alvito, … é muita gente a perder. 🙂

  16. Paulo Nascimento diz:

    O problema reside numa CP/Refer fora de controlo, cheia de chefes e altos dirigentes a viver á custa do orçamento. De negócios ruinosos e sob gestão danosa.

    Problema potenciado por sucessivos governos, que na procura de distribuir alvissaras pelos seus amigos, dividem e subdividem em sectores cada vez mais pequenos. Vendendo aos amigos o que se vai podendo vender e que dá lucro por si (ex. TEX, que foi vendida a antigos gestores da CP e que acabou arruinada e absorvida pela empresa Urbanos.)

    Desde Cavaco a Sócrates, todos têm o mesmo objectivo, vender os pedaços lucrativos aos amigalhaços que depois lhes pagarão a campanhas e arranjarão um tacho quando saírem do poder.

    E a CP faz o que quer, sem rei nem roque.
    Altera horários a seu belo prazer para afastar os utilizadores, numa antecâmara do encerramento da linha em causa. (que o digam os estudantes que vêm do Algarve para Beja, e os utilizadores da ex-linha do Guadiana). Encerra linha para obras durante meses a fio, sem sequer fazer o trabalho completo (electrificação), e usa essa estratégia de incompetência ou criminosa atitude para afirmar se qualquer vergonha na cara que a linha não têm condições para continuar a operar nos moldes em que estava.

    Os governos não fazem nada porque têm o rabo preso, e lhes interessa manter o estado das coisas, por muito que custe ao futuro do país. os amigos estão sempre primeiro.

    A CP/Refer mais parece a Cosa Nostra cá do burgo.

    O que fazia falta era uma auditoria profunda a todas as empresas do grupo, e fazer rolar cabeças. obrigando os responsáveis a responder criminalmente e a pagar pelos danos causados.

    Feito essa auditoria, todo o grupo CP/Refer devia ser unidos numa única empresa novamente, extinguindo a unidades operacionais da CP, para que os lucros que se obtenham numa área seja canalizados para desenvolver linhas no interior.
    e Finalmente investir forte e feio numa nova rede ferroviária, que ligue todo o país com qualidade.

    Mas para isso acontecer muita coisa têm de mudar, a começar pelos governos que nos têm governado.

  17. El Juanito diz:

    @ Paulo Nascimento
    “O problema reside numa CP/Refer fora de controlo, cheia de chefes e altos dirigentes a viver á custa do orçamento. De negócios ruinosos e sob gestão danosa.”

    Ora nem mais!
    Aliás, isso também eu já o disse por aqui, algures. O problema é realmente esse, são os mamões deste país.
    Boys mamões que ganham salarios que não merecem e também estão em cargos que não têm razões de existir.
    Existem numa empresa publica, o presidente , o vice-presidente, o director, o sub-director, o sub-sub-director, o chefe, o chefe do chefe, o sub-chefe, o Kilo-chefe, o Hecto-Chefe, o Deca-chefe, o chefe (outra vez o chefe, escreve-se igual ao anterior mas este está numa posição hierarquica mais baixa), o deci-chefe, o centi-chefe, o mili-chefe. Isto com jeitinho e mais umas portariasitas ainda se arranjam mais uns sub-múltiplos do mili-chefe.
    E só no fim, mesmo lá no fim é que aparecem os funcionários rasos.
    Outra coisa que não percebo. Porque raio, porque carga de água, têm de ser só os funcionários públicos a pagar a crise?
    Porque se cortaram os salários só a esses?
    Pensem comigo.
    Então, Portugal não é de todos, dos funcionários públicos e privados?
    Então, quando se vai a um serviço público por exemplo o centro de saúde, a taxa moderadora não é igual para ambos?!
    Então, quando se viaja, o preço das viagens nas estradas públicas não é o mesmo?!
    Nas escolas, os filhos dos f. públicos não estudam junto com os filhos dos f. privados?
    E tantos, tantos outros exemplos.
    Ou então eu devo ser mesmo um asno de mer… que não percebo as diferenças!
    Fónix!!!

  18. Anónimo diz:

    @Paulo Nascimento, a cassete é sempre a mesma seja qual for o assunto hehehe 😉

  19. Celso Pereira diz:

    Vá….eu digo…..o melhor é fazermos uma revolução e metermos os comunistas e os do bloco no poder. Pode ser que com o entusiasmo que eles andam agora depois dos fantásticos resultados eleitorais que obtiveram, ponham o país no rumo certo.

    Cumpts,

  20. jorge diz:

    realmente cada vez estou mais desiludido com os políticos da nossa cidade, honestamente acho que nunca mais voto em nenhum, pois acho que são todos uns vendidos ao poder de Lisboa, aceitam tudo como certo e nada fazem para mudar , Beja precisa de realmente mudar, pois estamos cada vez mais isolados. bem hajam realmente todos os bejenses, somos os esquecidos desta pequena nação.

  21. Paulo Nascimento diz:

    @Celso

    Mas para isso é preciso primeiro tirar os do BPN da presidência e a MotaEngil/JPSáCouto/Grupo Mello/(…)/Americo Amorin, do Governo

  22. Paulo Nascimento diz:

    @Anonimo

    Uma mentira repetida muitas vezes passa a ser credível. e uma verdade repetida muitas vezes deixa de ser credível.

    E cassetes é com os outros camaradas, nós é mais Ipods. 🙂

Deixe Uma Resposta