Nov 22 2010

O estado a que o Estado chegou

Publicado por as 19:00 em Geral

A não perder.

Share

2 Resposta a “O estado a que o Estado chegou”

  1. Sportinguista diz:

    É vergonhoso!! Mas o que é certo é que todo esses institutos, parcerias, empresas públicas e municipais, associações, comissões, regiões, governos civis, autarquias, freguesias etc. empregam muita gente, se bem que eram totalmente desnecessários. Empresas criadas para encaixar os vários gestores com altos salários e demais mordomias, que andam escorraçados na política!! Não ganhas-te nas eleições mas como presente por teres dado a cara, toma lá gere ai uma empresa do estado, toma lá uns bons euritos e até nem precisas de mexer no ordenado porque tens tudo desde tel. passando pelas viaturas, casas etc. e com geitinho ficas logo reformado!!! Deixa que eu xuto, esta até eu marcava!!!

  2. O Estado do Mercado diz:

    Arrepiante esta grande reportagem. A perspectiva, o ângulo da reportagem está bem centrado – o Mercado. Não é preciso vasculhar muito no tempo para ver o Mercado de joelhos perante o Estado. O Mercado ganhou alguma força e volta à ribalta o despesismo do Estado. Mas o Estado não tem uma função social? As verbas que o Estado esbanja nas parcerias publico/privadas ninguém contesta? Os milhões de benesses que o Estado concede às empresas (grandes) que defendem interesses particulares ninguém fala? Os contratos milionários de serviços com privados não saem dos bolsos dos contribuintes? A banca que compra ao Estado dinheiro a uma percentagem “residual” para depois emprestar ao mesmo Estado a taxas que multiplica por 6 ou 7 não deveria indignar os portugueses. Quem nos “rouba” não é o Mercado? Se eu não aceito um Estado totalitário porque hei-de ter um Mercado totalitário? Muitos dos nosso problemas estão na falta de regulamentação do Mercado. Esta revolta contra o Estado e o seu estado não beneficia um povo, uma nação. beneficia meia dúzia de interesses privados. A referencia ao Aeroporto de Beja é inclassificável. Se este for o caminho o melhor era ter partido já ontem.
    Quero deixar como nota final que o partido do qual alguma vez fui mais próximo é de centro/direita.

Deixe Uma Resposta